Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva moderada
34.3 ° C
34.3 °
34.3 °
77 %
6.1kmh
90 %
Ter
34 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioEconomiaVolume de negócios do sector da restauração cresce 57%

      Volume de negócios do sector da restauração cresce 57%

      Em Abril, o volume de negócios dos proprietários de negócios da área da restauração cresceu 57%, indicam os resultados do inquérito de conjuntura à restauração e ao comércio a retalho, divulgados ontem pela Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC). Destaque para o volume de negócios dos restaurantes ocidentais, cujo volume de negócios cresceu 134%.

      O volume de negócios do sector da restauração está a crescer. A Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC) publicou ontem os resultados do inquérito de conjuntura à restauração e ao comércio a retalho referente a Abril, que mostram que nesse mês o volume de negócios dos proprietários entrevistados da restauração cresceu 57%, face a Abril de 2022. De salientar o volume de negócios dos restaurantes ocidentais, que cresceu 134%. O volume de negócios dos restaurantes chineses aumentou 82,3%.

      Em comparação com o passado mês de Março, o volume de negócios dos proprietários inquiridos cresceu 1,9%. Face a Março, a DSEC destaca que o volume de negócios dos restaurantes ocidentais aumentou 6,8%, porém, o dos restaurantes japoneses e coreanos diminuiu ligeiramente 0,2%.

      Em relação às expectativas sobre o volume de negócios, 26% dos proprietários entrevistados da restauração projectaram que o volume de negócios para Maio do corrente ano crescesse em termos mensais, destacando-se que 36% dos proprietários dos restaurantes chineses anteciparam subidas mensais. Por seu turno, 26% dos proprietários da restauração anteviram decréscimos mensais no volume de negócios para Maio, salientando-se que a proporção dos proprietários dos restaurantes ocidentais foi de 30%.

      No que toca ao ramo do comércio a retalho, observou-se, em Abril, que o seu volume de negócios cresceu 73,5% em comparação com o mesmo mês do ano passado. A DSEC destaca que o volume de negócios dos relógios e joalharia, o do vestuário para adultos, bem como o dos artigos de couro aumentaram significativamente 125%, 114,4% e 101,3%, respectivamente.

      Já em comparação com o mês de Março deste ano, deu-se um aumento pouco significativo do volume de negócio dos retalhistas entrevistado, na ordem dos 0,2%. Realça-se que o volume de negócios dos automóveis e o do vestuário para adultos registaram crescimentos de 22% e de 10,3%, respectivamente, todavia, o volume de negócios dos produtos cosméticos e de higiene, bem como o dos relógios e joalharia diminuíram 7,2% e 4,1%, respectivamente.

      Os retalhistas também se mostram maioritariamente optimistas para o futuro. Cerca de 33% dos retalhistas entrevistados previram que o volume de negócios para Maio crescesse em termos mensais, realçando-se que a proporção dos retalhistas de produtos cosméticos e de higiene foi de 46%. Em sentido contrário, cerca de 20% dos retalhistas entrevistados anteviram decréscimos mensais no volume de negócios para Maio.

      Quanto ao índice de perspectivas de negócios, que reflecte a previsão dos proprietários e retalhistas entrevistados sobre a tendência da variação mensal do volume de negócios, a DSEC verificou que o do ramo da restauração (50,3) e o do ramo do comércio a retalho (56,7) foram ambos superiores a 50, isto é, “tanto os proprietários entrevistados da restauração como os retalhistas entrevistados anteviram que o desempenho dos negócios para Maio seria melhor do que o do mês em análise”. Neste inquérito participaram 229 proprietários de restaurantes e 161 do ramo do comércio a retalho.