Edição do dia

Domingo, 3 de Março, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
12.9 ° C
15.9 °
12.9 °
88 %
4.6kmh
40 %
Dom
20 °
Seg
22 °
Ter
24 °
Qua
24 °
Qui
19 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Ásia Japão pede libertação de cidadão condenado a 12 anos de prisão na...

      Japão pede libertação de cidadão condenado a 12 anos de prisão na China por espionagem

       

      O Japão pediu ontem a libertação de um cidadão, cuja sentença de 12 anos de prisão na China por espionagem foi recentemente confirmada em recurso, num novo episódio das difíceis relações entre os dois países vizinhos.

       

      As autoridades japonesas exigiram ontem a libertação de um cidadão, cuja sentença de 12 anos de prisão na China por espionagem foi recentemente confirmada em recurso, num novo episódio das difíceis relações entre os dois países vizinhos. “Estamos cientes de que, em 3 de Novembro, foi confirmado em recurso um veredicto de 12 anos de prisão contra um cidadão japonês na casa dos 50 anos que está detido [na China] desde Julho de 2019”, disse o porta-voz do Governo japonês, Hirozaku Matsuno, em conferência de imprensa.

      “No que diz respeito à detenção de cidadãos japoneses na China, estamos a trabalhar com [as autoridades locais] para obter o rápido regresso ao nosso país e para assegurar a transparência do sistema judicial [chinês] a vários níveis e por vários meios”, acrescentou.

      Pelo menos 17 japoneses foram detidos na China desde que Pequim agravou a legislação antiespionagem em 2015, de acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros japonês.

      No mês passado, a embaixada do Japão em Pequim confirmou a detenção oficial na China de outro japonês, um executivo do grupo farmacêutico nipónico Astellas detido no país desde Março por suspeita de espionagem.

      Vários meios de comunicação social japoneses noticiaram recentemente que estava a ser preparada uma reunião bilateral entre o primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, e o Presidente chinês, Xi Jinping, à margem do fórum da Cooperação Económica Ásia-Pacífico (APEC), em que os dois chefes de Estado devem participar esta semana, em São Francisco (costa oeste dos Estados Unidos). “Para já, não há planos fixos” sobre este assunto, disse Matsuno.

      De acordo com a agência de notícias japonesa Jiji, que citou fontes governamentais nipónicas, se o encontro bilateral se confirmar, Kishida deverá levantar a questão dos japoneses detidos na China.

      Kishida deverá também discutir a suspensão das importações chinesas de produtos do mar do Japão desde a libertação de água tratada da central nuclear de Fukushima, no nordeste do país, para o oceano Pacífico, no final de Agosto.

      As relações sino-japonesas estão também envenenadas por numerosas outras questões, que vão desde os diferendos históricos às disputas territoriais no mar da China Oriental, sem esquecer a pressão exercida por Pequim sobre Taiwan e, de um modo mais geral, o crescente poder militar e influência da China na Ásia-Pacífico. Lusa

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau