Edição do dia

Domingo, 3 de Março, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
15.9 ° C
17.9 °
15.9 °
88 %
3.6kmh
40 %
Dom
20 °
Seg
22 °
Ter
24 °
Qua
24 °
Qui
19 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Ásia Seul confirma que Pyongyang disparou míssil balístico intercontinental

      Seul confirma que Pyongyang disparou míssil balístico intercontinental

       

      As Forças Armadas da Coreia do Sul confirmaram que o projéctil lançado ontem pela vizinha Coreia do Norte é um míssil balístico intercontinental (ICBM), o quinto disparado por Pyongyang este ano.

       

       

      “As nossas forças armadas detectaram o que se crê ser um míssil balístico de longo alcance lançado da zona de Pyongyang para o mar do Leste [nome dado ao mar do Japão nas duas Coreias] por volta das 08:24”, declarou o Estado-Maior Conjunto sul-coreano em comunicado.

      O Ministério da Defesa japonês confirmou a hora do lançamento e acrescentou que o míssil aterrou por volta das 09:37 fora da zona económica especial do país, 250 quilómetros a oeste da ilha de Okushiri, perto de Hokkaido (norte), segundo a emissora estatal nipónica NHK.

      A duração do voo coincide com os anteriores lançamentos deste tipo de míssil por Pyongyang e com a trajectória curva utilizada para testar este tipo de míssil.

      O lançamento ocorre depois de a Coreia do Norte ter lançado outro míssil balístico de curto alcance no domingo e marca o 27.º teste de armamento registado por Pyongyang só este ano.

      O disparo acontece, além disso, três dias depois de o conselheiro adjunto para a segurança nacional da Coreia do Sul, Kim Tae-hyo, ter afirmado que tinham sido detectados sinais de que o regime de Kim Jong-un poderia lançar um ICBM nos próximos dias.

      O último ICBM que Pyongyang testou foi lançado em Julho, quando disparou um projéctil Hwasong-18 de combustível sólido a partir dos arredores da capital norte-coreana. Com este lançamento, o regime atingiu um recorde de cinco mísseis intercontinentais lançados este ano.

      Esta última acção norte-coreana surge também depois de Pyongyang ter anunciado, a 23 de Novembro, o cancelamento da aplicação de um tratado militar com Seul, assinado em 2018 para reduzir a tensão nas zonas fronteiriças.

      O Presidente da Coreia do Sul pediu uma resposta imediata, em coordenação com Estados Unidos e Japão, a este lançamento de míssil balístico intercontinental realizado pela Coreia do Norte em direcção ao Mar do Japão.

      Yoon Suk-yeol pediu que seja utilizado o recém-criado sistema de troca de informações sobre mísseis estabelecido como resultado de uma reunião trilateral realizada em Agosto nos Estados Unidos, em que participaram o chefe de Estado sul-coreano, o Presidente dos EUA, Joe Biden, e o primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida.

      A medida foi accionada após uma reunião de emergência do Conselho de Segurança Nacional sul-coreano, já que o lançamento do míssil norte-coreano – segundo sul-coreanos, norte-americanos e japoneses – coloca em perigo a paz e a estabilidade na península coreana, noticiou a agência de notícias sul-coreana Yonhap.

      “Temos que utilizar o sistema de troca de informações em tempo real e defender proactivamente que a Coreia do Sul, os Estados Unidos e o Japão respondam de forma coordenada”, disse Yoon, sublinhando que as medidas devem ser “imediatas e esmagadoras” para enfrentar as “provocações” de Pyongyang.

      As declarações de Yoon acontecem logo após o quinto lançamento de um míssil balístico intercontinental pela Coreia do Norte neste ano. Este último teste balístico ocorreu poucas horas após o lançamento de um míssil de curto alcance.

      As autoridades sul-coreanas condenaram estes lançamentos e afirmaram que constituem uma clara violação das resoluções do Conselho de Segurança da ONU, que proíbem a Coreia do Norte de utilizar tecnologia de mísseis balísticos.

      Os últimos lançamentos ocorrem precisamente depois de Seul e Washington terem abordado uma futura estratégia de dissuasão nuclear em relação a Pyongyang e coincidem com a comemoração do 12.º aniversário da morte do antigo líder norte-coreano Kim Jong-il, pai do actual líder do país, Kim Jong-un.

      Também nas últimas horas, um submarino norte-americano com propulsão nuclear chegou à cidade portuária sul-coreana de Busan, precisamente num contexto de crescente preocupação com a possibilidade de a Coreia do Norte lançar um míssil intercontinental.

       

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau