Edição do dia

Quarta-feira, 5 de Outubro, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
30.9 ° C
32.9 °
30.9 °
74 %
4.1kmh
20 %
Qua
31 °
Qui
29 °
Sex
29 °
Sáb
29 °
Dom
29 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Economia Governo aprova propostas e promete atribuir concessões até ao final deste ano...

      Governo aprova propostas e promete atribuir concessões até ao final deste ano  

      O secretário de Administração e Justiça, André Cheong, reiterou aos jornalistas que pretende ter os resultados finais do concurso público para as novas concessões até ao final do ano. O desejo foi formulado pelo governante durante uma breve conferência de imprensa antes da abertura das propostas de sete candidatos para as seis concessões existentes. As candidaturas a concurso foram todas admitidas, embora a proposta da GMM tenha sido admitida condicionalmente.

       

      O Governo pretende cumprir o desejo anteriormente formulado de ter os resultados finais do concurso público para as novas concessões de jogo com a duração de 10 anos até ao final do ano. Ainda assim, o secretário para a Administração e Justiça, André Cheong, que é também presidente da Comissão do Concurso para a Atribuição das Licenças de Jogo, referiu, numa breve conferência de imprensa realizada na passada sexta-feira, antes da abertura das propostas de sete candidatos para as seis concessões existentes, que o processo de abertura das propostas leva o seu tempo e comentou que a comissão vai analisar as propostas e iniciar as discussões e consultas com as empresas na corrida. “Actualmente, não temos nenhum cronograma”, admitiu, deixando no ar o desejo de “que todo o processo de abertura de licitação e concessão seja concluído até o final deste ano”. As propostas foram posteriormente todas admitidas, embora a da GMM, ligada à Genting, tenha sido admitida condicionalmente.

      Instado a comentar se o Executivo abria uma excepção para beneficiar todos os sete concorrentes, o secretário para a Administração e Justiça, foi peremptório. Embora haja sete concorrentes, o Governo “só concederá seis concessões, de acordo com o que foi estipulado pelas instruções e leis do Chefe do Executivo, e não mais”.

      Recorde-se que os sete concorrentes são a Wynn Resorts, a Venetian Macau, a Melco Resorts, a MGM Grand Paradise, a Galaxy Casino, a SJM Resorts e a estreante GMM, uma subsidiária indirecta da Genting Malaysia. A cerimónia de abertura das propostas, na qual estiveram presentes altos executivos dos sete licitantes com a respectiva assessoria jurídica, mostraram-se confiantes na atribuição de uma concessão.

      À margem da abertura das propostas, Lawrence Ho, director-executivo da Melco Resorts, afirmou que a presença de um estreante no concurso “ressalta a perspectiva brilhante da cidade”. “O facto de existirem sete candidatos para seis licenças mostra que a indústria está confiante no desenvolvimento de Macau a longo prazo”, começou por dizer, lembrando e sublinhando que “os últimos dois anos desde a Covid-19 foram o período mais difícil da história da indústria no território.”

      O filho do falecido magnata Stanley Ho também está “muito optimista e confiante” com a proposta da empresa que gere. “Sempre apoiámos a visão do Governo de Macau em termos de desenvolvimento e diversificação de elementos não jogo. A Melco sempre teve o entretenimento no seu ADN, por isso tudo o que fazemos vai no sentido do entretenimento que é realmente a chave para atrair visitantes estrangeiros, por isso, quando pensamos em todas as coisas que já fizemos, como o House of the Dancing Water, a Roda Gigante ou o Parque Aquático, pensamos que essas coisas são realmente atracções que vão atrair visitantes estrangeiros”, sublinhou.

      Já a irmã Daisy Ho, líder da SJM Holdings, esquivou-se a comentar os concorrentes. “Não comento outros licitantes, mas a SJM está extremamente confiante, pois somos uma concessionária profundamente enraizada Macau. Continuaremos a lutar por oportunidades para apoiar a prosperidade e estabilidade do território”.

      Também Pansy Ho, directora-executiva da MGM China Holdings, referiu que a empresa que dirige desenvolve “muitas ofertas de entretenimento inovadoras para Macau, particularmente nas áreas de arte e cultura. No futuro, fortaleceremos esforços e desenvolveremos mais ofertas com base nos requisitos do Governo, como desporto e protecção ambiental”.

      Por fim, Linda Chen. A vice-presidente e directora-executiva da Wynn Macau também expressou confiança que a empresa mantenha a sua licença, apesar de rumores colocarem a empresa como a menos cotada para conseguir um lugar nos seis finais. “Esperamos contribuir para tornar Macau num centro internacional de turismo de lazer nos próximos 10 anos”, desejou, lembrando que a Wynn tem “experiência, história e esforços em Macau ao longo dos anos”.

      Recorde-se que os concorrentes têm, nas suas propostas, de detalhar como vão atrair jogadores e turistas estrangeiros, bem como explicar como irão desenvolver investimentos não relacionados ao jogo e assumir responsabilidades sociais corporativas, entre outros. A oferta de Genting para uma licença em Macau acabou por ser a grande surpresa de todo o processo, uma vez que muitos analistas da indústria vaticinaram que apenas os actuais titulares iriam concorrer às novas concessões.

       

      PONTO FINAL