Edição do dia

Sábado, 25 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
26.4 ° C
28.2 °
25.9 °
94 %
4.1kmh
40 %
Sáb
27 °
Dom
26 °
Seg
27 °
Ter
29 °
Qua
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioÁsiaTailândia prepara-se para receber 100 mil refugiados de Myanmar

      Tailândia prepara-se para receber 100 mil refugiados de Myanmar

      O ministro dos Negócios Estrangeiros da Tailândia anunciou que o país vai receber 100 mil refugiados birmaneses na sequência da intensificação dos combates entre o exército e a oposição pelo controlo de uma cidade fronteiriça. A Tailândia partilha uma fronteira de 2.400 quilómetros com o Myanmar, um país mergulhado no caos desde 2021

      O ministro dos Negócios Estrangeiros da Tailândia anunciou ontem que o país está prestes a receber 100 mil refugiados birmaneses na sequência da intensificação dos combates entre o exército e a oposição pelo controlo de uma cidade fronteiriça.

      A Tailândia partilha uma fronteira de 2.400 quilómetros com o Myanmar, um país mergulhado no caos desde 2021, quando uma junta militar tomou o poder através de um golpe de Estado que derrubou o Governo democraticamente eleito.

      O clima de guerra civil intensificou-se nos últimos meses e as forças que se opõem aos militares avançaram para várias áreas anteriormente pacíficas deste país do Sudeste Asiático.

      No fim de semana, a imprensa local noticiou intensos combates entre o exército birmanês e grupos contrários à junta militar perto da cidade birmanesa de Myawaddy, separada da cidade tailandesa de Mae Sot por um rio.

      Ao longo da fronteira entre a Tailândia e Myanmar são registados frequentemente combates e dezenas de birmaneses refugiam-se na Tailândia por tempo indeterminado. “Estamos, há algum tempo, a preparamo-nos e podemos acomodar temporariamente cerca de 100 mil pessoas na zona de segurança tailandesa”, avançou o ministro dos Negócios Estrangeiros da Tailândia, Parnpree Bahiddha-Nukara.

      Embora não esteja em curso nenhuma “retirada de pessoas em massa”, há muitas já a atravessar a fronteira, referiu o ministro, acrescentando que a fronteira continua aberta e o comércio ainda se efectua entre Mae Sot e Myawaddy. “O comércio continua, mesmo que esteja a diminuir”, disse, adiantando que, numa ocasião semelhante do ano passado, a queda registada foi de 30%.

      Myawaddy é o terceiro principal ponto de passagem da fronteira entre Myanmar e Tailândia e, segundo o Ministério do Comércio, controlado pela junta militar birmanesa, nos últimos 12 meses, o valor das trocas comerciais na região atingiu os mil milhões de euros.

      Na terça-feira, o primeiro-ministro da Tailândia, Srettha Thavisin, reuniu-se com vários responsáveis do Governo para discutirem a questão da fronteira. “O primeiro-ministro está preocupado com a possibilidade de a situação piorar”, admitiu Parnpree Bahiddha-Nukara.

      A Tailândia não é signatária da Convenção das Nações Unidas sobre Refugiados e não faz distinção entre refugiados e outros migrantes.

      No entanto, dezenas de milhares de pessoas que fugiram de Myanmar desde a década de 1980 já vivem em campos informais montados pelas autoridades tailandesas perto da fronteira. Lusa

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau