Edição do dia

Sexta-feira, 19 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
28.3 ° C
28.9 °
26.5 °
79 %
9.3kmh
40 %
Sex
28 °
Sáb
28 °
Dom
25 °
Seg
24 °
Ter
26 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioPolíticaHo Iat Seng enaltece "suporte", "carinho" e "amor" da pátria face a...

      Ho Iat Seng enaltece “suporte”, “carinho” e “amor” da pátria face a Macau

      No 73.º Aniversário da Implantação da República Popular da China, o Chefe do Executivo enalteceu a ligação da pátria à RAEM e destacou o “forte suporte” na “manutenção da estabilidade e harmonia” em Macau. No discurso proferido no passado sábado, Ho Iat Seng disse que, em Macau, o princípio ‘Um País, Dois Sistemas’ alcançou “êxitos históricos” e que o patriotismo na região é cada vez mais forte.

       

      Assinalou-se no passado sábado a recepção da celebração do 73.º Aniversário da Implantação da República Popular da China. Na ocasião, o Chefe do Executivo da RAEM enalteceu o apoio da pátria no desenvolvimento da região.

      “Apresento as minhas calorosas felicitações à nossa grande pátria e cumprimentos festivos aos presentes e a todos os residentes e, ainda, um profundo agradecimento aos amigos de todos os sectores da sociedade pelo seu apoio e participação na construção do País e no desenvolvimento de Macau”. Começou assim o discurso de Ho Iat Seng no Dia Nacional.

      Ho Iat Seng afirmou depois que “a pátria é o forte suporte da manutenção da estabilidade e harmonia em Macau”, acrescentando que “o Presidente Xi Jinping e o Governo Central estão constantemente atentos ao desenvolvimento de Macau e têm apoiado firmemente Macau na prevenção e controlo da pandemia, no desenvolvimento económico, no melhoramento do bem-estar da população e na promoção da harmonia”.

      O Chefe deu como exemplo do apoio das autoridades do Governo Central a retoma da emissão de vistos electrónicos para visitantes e a retoma gradual das excursões turísticas a Macau, bem como o apoio à construção da Linha Leste do Metro Ligeiro e ao projecto de ampliação do Aeroporto Internacional de Macau.

      Na opinião de Ho Iat Seng, estas iniciativas reflectem “plenamente o amor do Governo Central por Macau e responde activamente às preocupações da maioria dos compatriotas de Macau, como contribui certamente para promover a recuperação do dinamismo económico de Macau e a revitalização da economia da população”.

      Ho disse que “a prática demonstra plenamente que ‘Um País, Dois Sistemas’ é um bom sistema, está de acordo com os interesses fundamentais do país e da nação e com os interesses fundamentais de Macau”. O Chefe do Executivo afirmou mesmo que o princípio tem um apoio “unânime” por parte dos residentes de Macau e tem conseguido um “reconhecimento generalizado” na comunidade internacional.

      O líder do Governo sublinhou que “a prática em Macau do princípio ‘Um País, Dois Sistemas’ alcançou êxitos históricos, Macau mantém a estabilidade social e a consciência nacional e o patriotismo dos compatriotas de Macau estão cada vez mais fortalecidos”. Assim, o Chefe do Executivo afirmou: “Devemos continuar firmes na prossecução plena, precisa e inabalável da política ‘Um País, Dois Sistemas’ e implementar o princípio ‘Macau governada por patriotas’, para manter a prosperidade e estabilidade de Macau a longo prazo”.

      Ho Iat Seng lembrou que Macau tem enfrentado desafios em 2022, mas isso “aprofundou a consciência dos compatriotas de Macau da íntima ligação de Macau à pátria”. “Perante a volatilidade da pandemia, foi com o carinho e a orientação do Governo Central que o Governo da RAEM se manteve firme na prossecução da política geral de ‘dinâmica zero’, contendo a propagação da pandemia, e lançou oportunamente uma série de medidas para fomentar o emprego, estabilizar a economia e garantir o bem-estar e a mitigação constante das dificuldades da população”, referiu no discurso.

      O Chefe do Executivo aproveitou também para deixar um agradecimento aos residentes pela “colaboração e apoio” durante o surto de Covid-19 que se espalhou na região durante o Verão. Ho Iat Seng recordou também que o Executivo tem trabalhado na diversificação da economia. “No futuro, continuaremos a persistir na prevenção e controlo eficaz da pandemia, na aceleração da recuperação económica, na promoção da diversificação adequada da economia e na melhoria contínua do bem-estar da população”, referiu.

      Ho Iat Seng assentiu que “a economia e a sociedade de Macau têm vindo a enfrentar dificuldades e desafios” devido à pandemia. No entanto, diz acreditar que “os fundamentos para um desenvolvimento económico favorável a longo prazo não mudaram”. “Acreditamos que com o forte apoio do Governo Central, Macau poderá indubitavelmente tirar melhor partido das suas vantagens únicas, desenvolver a economia, promover a diversificação e melhorar a vida das pessoas, criando um novo cenário”, vincou Ho Iat Seng.

      Em conclusão, o Chefe do Executivo endereçou “os mais sinceros agradecimentos e elevadas saudações” ao Governo Popular Central, bem como ao Gabinete de Ligação do Governo Popular Central na RAEM, ao Comissariado do Ministério dos Negócios Estrangeiros na RAEM e à Guarnição em Macau do Exército de Libertação do Povo Chinês, “pelo apoio sempre demonstrado ao longo destes anos em prol do desenvolvimento de Macau”.

       

      AUMENTO DO NÚMERO DE VISITANTES PODE IMPULSIONAR ECONOMIA

       

      Em declarações aos jornalistas, à margem da recepção da celebração do 73.º Aniversário da Implantação da República Popular da China, o Chefe do Executivo comentou a retoma dos vistos electrónicos de visita a Macau e da política das excursões do interior da China. Segundo Ho Iat Seng, isto “irá certamente produzir efeitos de suporte à economia do território em geral, acreditando-se ser possível impulsionar os diversos sectores e elevar a taxa de emprego”.

      Segundo o Chefe do Executivo, as autoridades estão agora a articular os trabalhos para que a retoma dos vistos electrónicos de visita a Macau as excursões do interior da China possam ser retomadas a partir do final deste mês ou do início de Novembro.

      Quanto às facilidades de passagem transfronteiriça com Hong Kong, o Chefe do Executivo reiterou que Macau tem de esperar que a China abra as fronteiras com a região vizinha para fazer o mesmo. Ho Iat Seng explicou que se no futuro o interior da China aliviar as restrições de passagem transfronteiriça ou reduzir os dias de quarentena, então aí as ligações entre as duas regiões administrativas especiais poderão voltar a ser mais facilitadas.