Edição do dia

Segunda-feira, 26 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
13.9 ° C
15.9 °
13.9 °
77 %
6.2kmh
40 %
Dom
15 °
Seg
19 °
Ter
19 °
Qua
20 °
Qui
22 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Economia Coutinho pede apoios para negócios nas zonas menos turísticas

      Coutinho pede apoios para negócios nas zonas menos turísticas

      Ao mesmo tempo que se tem verificado uma recuperação económica da região, alavancada pelo regresso dos turistas, há zonas de sombra menos turísticas onde a retoma não chega. O alerta foi dado pelo deputado Pereira Coutinho, numa interpelação escrita enviada ao Governo, aproveitando para pedir mais uma ronda de cartão de consumo.

       

      José Pereira Coutinho interpelou o Governo sobre os “desafios da actividade turística” em Macau. Segundo o deputado, os benefícios da chegada dos turistas não chegam a todos.

      Lembrando que o crescimento económico das últimas décadas tem sido impulsionado pela indústria do jogo e do turismo, Coutinho apontou para esta era pós-pandemia dizendo que os turistas com menor capacidade financeira são atraídos para atracções mais populares. “No entanto, o seu impacto financeiro nessas áreas é bastante reduzido, comparativamente ao efeito inflacionário pelo aumento dos preços dos bens e serviços na localidade turística, prejuízos ambientais, congestionamento de veículos e de peões, lixo, e desgaste de infraestruturas”, assinalou.

      “Para além disso, e apesar de o turismo poder trazer benefícios económicos para as zonas turísticas, alvo preferencial dos visitantes, influenciados pelas informações difundidas através das redes sociais, é importante reconhecer que esse aumento também pode trazer desafios, especialmente quando se trata da distribuição dos benefícios gerados pelo turismo”, comentou, acrescentando que, por isso, “é importante que as autoridades competentes adoptem abordagens de gestão adequadas”, incluindo “medidas para garantir a distribuição equitativa dos benefícios do turismo, o desenvolvimento de estratégias de diversificação de atracções turísticas, a promoção de destinos menos conhecidos e a adoção de políticas de turismo sustentável”.

      Assim, o deputado questionou: “Que medidas pragmáticas irá o Governo implementar para apoiar o ‘pequeno negócio’ localizado nas zonas ‘não turísticas’ evitando o aumento do encerramento do número de estabelecimentos devido à falta clientes?”.

      O presidente da Associação dos Trabalhadores da Função Pública de Macau (ATFPM) também interrogou o Governo sobre se vai implementar medidas específicas “para apoiar as empresas afectadas pela diminuição da clientela, resultante da facilitação de circulação de pessoas e viaturas para o interior da China, e de outros desafios económicos, tais como as elevadas taxas de juro bancárias, adoptando medidas de apoio financeiro, incentivos fiscais ou outros tipos de assistência para ajudar as pequenas empresas a superar essas dificuldades”.

      Por fim, Coutinho interrogou o Executivo sobre se irá adoptar medidas para “mitigar o impacto do aumento dos preços dos bens essenciais e apoiar as famílias mais carenciadas e empresas afectadas, adoptando programas de assistência financeira, subsídios ou outros tipos de apoio directo ou indirecto, tais como a atribuição de uma verba de 8 mil patacas nos cartões electrónicos de consumo”.

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau