Edição do dia

Domingo, 21 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva moderada
25.9 ° C
26.9 °
25.9 °
94 %
5.7kmh
40 %
Dom
25 °
Seg
25 °
Ter
25 °
Qua
25 °
Qui
29 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioPolíticaChefe renova pedido para que se proteja a segurança nacional e para...

      Chefe renova pedido para que se proteja a segurança nacional e para que se diversifique a economia

      Após assistir às sessões da Assembleia Popular Nacional e da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, em Pequim, o Chefe do Executivo partilhou algumas reflexões sobre aquilo que lhe foi transmitido pelo Governo Central. As orientações voltam a focar-se na salvaguarda da segurança nacional, no amor à pátria e na diversificação económica da região.

       

      Salvaguarda da segurança nacional, diversificação da economia, apoio ao Governo Central na abertura ao exterior, melhoria do bem-estar da população, reforma da Administração Pública e reforço do amor pela pátria. Foram estes os destaques que Ho Iat Seng retirou das sessões da Assembleia Popular Nacional (APN) e da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês (CCPPC), em Pequim.

      O Chefe do Executivo discursou ontem, numa sessão de transmissão do espírito das Duas Sessões, começando por dizer que, no ano passado, “o ambiente interno e externo foi extremamente complexo e difícil, porém, o país realizou novas conquistas importantes, os principais objectivos e tarefas de desenvolvimento económico e social foram concluídos com êxito e a construção plena de um País socialista moderno e forte deu passos sólidos”.

      Estes sucessos, na opinião de Ho Iat Seng, foram alcançados devido “ao comando do Presidente Xi Jinping e à orientação científica do seu pensamento sobre o socialismo com características chinesas na nova era”.

      “O desenvolvimento nacional é o maior suporte de Macau, proporcionando um amplo espaço e grandes oportunidades para o desenvolvimento de Macau. Estamos plenamente confiantes nas boas perspectivas do desenvolvimento nacional e no desenvolvimento futuro de Macau”, afirmou o Chefe.

       

      REFORÇO DA SEGURANÇA NACIONAL E CONTENÇÃO DAS “FORÇAS EXTERNAS”

       

      Depois de assistir às Duas Sessões em Pequim, o Chefe reflectiu sobre o que ouviu de Xi Jinping e do vice-primeiro-ministro Ding Xuexiang e destacou seis orientações. A primeira das quais tem sido repetida várias vezes pelas autoridades: “Devemos executar com precisão e firmeza o princípio orientador ‘um país, dois sistemas’ e consolidar a salvaguarda da segurança nacional”.

      “O princípio ‘um país, dois sistemas’ é a maior vantagem do desenvolvimento de Macau e a melhor forma para a manutenção da prosperidade e da estabilidade de Macau a longo prazo”, reiterou o Chefe do Executivo, exigindo a sua implementação “abrangente, precisa e inabalável”.

      É necessário também, segundo Ho, “salvaguardar com firmeza o poder pleno de governação do Governo Central, implementar com determinação o princípio fundamental ‘Macau governada por patriotas’, defender com perseverança a soberania, a segurança e os interesses de desenvolvimento do país”.

      “Mais vale prevenir do que remediar”, afirmou, acrescentando que a RAEM “deve salvaguardar firmemente a segurança, melhorar continuamente o sistema e o mecanismo de manutenção da segurança nacional, melhorar constantemente a respectiva capacidade e consolidar a defesa da segurança nacional”. “Deve ainda evitar e conter resolutamente a interferência de forças externas nos assuntos de Macau, prevenir e resolver os riscos financeiros e económicos e manter a boa tendência de estabilidade e prosperidade de Macau a longo prazo”, completou.

       

      ORDEM PARA DIVERSIFICAR

       

      Outra das orientações partilhadas pelo Chefe do Executivo também tem sido repetida ao longo dos anos pelas autoridades: a diversificação da economia da região. O Chefe do Executivo assinalou que este ano o Governo “consolidará e reforçará a sua vantagem e assumirá um papel mais importante na promoção eficaz do desenvolvimento da diversificação adequada da economia”.

      Ho salientou que irão ser implementadas as tarefas e os projectos prioritários, irá também ser acelerado “o cultivo e a expansão das indústrias emergentes”, bem como exploradas mais indústrias e aumentado o investimento na inovação científica e tecnológica e na investigação e desenvolvimento. Além disso, serão cultivadas e desenvolvidas novas produtividades na tecnologia de ponta e incentivada a transformação e a modernização das indústrias tradicionais com inovação científica e tecnológica, garantiu o Chefe.

      Sobre Hengqin, afirmou: “O Governo da RAEM irá manter firmemente o propósito original de explorar em Hengqin novas indústrias e serviços que promovam a diversificação adequada da economia de Macau, cumprir o espírito consagrado nas instruções importantes do Presidente Xi relativo à construção e exploração de Hengqin, aproveitar plenamente as vantagens resultantes do mecanismo especial de ‘separação de administração’, impulsionando a concretização de mais projectos inovadores, acelerando o desenvolvimento integrado de Macau e Hengqin”.

       

      “NOVA RONDA DE OPORTUNIDADES” COM A ABERTURA DO PAÍS

       

      Outro dos desígnios transmitidos pelo Chefe do Executivo foi o aproveitamento das vantagens de Macau para apoiar o país na expansão da abertura de alta qualidade ao exterior, que, segundo Ho, “traz uma nova ronda de oportunidades”. “A RAEM deve potenciar as suas vantagens únicas de um elevado grau de abertura, de uma convergência harmoniosa com as regras internacionais e de amplos contactos internacionais, de modo a alcançar um melhor desenvolvimento ao integrar se na conjuntura do desenvolvimento nacional”, esclareceu Ho.

      O Chefe disse ainda que, na 6.ª Conferência Ministerial do Fórum de Macau que deverá realizar-se em breve, Macau vai reforçar as funções da plataforma entre a China e os países de língua portuguesa, participar e apoiar na construção de ‘uma faixa, uma rota’ e promover o desenvolvimento de alta qualidade da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau.

      Além disso, será organizada uma série de actividades, como os encontro de Empresários para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa e serão realizadas as convenções e exposições, nomeadamente, o Fórum e Exposição Internacional de Cooperação Ambiental de Macau (MIECF) e o Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-Estruturas, “por forma a maximizar o papel de Macau como plataforma entre o mercado do interior da China e o mercado internacional”.

       

      FOCO TAMBÉM NO BEM-ESTAR DA POPULAÇÃO, REFORMA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E AMOR À PÁTRIA

       

      Por fim, o líder do Governo apontou mais três orientações de Pequim: optimizar o trabalho relacionado com a vida da população e melhorar o seu bem-estar; promover a reforma aprofundada da Administração Pública e melhorar a eficácia da governação; e consolidar e fortalecer o amor à pátria e a Macau.

      “O Governo da RAEM consolidará e promoverá os valores fundamentais do patriotismo e do amor por Macau, aprofundará continuamente a respectiva educação, apoiará as associações patrióticas e que amam Macau na potencialização do seu papel neste sentido, unirá os residentes e em conjunto com eles desenvolverá e fortalecerá o poder do patriotismo e do amor por Macau”, sublinhou, acrescentando que serão incutidos na geração mais jovem os “sentimentos nacionais”.

      Em conclusão, o Chefe do Executivo indicou que o Governo irá aproveitar as comemorações do 25.º aniversário da RAEM para “unir e liderar todos os sectores sociais de Macau a caminhar em conjunto, para serem pragmáticos e promissores, no sentido de alcançar novos progressos em todos os aspectos”.