Edição do dia

Terça-feira, 18 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva forte
30.7 ° C
33.7 °
29.9 °
89 %
4.1kmh
40 %
Ter
31 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioCulturaSJM anuncia aquisição do Centro Kam Pek para expandir domínio gastronómico da...

      SJM anuncia aquisição do Centro Kam Pek para expandir domínio gastronómico da empresa

       

      A SJM Holdings Limited anunciou um plano de duas aquisições estratégicas às subsidiárias da Sociedade de Turismo e Diversões de Macau (STDM), com o intuito de “reforçar a sua posição no mercado da restauração e fortalecer a sua presença no mercado de massas”, declarou a empresa. As duas transacções, que valem no total 197,5 milhões de dólares de Hong Kong, envolvem o Centro Cultural e Recreativo Kam Pek, que se situa na Avenida de Almeida Ribeiro, e as empresas NYH European e NYH Italian.

       

      Foi um investimento de 197,5 milhões de dólares de Hong Kong que a SJM Holdings Limited canalizou recentemente para concretizar o objectivo de “aumentar a sua liderança culinária e reforçar a sua presença no mercado de massas” em Macau. A concessionária de jogo comunicou na terça-feira duas aquisições estratégicas, nas quais está previsto o plano de renovação do Centro Cultural e Recreativo Kam Pek, que será transformado num centro de restauração.

      Ambas as transacções envolvem subsidiárias da Sociedade de Turismo e Diversões de Macau, S.A. (STDM). “Estas aquisições fazem parte da estratégia da SJM para diversificar a sua oferta de produtos não relacionados com o jogo, para capitalizar a sua experiência culinária e para construir um portfólio de conceitos de restaurantes experimentais de primeira classe sob a alçada da marca Lisboa, contribuindo para o estatuto de Macau como Cidade Criativa da Gastronomia”, afirmou.

      De acordo com uma nota de imprensa remetida pela SJM, na primeira transacção está em causa a aquisição do Centro Cultural e Recreativo Kam Pek, que está localizado na Avenida de Almeida Ribeiro, principal zona turística da Península de Macau e nas proximidades do Centro Histórico de Macau.

      O edifício de Kam Pek tem três andares, sendo locais de entretenimento, restaurantes e escritórios, tendo deixado de ter um casino desde a década de 1990, e assim foi convertido num centro de actividades.

      A SJM avançou que o edifício deverá ser remodelado e transformado num centro de restauração e bebidas, “servindo de âncora gastronómica num dos extremos da avenida San Ma Lo, com o Grand Lisboa e o Hotel Lisboa no extremo oposto”.

      O valor da transacção cifrou-se em 166 milhões de dólares de Hong Kong, sendo todo o financiamento feito através de recursos internos da empresa. Salientou ainda que o Centro Kam Pek tem uma “localização vantajosa” e espera-se que o projecto “crie sinergias” com o negócio do grupo em Macau, atraindo um fluxo de pessoas e uma base de clientes mais alargada, por meio de desenvolver um “centro gastronómico vibrante no coração da cidade histórica”.

      A operadora de casinos revelou ainda que gastou 31,5 milhões de dólares de Hong Kong na obtenção da propriedade total da NYH European e da NYH Italian, empresas subsidiárias da STDM que operam, respectivamente, os restaurantes da cozinha ocidental ‘EL&N’ e ‘Mamma Pizza’, no Grand Lisboa Palace Resort.

      Segundo a nota, a aquisição faz parte de uma iniciativa mais ampla de forma a optimizar o portfólio de restauração e bebidas no Grand Lisboa Palace, o que está em linha com a estratégia da SJM de atrair o mercado de massas com uma gama diversificada de restaurantes e cafés internacionais, realçou.

      A SJM, nesse sentido, defende que a aquisição permitirá ao grupo consolidar o controlo sobre a operação e alcançar uma maior eficiência na gestão de custos, estratégias de preços e qualidade de serviço, devendo assim aumentar o número de visitantes nas instalações de jogo e de não-jogo.

      Daisy Ho, presidente da SJM Holdings Limited e directora geral da SJM Resorts S.A., disse que o grupo procura aplicar a sua vantagem competitiva na alta gastronomia, assinalando que as duas aquisições “representam oportunidades ideais devido às localizações privilegiadas dos estabelecimentos, bem como à sua natureza complementar às operações actuais [do grupo]”.