Edição do dia

Sábado, 22 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
28.9 ° C
29.9 °
28.9 °
89 %
4.6kmh
20 %
Sex
29 °
Sáb
30 °
Dom
30 °
Seg
30 °
Ter
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeProcura de viagens dos residentes mais do que duplicou nas agências de...

      Procura de viagens dos residentes mais do que duplicou nas agências de viagem locais

      O interesse em viajar para o exterior entre os residentes disparou recentemente com o alívio das restrições de circulação transfronteiriça. Nas agências de viagem de Macau registou-se este mês um crescimento duplicado na procura de bilhetes de voos e alojamento por parte dos cidadãos de Macau. Segundo as agências com as quais o PONTO FINAL falou, o Japão e a Tailândia são os destinos mais escolhidos dentro da Ásia, enquanto Portugal e França também tiveram muita procura. Por outro lado, existe uma pressão na disponibilização de voos durante o Ano Novo Lunar, e as restrições sanitárias para a chegada de turistas de Macau podem estar a diminuir a vontade de viajar.

      Ao fim de três anos de pandemia com restrições sanitárias de viagem, inúmeros testes de ácido nucleico e isolamentos nos hotéis, a reabertura da cidade ao exterior fez disparar o desejo de viajar entre os residentes de Macau. Ouvidas pelo PONTO FINAL, três agências de viagem locais referiram que estão a receber cada vez mais pedidos de informação turística do estrangeiro sobre bilhetes de voos e alojamento, tendo registado mais do dobro da procura de viagens.

      Para as agências de viagem, o aumento do número de consultas de viagem e reserva de transportes aéreos é muito “óbvio” e “acentuado”, uma vez que a situação de negócio era completamente diferente há cerca de um mês, quando Macau tinha acabado de anunciar o levantamento das restrições, o que deu origem a um surto de Covid-19 em grande escala na comunidade.

      “Houve recentemente muito mais pessoas a perguntarem sobre os voos e hotéis de outros países, bastante mais do que em Dezembro e no passado. Não tenho um número certo, mas o crescimento mais do que duplicou. Claro que isso também está relacionado com a chegada das férias do Ano Novo Lunar”, observou a funcionária da agência Sincerity.

      Segundo avançou, o Japão, a Tailândia e as Filipinas são os destinos mais populares pelos residentes para fazerem um passeio mais curto nos países asiáticos, enquanto a Itália e a França são actualmente os locais preferidos para viagens na Europa. “Mais pessoas compram bilhetes de voos para Portugal também, com ligações a Lisboa ou ao Porto, para visitar os familiares”, acrescentou.

      A retoma da circulação normal entre Hong Kong e Macau é vista paralelamente como uma facilitação de viagem para o exterior da população de Macau, dado que o Aeroporto Internacional de Hong Kong disponibiliza mais rotas aéreas do que Macau. “É frequente comprar voos que partem de Hong Kong, há mais escolhas e são mais baratos. O Aeroporto de Macau tem menos voos, menos ligações à Europa. Contudo, para voar para os Estados Unidos ou Canadá, a rota da Eva Air de Macau via Taipé para a América do Norte dá jeito”, explicou.

      Além disso, a porta-voz da agência notou que foi registada uma subida significativa nos preços dos bilhetes de avião, nomeadamente para as regiões vizinhas na Ásia, cujas viagens custam mais do que antes do surgimento da pandemia. Já os voos para Portugal, “depende dos períodos, de estação baixa ou época alta, podem custar cerca de seis a sete mil patacas, mas em alguns períodos o preço pode ser superior a 10 mil patacas”, frisou, acreditando que as companhias aéreas vão ajustar o preço com a normalização da disponibilidade dos lugares de voos. A agência de viagens recebeu também mais reservas de pacotes turísticos de famílias locais em relação à Disneyland de Hong Kong e ao Parque Chimelong de Cantão.

       

      VOOS LIMITADOS

      A agência de viagens EGL Tours também enalteceu o regresso das reservas de viagem por parte dos cidadãos de Macau, sublinhando que representam uma “melhoria de mais de 100%”, sendo que “a procura é elevada desde que Macau ajustou a política de isolamento e reabriu a outras países”. “A situação melhorou muito e é optimista”, afirmou Atdy Chau.

      A gerente da agência adiantou, no entanto, que a disponibilidade de voos está em pressão devido à aproximação do Ano Novo Chinês, tradicionalmente uma época alta de viagens. Outra razão é que foram cancelados anteriormente muitos voos por causa da instabilidade da situação epidémica, e não foram retomadas completamente as ligações.

      “Muitos residentes mostraram interesse em visitar o Japão, a Tailândia e Coreia do Sul, todavia, para o período da Semana Dourada, os lugares são actualmente limitados e difíceis de reservar”, salientou a responsável, indicando que até os voos a partir de Hong Kong nos primeiros dias do Ano Novo Lunar estão todos cheios, dado que os cidadãos de Hong Kong já planearam com antecedência viajar.

      Passeios turísticos pela Europa ainda não estão no plano para as férias do Ano Novo Chinês da maioria dos residentes de Macau, mas encontros com as famílias já é um caso diferente, tendo-se registado na agência mais marcações para viagens para Portugal, Reino Unido e França. “Mal começou a abertura, embora muitos tenham pensado em viagens individuais nos próximos feriados, é demasiado perto, pelo que é melhor agendar para a Páscoa e férias do Verão”, apontou.

      Quanto às excursões turísticas em grupo, a gerente revelou que a companhia vai realizar na próxima semana a primeira excursão, desde a pandemia, de Macau para a região de Tohoku, no nordeste do Japão, onde o destaque é apreciar as esculturas de gelo e a neve. “Apesar de as autoridades do Japão terem imposto restrições, os turistas de Macau são sujeitos a testes de ácido nucleico na chegada, os nossos clientes decidiram fazer a viagem na mesma. E vamos continuar a abrir mais excursões também”, detalhou.

       

      CHEGADA DE EXCURSÕES DE VISITANTES DE HONG KONG

      Com a sede principal de funcionamento em Hong Kong, a agência de viagens destacou que Macau é agora um dos destinos mais populares de visitantes de Hong Kong, pelas suas paisagens com características europeias e pela diversidade de gastronomia. Atdy Chau referiu que a empresa lançou em Hong Kong há alguns dias promoções de excursões para Macau e já foram estabelecidos com sucesso grupos turísticos, para fazer uma viagem de dois dias e uma noite, incluindo o alojamento em hotel e as refeições.

      A entrada de turistas no território fez também disparar os preços de quartos de hotel e Chau descreveu a situação como “a procura a ultrapassar a oferta”. “Estão a entrar turistas de Hong Kong, mas também do interior da China. Os hotéis locais têm falta de pessoal porque perderam muitos trabalhadores durante a pandemia. Os estabelecimentos hoteleiros podem não conseguir abrir todos os quartos devido à escassez do pessoal de limpeza”, apontou. Disse ainda que muitos hotéis estão cheios no Ano Novo Chinês, mas, sendo uma primeira oportunidade de negócio, os hotéis podem avaliar fornecer mais quartos disponíveis nesses dias.

       

      RESTRIÇÕES SANITÁRIAS REDUZEM VONTADE DE VIAJAR

      Já a porta-voz da agência de viagens New Sintra Tours manifestou-se relativamente conservadora com a situação de viagem dos residentes, embora também admita que se verificou um aumento superior a duas vezes na procura de voos e estadia. “Em comparação com o ano passado, é mais do que o dobro. Mas face ao tempo antes da pandemia, claro que a situação actual não tem uma recuperação total, ainda não voltou à normalidade da indústria”, frisou.

      Enfatizando que agora é apenas o início da retoma de actividades turísticas entre a população, Mandy, gerente da agência, apontou que as restrições para turistas de Macau nos países estrangeiros estão a afectar a vontade dos clientes. “Macau segue a política da China, portanto, o exterior trata-nos como uma chegada de turistas da China Continental. Alguns países europeus e das américas colocaram testes obrigatórios a pessoas locais, fazendo com que alguns clientes cancelassem o passeio turístico depois de ouvirem dizer que o tempo de espera de resultado de testes no aeroporto pode demorar até seis horas”, assinalou.

      A representante falou ainda sobre a entrada em Taiwan, que é considerado um dos destinos preferidos dos residentes, e cuja “emissão de vistos ainda não voltou à normalidade”, algo que está a preocupar os clientes.

      Recorde-se que Taiwan impôs, em Outubro do ano passado, restrições na emissão de vistos a pessoas das RAE e do Continente, que necessitam de vistos turísticos em grupo. No passado, os residentes de Macau podiam solicitar a emissão imediata, de forma online, do visto de viagem individual para entrar em Taiwan. De acordo com a informação, a aprovação actual dos vistos demora geralmente entre sete a dez dias.