Edição do dia

Sexta-feira, 24 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
aguaceiros fracos
25 ° C
25.9 °
24.9 °
100 %
2.1kmh
75 %
Sex
26 °
Sáb
26 °
Dom
28 °
Seg
28 °
Ter
27 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeTrabalhadores estão seguros em Macau, Taiwan e Israel, asseguram autoridades filipinas

      Trabalhadores estão seguros em Macau, Taiwan e Israel, asseguram autoridades filipinas

      Um relatório tornado público estes dias pelo Departamento de Trabalhadores Migrantes do Governo das Filipinas constata que milhares de trabalhadores migrantes filipinos continuam a trabalhar com segurança em territórios como Macau, Taiwan ou Israel, “três locais que estão sob estreita vigilância” das autoridades filipinas.

       

      As autoridades filipinas revelaram ontem que trabalhadores migrantes nacionais daquele país “estão seguros em Macau, Taiwan e Israel”. “A vida está a voltar ao normal, especialmente em áreas de alto risco para os nossos trabalhadores filipinos no exterior devido a eventos recentes em Taiwan e Israel”, disse a directora do Departamento de Trabalhadores Migrantes das Filipinas (DMW, na sigla inglesa), Susan “Toots” Ople, citada pelo jornal The Manila Times.

      A responsável acrescentou ainda que os compatriotas que estão radicados em Macau “estão de volta ao trabalho depois do levantamento da ordem de suspensão para negócios não essenciais”.

      No seu relatório ao DMW, o Consulado Geral das Filipinas em Macau afirmou ter entregado um total de 824 cestas básicas, bem como distribuído vales de supermercado no valor de 400 patacas a 8.319 beneficiários. De igual modo, os cerca de 70 filipinos que testaram positivo para Covid-19 no último surto no território também receberam 200 dólares norte-americanos (cerca de 1.600 patacas) como assistência financeira oriunda da Administração do Bem-Estar dos Trabalhadores no Exterior (OWWA, na sigla inglesa) do Governo filipino.

      Recorde-se que Macau sentiu na pele o pior surto de Covid-19 desde o início da pandemia durante todo o mês de Julho, tendo reaberto os serviços públicos e as instalações de entretenimento no início deste mês.

      Entretanto, conforme anúncio oficial das autoridades filipinas sediadas em Macau, um voo especial pago pelos empregadores deve devolver centenas de filipinos a casa no próximo dia 2 de Setembro.

      Em relação a Taiwan, Ople disse que o adido trabalhista filipino David Des Dicang conseguiu falar com 30 compatriotas dos 49 filipinos que residem na ilha de Kinmen, que fica a apenas seis quilómetros de Xiamen, na China continental, e a 300 quilómetros de distância de Kaohsiung, cidade do sul da Formosa. “Estão todos seguros e sob os cuidados dos seus empregadores”, revelou a responsável, fazendo alusão aos exercícios militares de Pequim junto da ilha, que tiveram fim na semana passada. “Espero que isso alivie as tensões na área. Ainda assim, instruí os nossos adidos em Taiwan a permanecerem vigilantes e disponíveis para os nossos compatriotas”, acrescentou a responsável, que bateu palmas ao recente aumento salarial anunciado pelas autoridades taiwanesas.

      Já em relação a Israel, Rodolfo Gabasan, do Gabinete Filipino de Emprego no Exterior em Israel, assegurou ao DMW que cerca de 200 trabalhadores filipinos nas cidades de Ashkelon, Ashdod e Sderot e áreas vizinhas perto de Gaza, estão seguros.

      Em 7 de Agosto, um acordo de cessar-fogo entre Israel e o Estado da Palestina intermediado pelo Egipto entrou em vigor. Ople admitiu também ter instruído os adidos trabalhistas Gabasan e Armi Evangel Peña do Gabinete Filipino de Emprego no Exterior na Jordânia a aproveitar o cessar-fogo para verificar o bem-estar e as condições de vida dos filipinos afectados. Até ao momento, os dois gabinetes relataram que todos os nacionais das Filipinas estão ilesos e continuam a trabalhar normalmente.

       

      PONTO FINAL