Edição do dia

Terça-feira, 18 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
30.6 ° C
33.2 °
29.9 °
89 %
4.6kmh
40 %
Ter
31 °
Qua
31 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioÁsiaJapão revê em alta crescimento económico no primeiro trimestre do ano para...

      Japão revê em alta crescimento económico no primeiro trimestre do ano para 0,7%

       

      O Japão reviu ontem em alta a estimativa para o crescimento da economia no primeiro trimestre do ano, para 0,7%, em relação aos três meses anteriores, segundo dados preliminares divulgados pelo Governo nipónico. A estimativa é superior ao valor preliminar de 0,4% divulgado a 17 de Maio pelo Governo japonês e deve–se a um aumento superior ao inicialmente calculado no investimento de capital das empresas. De acordo com dados oficiais, os investimentos feitos pelas empresas japonesas entre janeiro e março subiram 1,4% em comparação com o último trimestre de 2022, uma revisão em alta do valor de 0,9% publicado em Maio. Esta variação compensou uma revisão em baixa, de um décimo, para 0,5%, da recuperação do consumo nos primeiros três meses do ano. O consumo é o principal motor económico do país, representando cerca de 60% da economia nipónica.

      Em comparação com o mesmo trimestre de 2022, o Produto Interno Bruto (PIB) japonês terá crescido 1,9%, mais seis décimos percentuais do que o inicialmente estimado. O PIB do Japão tinha crescido 1% durante o ano passado devido a uma diminuição do consumo. O governo japonês também baixou a estimativa para o investimento público feito durante os primeiros três meses de 2023, que, segundo os dados revistos de ontem, aumentou 1,5% em relação ao trimestre anterior, ante os 2,4% indicados no relatório preliminar. No final de Abril, o novo governador do Banco do Japão (BoJ) disse que a instituição vai manter a ampla estratégia de flexibilização monetária, que inclui taxas ultra baixas, porque a inflação ainda não é suficientemente forte para considerar a retirada destas medidas.

      Questionado se o BoJ está a considerar alterar o plano para controlar a curva de rendimento das obrigações do Estado, Kazuo Ueda disse que isto dependeria da evolução da economia, da inflação e de outros fatores. Contudo, tanto o governador cessante, Haruhiko Kuroda, como Ueda insistiram na necessidade de manter as atuais medidas de flexibilização, dada a situação da economia japonesa, e apesar da aceleração da inflação nos últimos meses devido principalmente à subida global dos preços da energia e das matérias-primas. O Japão registou um défice comercial recorde de 21,7 biliões de ienes (147,2 mil milhões de euros) no ano fiscal de 2022, que terminou a 31 de Março deste ano. As importações japonesas cresceram 32,2%, para 121 biliões de ienes (818,4 mil milhões de euros), um crescimento de 32,2%, duas vez mais rápido do que as exportações, que aumentaram 15,5% para 99,2 biliões de ienes (671,4 mil milhões de euros).

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau