Edição do dia

Sexta-feira, 19 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
28.3 ° C
28.9 °
26.5 °
79 %
9.3kmh
40 %
Sex
28 °
Sáb
28 °
Dom
25 °
Seg
24 °
Ter
26 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaChina proíbe estacionamento interior de motos eléctricas após incêndios

      China proíbe estacionamento interior de motos eléctricas após incêndios

      SEGURANÇA

      O Ministério da Gestão de Emergências da China anunciou ontem que vai proibir o estacionamento de motos eléctricas em recintos fechados, como medida para evitar incêndios provocados pelas baterias destes veículos, que se multiplicaram nos últimos meses. A medida vai ser aplicada em todo o país e afectará os milhões de utilizadores de motos eléctricas, segundo o jornal oficial Global Times.

      O anúncio surge menos de uma semana depois de pelo menos 15 pessoas terem morrido num edifício na cidade de Nanjing, no leste do país, após um incêndio que aparentemente começou no piso inferior, onde os residentes guardavam as bicicletas e motos eléctricas.

      O ministério afirmou que vão ser efectuadas “inspeções minuciosas” para detectar e eliminar os riscos e perigos relacionados com os incêndios, especialmente em edifícios residenciais altos.

      O aumento dos incêndios provocados por motociclos eléctricos em todo o país suscitou recentemente preocupações entre o público sobre a segurança das baterias destes veículos.

      Embora muitas cidades tenham estabelecido normas técnicas locais para a segurança das baterias de lítio utilizadas em motociclos eléctricos, ainda não foi implementada uma norma nacional obrigatória.

      De acordo com as estatísticas da Administração Nacional de Bombeiros e Salvamento citadas pelo jornal, houve 21.000 casos relatados de incêndios de veículos eléctricos em todo o país, em 2023, um aumento de 17,4% em relação a 2022, quando o número de tais incidentes cresceu 23,4% em relação ao ano anterior.

      O Presidente chinês, Xi Jinping, apelou no mês passado para que fossem feitos esforços para reduzir a frequência dos incêndios, “proteger a vida e os bens das pessoas” e a “estabilidade social”.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau