Edição do dia

Sexta-feira, 24 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva fraca
25.8 ° C
25.9 °
25.4 °
94 %
4.1kmh
40 %
Qui
26 °
Sex
26 °
Sáb
26 °
Dom
28 °
Seg
29 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioÁsiaManifestação contra presidente do Sri Lanka pelo segundo dia consecutivo

      Manifestação contra presidente do Sri Lanka pelo segundo dia consecutivo

      Centenas de manifestantes ocuparam pelo segundo dia consecutivo a entrada da Secretaria Presidencial do Sri Lanka para exigir a renúncia do Presidente, Gotabaya Rajapaksa, numa altura em que o país se encontra mergulhado numa crise política e económica. Apesar da chuva intensa, os manifestantes concentraram-se junto ao edifício do gabinete presidencial, na cidade de Colombo, entoando palavras de ordem antigovernamentais e apelando à dissolução do parlamento para que se dê “lugar a uma liderança mais jovem”, segundo relata a agência AP. Este é mais um dos muitos protestos que ocorreram no Sri Lanka, nas últimas semanas, contra a família Rajapaksa, que até agora era vista pela maioria dos cidadãos da ilha asiática como heróis nacionais. Em pano de fundo está o descontentamento generalizado no país devido à deterioração da economia, com grave escassez de divisas, restrições às importações e a incapacidade do Governo em fornecer bens essenciais como combustível, gás, medicamentos e alimentos. Este país insular, localizado no Oceano Índico, está à beira da falência, apresentando uma dívida externa de cerca de 25 mil milhões de dólares e uma diminuição das reservas externas. O Governo do Sri Lanka já teve de recorrer à China e à Índia para obter empréstimos de emergência e é expectável que até ao fim do mês inicie conversações com o Fundo Monetário Internacional. Os protestos liderados por jovens intensificaram-se na semana passada, depois de a polícia agredir manifestantes, quando estes tentavam entrar numa residência privada do Presidente, o que resultou na detenção de 53 pessoas. O Governo declarou uma Lei de Emergência em 1 de Abril, que dá amplos poderes às forças de segurança e à polícia, e que impôs um recolher obrigatório de 36 horas. Os manifestantes, que adotaram o ‘slogan’ “Go home Gota” (“Vai para casa, Gota”), responsabilizam o Governo pela crise económica. A crise económica sem precedentes do Sri Lanka é resultado, em parte, do alto endividamento do país, da recessão económica causada pela pandemia de covid-19 e de uma queda drástica na atividade turística, principal fonte de divisas. A esta conjuntura soma-se o excesso na impressão de dinheiro e a consequente depreciação da moeda nacional, promovida pelo Governo para fazer face os gastos públicos. Em Dezembro, o secretário do Ministério da Agricultura, Udith Jayasinghe, já tinha alertado para o risco de fome, devido à proibição da importação de agroquímicos decidida, há um ano, pelo Governo para economizar divisas.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau