Edição do dia

Sábado, 25 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
26.4 ° C
28.2 °
25.9 °
94 %
4.1kmh
40 %
Sáb
27 °
Dom
26 °
Seg
27 °
Ter
29 °
Qua
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeBombeiros notam mais atenção do público para incêndios, apesar de haver mais...

      Bombeiros notam mais atenção do público para incêndios, apesar de haver mais casos

      As acções operacionais dos bombeiros de Macau registaram uma subida em geral no primeiro trimestre deste ano, com excepção das operações de salvamento. Os casos de incêndios e saída de ambulância continuaram a aumentar, em 5,8% e em 13% respectivamente. No entanto, as autoridades consideram que a vigilância para incêndios por parte dos residentes aumentou, uma vez que na maioria das saídas de incêndio não foi necessário o uso da mangueira. 

      De Janeiro a Março deste ano, o Corpo de Bombeiros (CB) registou um aumento de 7,29% no número de ocorrências com 2.078 atendimentos a mais em relação ao período homólogo do ano anterior. O número total de eventos passou de 12.020, no primeiro trimestre de 2023, para 14.098 casos no mesmo período de 2024.

      O CB divulgou ontem os dados de trabalho referentes aos primeiros três meses deste ano, revelando que o número total de saídas de incêndio foi de 254, o que representa um acréscimo de 14 casos em comparação com o mesmo período do ano anterior, cujo aumento foi de 5,83%. “Entre estes, contam-se 204 casos sem o uso de mangueiras, o que representa 80,31% do número total de saídas de incêndio, mostrando que a vigilância relativamente a incêndios por parte dos residentes aumentou”, refere a análise.

      Segundo as estatísticas, as principais causas dos incêndios deveram-se, tal como no passado, ao esquecimento de desligar os fogões, ao curto-circuito das instalações eléctricas, à queima de incensos e velas ou papéis votivos, fogos nus e falhas mecânicas ou de equipamentos, contando com 167 casos, o que representou 65,75% da saída total de incêndios.

      “O CB lembra aos cidadãos para desligarem os fogões e os aparelhos eléctricos antes de saírem de casa e abordem cuidadosamente as pontas de cigarro e os fogos nus no dia a dia, no sentido de evitar prejuízos patrimoniais provocados por incêndios devido a negligência”, alertou o organismo na nota de imprensa.

      Por outro lado, relativamente aos casos de saída de ambulância, contaram-se até Março 11.774 casos, correspondendo a 12.655 vezes de saída de ambulância. Verificou-se uma subida de 1.358 casos face ao mesmo período do ano transacto, cujo aumento foi de 13,04%.

      As autoridades referem que, partindo da análise, as causas da subida deveram-se principalmente ao aumento dos casos de leve indisposição com febre, tontura e dor de cabeça. Já os casos gerais de socorro lidaram essencialmente com tonturas, dores abdominais, febre, palpitações ou vómitos, o que provocou 6.505 casos, ocupando 55,25% do número total de saídas de ambulância.

      Neste caso, o CB recordam ao público que os recursos de ambulância são preciosos e limitados, pelo que devem focar-se em cidadãos com necessidades e prevenir a utilização abusiva dos serviços de ambulância. O organismo espera ainda que os condutores possam ceder a passagem aos veículos de emergência que estejam a executar funções para que os bombeiros possam realizar os trabalhos de socorro e emergência médica o mais rápido possível.

      O CB, de Janeiro a Março, procedeu também a 2.698 investigações e inspecções de segurança contra incêndios em 268 edifícios, envolvendo 1.707 moradores, tendo sido concluídos cinco procedimentos sancionatórios administrativos contra casos em que as situações não foram corrigidas depois de repetidas advertências. Desde a entrada em vigor da nova lei da segurança contra incêndios em edifícios e recintos, foram finalizados 39 casos, que se devem essencialmente à colocação de objectos diversos, sapateiras e motociclos nos caminhos de evacuação.

      O organismo adiantou que vai participar no exercício de protecção civil “Peixe de Cristal 2024” no dia 27 deste mês, e também lembra os cidadãos que se preparem antecipadamente contra fortes rajadas de vento e garantam a segurança das janelas, tabuletas e toldos, visto que Macau irá entrar na época de tufões.