Edição do dia

Quarta-feira, 19 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
29 ° C
29.9 °
28.9 °
94 %
3.6kmh
20 %
Ter
29 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeNúmero de toxicodependentes disparou 40% no ano passado

      Número de toxicodependentes disparou 40% no ano passado

      Em 2023, o número total de pessoas registadas no sistema de registo central dos toxicodependentes de Macau era de 119, o que reflecte um aumento de 40% face a 2022. Segundo os dados das autoridades, a droga mais consumida continua a ser o ice.

       

      No ano passado, constavam no sistema de registo central dos toxicodependentes de Macau um total de 119 pessoas. Este número reflecte um aumento de 40% em relação aos números de 2022.

      Os dados foram revelados na 1.ª Sessão Plenária da Comissão de Luta contra a Droga (CLD) de 2024, que se realizou na passada quinta-feira. As conclusões da reunião entretanto reveladas mostram ainda que, do total, cinco eram jovens com idade inferior a 21 anos, representando 4,2% do número total.

      Por outro lado, os dados do Instituto de Acção Social (IAS) mostram que, entre as drogas consumidas, a metanfetamina (ice) foi a mais consumida, o correspondente a 23,2%, seguida da canábis, com uma percentagem de 9,2%. No que diz respeito aos locais de consumo, mais de 70% dos toxicodependentes consumiram drogas em Macau e perto de 80% em locais relativamente ocultos, ou seja, em casa própria ou de amigos e em hotéis.

      O IAS recorda ainda que já este ano encomendou a uma terceira entidade a realização de um trabalho de investigação e de análise que consiste na recolha de opiniões junto das instituições que apresentam os dados de toxicodependentes, optimização do teor e do âmbito dos dados a apresentar, “de modo a que o sistema permita recolher dados mais concisos sobre a tendência da toxicodependência em Macau, dados que possam servir de referência para a elaboração das políticas de prevenção e tratamento da toxicodependência, assim como para o desenvolvimento dos respectivos trabalhos”.

      No comunicado, o IAS assinala que Macau foi convidada, pela primeira vez, para participar na propositura de candidatos ao Fórum da Juventude de 2025 da Comissão de Estupefacientes da ONU. Nesta conformidade, o IAS, a Direcção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude (DSEDJ) e as organizações não governamentais lançaram em conjunto o “Programa Internacional de Formação de Embaixadores Antidrogas para Jovens de Macau”. Na primeira fase de selecção deste programa, um total de 25 jovens foram seleccionados para participar na formação e na segunda fase de selecção, concluída em 26 de Maio, foram seleccionados três vencedores que terão oportunidade de serem nomeados pelo país como candidatos para participar no Fórum da Juventude de 2025 da Comissão de Estupefacientes da ONU.

      Recorde-se que, entre os dias 14 e 22 de Março deste ano, realizou-se, na sede da ONU, em Viena, na Áustria, a 67.ª sessão da Comissão de Estupefacientes da ONU. A RAEM organizou, pela primeira vez, representantes das organizações não governamentais na área de combate à droga para, como membros da delegação da China, participarem na referida sessão, tendo os mesmos, em articulação com o País, participado em várias reuniões bilaterais e exposições temáticas.

      Durante a sessão, foram divulgados junto dos participantes os esforços feitos ao longo dos anos para o desenvolvimento das diversas acções de prevenção e tratamento da toxicodependência em Macau, bem como os resultados obtidos. É de referir ainda a aprovação na presente sessão de um total de 23 substâncias e precursores sujeitos a controlo, das quais três substâncias tinham sido incluídas na lista de substâncias sujeitas a controlo regulado pela lei de Macau, tendo a CLD coordenado com os serviços competentes no sentido de iniciar o trabalho legislativo em matéria de controlo dessas substâncias.