Edição do dia

Quarta-feira, 5 de Outubro, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
29.9 ° C
31.9 °
29.9 °
79 %
6.7kmh
20 %
Qua
30 °
Qui
29 °
Sex
29 °
Sáb
28 °
Dom
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Economia Gerência dos casinos da Doca dos Pescadores passa da Macau Legend para...

      Gerência dos casinos da Doca dos Pescadores passa da Macau Legend para a SJM  

      Segundo a nova lei do jogo em Macau, as promotoras de casinos-satélite perdem o pleno controlo das operações de jogo nos casinos. De acordo com a presidente da Fisherman’s Wharf International Investment, Melinda Chan, os contratos de subconcessão relativos aos dois casinos localizados na Doca dos Pescadores já foram prolongados até ao fim deste ano, no entretanto, a gerência dos mesmos recaíram nas mãos da SJM. Os elementos não-jogo, porém, manter-se-ão inalterados.

       

      A Macau Legend deixou todas as actividades relacionadas com o jogo em casino na Doca dos Pescadores. A SJM Holdings, que já tinha subconcedido a licença de jogo para dois casinos-satélite situados na Doca dos Pescadores, nomeadamente o Legend Palace Casino e o Babylon Casino, assumiu agora o pleno controlo das operações, segundo o GGRAsia, que citou a presidente da Macau Fisherman’s Wharf International Investment Limitada e directora executiva da Macau Legend, Melinda Chan. “A SJM toma conta do funcionamento do Legend Palace Casino e do Babylon Casino até 31 de Dezembro deste ano”, afirmou a responsável da Doca dos Pescadores, referindo-se ao actual período do prolongamento da subconcessão.

      De acordo com o GGRAsia, a SJM Holdings assumiu o controlo total das operações dos dois casinos que se encontram no complexo de entretenimento a partir de 27 de Junho, data referente ao início do prolongamento da subconcessão de jogo da SJM Holdings e das outras cinco concessionárias de jogo no território, que decorre até 31 de Dezembro, prevendo-se posteriormente o início de um novo conjunto de concessões na sequência do concurso público lançado a 29 de Julho.

      Recorde-se que, em Junho, foi anunciado que a SJM Holdings assumiria também o pleno controlo de outro casino-satélite no Grand Emperor Hotel, a partir de 27 de Junho até 31 de Dezembro de 2022, após o estabelecimento hoteleiro ter anunciado um plano de cessão das operações de jogo em casino a 26 de Junho. O casino tinha sido gerido até essa data ao abrigo de um acordo com a SJM Holdings.

      A nova lei do jogo de Macau aprovada pela Assembleia Legislativa em Junho define que os promotores de casinos-satélite do território só podem servir como “sociedades gestoras” das concessionárias, e vai ser proibido partilhar receitas das operações de jogo em casino. O novo modelo económico autorizado para esta disposição de gestão ainda está por esclarecer. No entanto, será permitido um período de transição de três anos para tratar de formalidades relacionadas com esta matéria.

       

      MACAU LEGEND MANTÉM ELEMENTOS NÃO-JOGO

       

      Segundo o GGRAsia, Melinda Chan também esclareceu que a SJM Holdings não iria assumir a responsabilidade dos elementos não-jogo na Doca dos Pescadores. Essas instalações “foram sempre operadas e geridas directamente pela Doca dos Pescadores e nunca mudou”, afirmou a responsável. A empresa gere nesse local as instalações de entretenimento não-jogo no Legend Palace Hotel, Harbourview Hotel e Rocks Hotel.

      A Macau Legend tem sido promotora de alguns casinos-satélite de Macau, também associada às operações de jogo em casino no Landmark Casino, dentro do Hotel New Orient Landmark. Recorde-se que, num relatório de resultados divulgado pela Macau Legend no final do mês de Junho, a empresa apresentou um prejuízo líquido de mais de 1,19 mil milhões de dólares de Hong Kong em 2021.

      Nesta terça-feira, a Macau Legend revelou que tinha alienado as obrigações da sua subsidiária Doca dos Pescadores com um montante de capital agregado de 200 milhões de dólares de Hong Kong. A empresa explicou que a venda tinha sido “à luz da situação do mercado”. A acção foi, entretanto, entendida como uma referência à situação actual do turismo em Macau no contexto dos surtos de Covid-19 no território e no interior da China.

       

      PONTO FINAL