Edição do dia

Quarta-feira, 19 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva fraca
30.9 ° C
32.9 °
30.9 °
84 %
5.1kmh
40 %
Qua
31 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °
Dom
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeVisitantes do interior da China preferem Macau em detrimento de Hong Kong

      Visitantes do interior da China preferem Macau em detrimento de Hong Kong

      A maior facilidade de entrada na RAEM está a fazer com que a maioria dos turistas do interior da China decidam visitar Macau em detrimento de Hong Kong. Os visitantes do continente têm lotado as zonas mais turísticas da região.

      Após o levantamento generalizado das restrições epidémicas em Macau, a região tem visto o número de visitantes crescer exponencialmente, especialmente o número de visitantes do interior da China. Segundo o jornal de Hong Kong South China Morning Post (SCMP), os visitantes do continente preferem visitar Macau em detrimento da região vizinha.

      A razão para a preferência pela RAEM estará ligada à facilidade de acesso. Em Macau, a partir do dia 8 de Janeiro, quem entra no território vindo do interior da China não tem de fazer teste de ácido nucleico ou teste rápido de antigénio. O mesmo acontece para quem chega de Taiwan ou de Hong Kong.

      Em Hong Kong, a entrada para quem vem do interior da China não é tão fácil. Actualmente, os visitantes do continente têm de requerer presencialmente um visto turístico para entrar na RAEHK e, além disso, têm de reservar um horário para atravessar a fronteira, estando sujeitos à atribuição de quotas que dependem do número de indivíduos a entrarem em Hong Kong.

      O SCMP esteve nos pontos mais turísticos de Macau e verificou que a grande maioria dos visitantes era do interior da China. Um casal de Shenzhen, ambos na casa dos 40 anos, disse ao jornal que fizeram planos para uma viagem de três dias até Macau, tendo pedido o visto electrónico.

      “Costumávamos ir a Hong Kong algumas vezes por mês antes da pandemia. Muitos de nós [do continente] queremos visitar Hong Kong, mas precisamos de fazer uma marcação presencial para solicitar uma autorização. Tentei fazer uma marcação muitas vezes, mas estava sempre cheia”, explicou a mulher, trabalhadora da indústria financeira. “Macau agora é mais conveniente porque não há necessidade de um teste. É mais fácil obter uma autorização de Shenzhen com procedimentos mais electrónicos e automatizados”, salientou.

      O homem referiu que o ritmo de vida “mais lento” de Macau também os fez “sentir-se mais em paz e confortáveis”, apesar de terem demorado mais tempo a chegar. De Shenzhen a Macau, a viagem é de cerca de uma hora. Para Hong Kong, é de apenas 20 minutos.

      Um outro visitante de Zhuhai manifestou a mesma opinião, dizendo que obter um visto para visitar Hong Kong ainda é difícil e por isso escolheu Macau para passar alguns dias. “Macau é bom para visitar porque está perto e os procedimentos de imigração são fáceis”, afirmou ao SCMP. Uma outra mulher proveniente de Zhuhai disse preferir Hong Kong a Macau, no entanto, a facilidade de entrada fez com que decidisse fazer uma visita de três dias à RAEM.

      No passado fim-de-semana, recorde-se, Macau bateu o recorde de visitantes desde o início da pandemia. Sábado foi o dia em que mais visitantes chegaram a Macau desde o início da pandemia, há três anos. Segundo dados do Corpo de Polícia de Segurança Pública (CPSP), nesse dia entraram em Macau mais de 55 mil visitantes, com a larga maioria a ser proveniente do continente. As autoridades esperam que haja ainda mais visitantes durante os feriados do Ano Novo Chinês.