Edição do dia

Sexta-feira, 12 de Agosto, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
26.9 ° C
27.1 °
25.9 °
89 %
2.6kmh
20 %
Sex
28 °
Sáb
30 °
Dom
30 °
Seg
30 °
Ter
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Política Deputados pedem fim das restrições fronteiriças com o interior da China

      Deputados pedem fim das restrições fronteiriças com o interior da China

      Os deputados à Assembleia Legislativa (AL) começam a pressionar as autoridades para que possa ser restabelecida a normalização das fronteiras com o interior da China. Leong Sun Iok, Wong Kit Cheng e Ma Io Fong dizem que o restabelecimento da fronteira com Zhuhai vai permitir o início da recuperação económica de Macau.

       

      Leong Sun Iok, Wong Kit Cheng e Ma Io Fong pedem o restabelecimento das fronteiras com o interior da China, de forma a dar início à retoma económica da região. Actualmente, recorde-se, quem vem do continente para Macau está isento de quarentena, no entanto, no regresso ao interior da China é obrigatório cumprir sete dias de observação médica em hotel mais sete dias de autogestão de saúde.

      “Espero que as autoridades possam coordenar com o continente para flexibilizar as restrições fronteiriças o mais rapidamente possível, de modo a que a economia e a sociedade de Macau possam recuperar mais rapidamente e voltar ao bom caminho”, lê-se num comunicado enviado às redacções por Leong Sun Iok.

      O deputado ligado à Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM) lembrou que, devido ao surto, os estabelecimentos foram obrigados a parar e a maioria das empresas suspendeu as actividades, o que “afectou o sustento das famílias”. Embora as empresas tenham retomado as suas operações, “a situação do emprego dos trabalhadores continua a ser preocupante, especialmente para os numerosos trabalhadores do interior da China, cujos meios de subsistência continuam a ser muito afectados devido à incapacidade de flexibilizar a política”.

      Na opinião de Leong Sun Iok, o fim da quarentena no regresso ao interior da China iria permitir “reduzir o impacto negativo na população trabalhadora”. “Considerando que o surto aumentou a pressão financeira sobre os residentes, esperamos que as autoridades possam ajudá-los de várias formas, restabelecendo a sua confiança no desenvolvimento e recuperando as suas forças o mais rapidamente possível”, apontou o deputado eleito pela via directa.

      Por outro lado, Leong Sun Iok diz que “Macau deve rever activamente a situação e comunicar com as regiões relevantes do Continente, de modo a promover o reconhecimento mútuo dos resultados dos testes de ácido nucleico entre Macau e outras partes do país o mais rapidamente possível, de modo a facilitar o acesso a Macau”.

      Também num comunicado enviado em conjunto por Wong Kit Cheng e Ma Io Fong, os dois deputados consideram que actualmente já há condições para restabelecer a passagem fronteiriça entre Macau e Zhuhai. Assim, sugerem que o Governo negoceie “activamente” com as autoridades do interior da China para que haja um “alívio das passagens fronteiriças após o período de estabilidade”.

      Ao mesmo tempo, dizem os dois deputados da Associação da Construção Conjunta de Um Bom Lar, “o Governo deve planear com antecedência os trabalhos de promoção turística, de modo a atrair turistas do continente para Macau durante as férias de Verão”. Ma Io Fong e Wong Kit Cheng dizem que o Governo deve fazer um balanço dos trabalhos de prevenção epidémica durante este surto, formulando um novo plano de resposta.

      No comunicado, os dois deputados eleitos pela via directa alertam que este surto mostrou que a transmissão do vírus na comunidade causa impacto “enorme” em toda a sociedade. Por isso, “ainda é necessária cautela mesmo que a epidemia entre numa fase estável”. Assim, os deputados pediram que os cidadãos de Macau continuem a cooperar com as medidas do Governo.

       

      PONTO FINAL