Edição do dia

Terça-feira, 21 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
24.6 ° C
24.9 °
23.7 °
100 %
4.6kmh
40 %
Ter
25 °
Qua
25 °
Qui
25 °
Sex
27 °
Sáb
27 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioPolíticaLeong Sun Iok sugere maior intercâmbio sino-lusófono em Macau

      Leong Sun Iok sugere maior intercâmbio sino-lusófono em Macau

      Na reunião plenária de ontem, Leong Sun Iok sugeriu ao Governo a realização de mais actividades culturais e desportivas populares sino-lusófonas em Macau. Segundo o deputado, isso poderia estabelecer uma “base para o desenvolvimento das relações bilaterais a longo prazo”.

       

      Este ano assinala-se o 45.º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas entre a República Popular da China e Portugal e, devido a esta efeméride, o deputado Leong Sun Iok afirmou ontem que o Governo de Macau deve realizar mais actividades de intercâmbio entre os dois países.

      Na reunião plenária de ontem da Assembleia Legislativa (AL), o deputado sugeriu que as autoridades do território promovam a realização, em Macau, de mais eventos desportivos e artísticos populares, ou dos países de língua portuguesa, “reforçando o papel de Macau como plataforma entre a China e os países de língua portuguesa, fomentando o intercâmbio entre a China, os países de língua portuguesa e Macau, tornando estes eventos num brilhante ‘cartão-de-visita’ de Macau”.

      Lembrando a “longa história” das relações entre Portugal e a China, o deputado ligado à Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM) deu como exemplo a porcelana chinesa, que influenciou a cultura portuguesa, e os treinadores e jogadores de futebol portugueses, que “introduziram as suas técnicas no futebol chinês”.

      “Há inúmeros exemplos de intercâmbio entre os povos e, Macau, como membro da construção da plataforma entre a China e os países de língua portuguesa, pode ser um mensageiro para a transmissão da amizade entre a China e os países de língua portuguesa, aprofundando o intercâmbio humanístico e cultural”, afirmou.

      Laong sugeriu, então, que se reforce a cooperação com a China e a lusofonia, “para que alguns dos seus eventos culturais e desportivos possam ser realizados em Macau ou na Zona de Cooperação Aprofundada, interligar os recursos culturais e turísticos de Hengqin, Macau e do exterior, e efectuar a combinação dos eventos com o turismo para surtir os respectivos efeitos sinergéticos”. “Acredita-se que isto poderá aumentar o grau de exposição de Macau no interior da China e a nível internacional, e elevar a imagem de Macau, contribuindo para a optimização da estrutura das fontes de turistas”, explicou.

      O deputado concluiu a sua intervenção antes da ordem do dia dizendo esperar que, “no futuro, o Governo alargue o grau e o âmbito da cooperação, tomando a iniciativa de organizar actividades cívicas de intercâmbio entre a China e os países de língua portuguesa, nomeadamente, nas áreas de economia, espectáculos e exposições, e desporto, incentivando mais associações cívicas, empresas e instituições de ensino superior a participarem e a realizarem visitas recíprocas, a fim de estabelecer uma base para o desenvolvimento das relações bilaterais a longo prazo”.

       

      LO CHOI IN TAMBÉM DESTACOU CAPACIDADES DESPORTIVAS DA LUSOFONIA

       

      Na mesma ocasião, a deputada Lo Choi In também destacou os países lusófonos como “grandes potências desportivas”. “Macau é uma plataforma importante para estes países e tem com estes uma profunda ligação, portanto, o Governo deve, tomando como referência a prática de Singapura e aproveitando as suas vantagens, tomar a iniciativa de convidar equipas, estrelas e associações de futebol de renome internacional para, por exemplo, organizar, em conjunto com os atletas ou grupos desportivos nacionais, espectáculos itinerantes, competições, estágios e intercâmbios, etc”, afirmou a deputada na AL.

      Lo Choi In justificou que isto pode “contribuir para promover o desenvolvimento do desporto local, atrair mais turistas, prolongar a estadia destes e impulsionar o desenvolvimento diversificado da economia, desenvolvendo-se efectivamente o papel de ligação da plataforma sino-lusófona”.