Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nublado
33.2 ° C
33.2 °
33.2 °
78 %
5.2kmh
99 %
Ter
33 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeHo Ion Sang quer mais apoio tecnológico, ensino e profissional de língua...

      Ho Ion Sang quer mais apoio tecnológico, ensino e profissional de língua gestual em Macau

      Numa interpelação escrita, o deputado Ho Ion Sang questiona a reserva de profissionais para a interpretação da língua gestual em Macau, bem como o progresso da criação de uma base de vocabulário da linguagem gestual. Sublinhando que existem actualmente mais de cinco mil pessoas com deficiência auditiva no território, o deputado sugere que se desenvolva uma aplicação de telemóvel para facilitar a aprendizagem e a tradução da língua gestual com recursos à inteligência artificial.

       

      O deputado Ho Ion Sang está preocupado com a promoção do desenvolvimento do ensino e a interpretação da língua gestual, visto que quase um terço dos titulares do cartão de registo de avaliação de deficiência em Macau são portadores de deficiência auditiva. Para além disso, a utilização da língua gestual em Macau “continua a ser muito limitada” e o grupo “enfrenta muitos desafios e barreiras na sociedade, especialmente nos domínios da educação, da acessibilidade e da divulgação da informação”.

      De acordo com os dados do Instituto de Acção Social (IAS), citados pelo deputado, no final de Março deste ano, entre os titulares do cartão de registo de avaliação de deficiência, 5.256 são pessoas com deficiência auditiva, o que representa 29,4% do total.

      Ho Ion Sang notou que o número de intérpretes de língua gestual em Macau é reduzido, sendo também difícil recrutar pessoal desta área, pelo que a manutenção dos recursos humanos e a formação são ainda mais complicados.

      Numa interpelação escrita remetida à Assembleia Legislativa, o legislador disse esperar que as autoridades possam reforçar o apoio e alargar os subsídios às organizações de serviços sociais, de forma a sustentar a formação de quadros qualificados no domínio da interpretação da língua gestual. Para o deputado, o Governo deve promover uma cooperação mais estreita com as associações de serviços sociais e os centros de formação profissional para lançar workshops e cursos de língua gestual, ou até realizar exames de certificação nacionais da área.

      Além disso, segundo o responsável, na linguagem gestual existem diferenças regionais, tal como no caso das línguas comuns, mas que em Macau não há um sistema de língua gestual normalizado e localizado. “O Executivo, no futuro, vai seguir a prática de outros locais para estabelecer um sistema de acreditação de interpretação de língua gestual, e formular um conjunto de normas de formação para intérpretes de língua gestual no território?”, perguntou Ho, na esperança de a medida poder assegurar a qualidade de interpretação e atrair pessoas interessadas em ingressar ao sector.

      Ho Ion Sang propôs ainda o desenvolvimento de uma aplicação de aprendizagem da língua gestual dedicada a Macau, em que os utilizadores podem aprender a língua gestual “de forma diversificada e sem limite de horário de disponibilidade”. Uma outra proposta do deputado é o estabelecimento de uma plataforma de comunicação sem barreiras para os portadores de deficiência auditiva, através da utilização de tecnologia de inteligência artificial para a interpretação da língua gestual.

      O plano do Governo que pretende desenvolver uma base de vocabulário da linguagem gestual de Macau também chamou a atenção de Ho Ion Sang. É de notar que o Governo anunciou um plano de criar a mencionada base de vocabulário, mas o avanço do projecto foi adiado devido ao impacto da pandemia e as autoridades indicaram que estão a “acompanhar activamente” o trabalho. O parlamentar, também vice-presidente da União Geral das Associações dos Moradores, instou o Governo a esclarecer o andamento do projecto e a data prevista para abertura da utilização dessa base de vocabulário aos residentes.

      Recorde-se que o plano de desenvolvimento da base de vocabulário da linguagem gestual de Macau, segundo a informação do IAS, foi adjudicado em 2020, pela secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, à Chinese University of Hong Kong, por um valor de adjudicação de 2,77 milhões de patacas.