Edição do dia

Segunda-feira, 26 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
13.9 ° C
15.9 °
13.9 °
72 %
5.7kmh
40 %
Dom
16 °
Seg
19 °
Ter
20 °
Qua
20 °
Qui
21 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Ásia Pyongyang rejeita declaração do G7 sobre programa nuclear norte-coreano

      Pyongyang rejeita declaração do G7 sobre programa nuclear norte-coreano

       

      A Coreia do Norte rejeitou ontem uma declaração conjunta dos ministros dos Negócios Estrangeiros do Grupo dos sete países mais industrializados do mundo, que condena o programa nuclear de Pyongyang, e defendeu o desmantelamento deste fórum intergovernamental. O “G7, uma relíquia da Guerra Fria, deve ser desmantelado imediatamente”, afirmou Jo Chol-su, citado pela agência de notícias oficial norte-coreana KCNA.

       

      Pyongyang rejeitou ontem uma declaração conjunta dos ministros dos Negócios Estrangeiros do Grupo dos sete países mais industrializados do mundo (G7), que condena o programa nuclear de Pyongyang, e defendeu o desmantelamento deste fórum intergovernamental.

      Os responsáveis pela diplomacia de Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Reino Unido, Estados Unidos e União Europeia reiteraram o apelo à “completa desnuclearização da península coreana”, de acordo com uma declaração emitida na semana passada.

      Os responsáveis exigiram que Pyongyang renuncie às armas nucleares e condenaram as recentes transferências de armas do país para a Rússia, apelando aos dois lados para que “cessem imediatamente todas essas atividades”.

      Um responsável do Ministério dos Negócios Estrangeiros norte-coreano, Jo Chol-su, rejeitou “de forma resoluta” e condenou “muito veementemente” a declaração do G7.

      No ano passado, a Coreia do Norte qualificou o estatuto de potência nuclear do país de irreversível e afirmou repetidamente que não vai abandonar o programa nuclear, que o regime considera essencial para a sobrevivência do país.

      Os países membros do G7, em particular os Estados Unidos, têm “um historial vergonhoso, causando danos consideráveis à paz e à segurança internacionais”, sublinhou o alto funcionário norte-coreano, argumentando que a existência do grupo já não se justifica.

      O “G7, uma relíquia da Guerra Fria, deve ser desmantelado imediatamente”, afirmou Jo Chol-su, citado pela agência de notícias oficial norte-coreana KCNA. O responsável acusou o grupo de ser um “estrangulador da paz, um maníaco da confrontação e um mercador da guerra nuclear”.

      A Rússia e a Coreia do Norte, aliados históricos, estão ambas sujeitas a sanções internacionais: a primeira pela invasão da Ucrânia e a segunda pelos programas de armas nucleares e mísseis.

      A crescente cooperação militar entre Moscovo e Pyongyang é uma fonte de preocupação para a Ucrânia e os aliados, sobretudo depois de o líder norte-coreano, Kim Jong-un, se ter encontrado, em setembro, com o Presidente russo, Vladimir Putin.

      Na segunda-feira, os chefes da defesa dos EUA e da Coreia do Sul reviram, pela primeira vez numa década, um acordo estratégico de dissuasão militar para combater Pyongyang, numa altura em que os dois aliados intensificam a cooperação em matéria de defesa, em resposta às crescentes ameaças nucleares vindas do Norte. Lusa

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau