Edição do dia

Quinta-feira, 22 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
neblina
21.9 ° C
25.4 °
20.9 °
100 %
3.1kmh
75 %
Qui
23 °
Sex
21 °
Sáb
20 °
Dom
21 °
Seg
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Hospital das Ilhas começa nova ronda de recrutamento de 80 profissionais

      Hospital das Ilhas começa nova ronda de recrutamento de 80 profissionais

      São 80 vagas para 25 cargos que o novo Hospital das Ilhas coloca agora no mercado de trabalho. O prazo de apresentação de candidaturas decorre até ao dia 9 de Janeiro, havendo vagas abertas para técnicos de radiologia, juristas, engenheiro de informação, pessoal administrativo e outros. A instituição entra hoje em funcionamento experimental.

       

      O novo Hospital das Ilhas, que abre hoje a porta ao público, vai avançar para a segunda fase de recrutamento, planeando contratar 80 trabalhadores em regime de contrato individual de trabalho do direito privado, envolvendo 25 cargos na instituição.

      A informação foi ontem anunciada pelo Gabinete Preparatório do Centro Médico de Macau do Peking Union Medical College Hospital/Hospital de Macau, indicando que os interessados terão um prazo de apresentação de candidaturas de dez dias úteis, período iniciado no dia 21 de Dezembro deste ano e que termina no dia 9 de Janeiro de 2024.

      De acordo com a tabela publicada pelo Governo, os cargos disponíveis para candidaturas incluem técnico de laboratório médico, técnico de radiologia, técnico especializado de física, pessoal jurídico, administrador hospitalar, engenheiro de dados e de informação, pessoal administrativo de recursos humanos, pessoal de relações públicas e de publicidade.

      O Hospital das Ilhas lançou a primeira ronda de recrutamento em Outubro, destinando-se também aos residentes, com o plano de admitir 90 trabalhadores incluindo  cinco médicos gerais, 50 enfermeiros de nível elementar, três farmacêuticos, seis técnicos de radiologia, seis ajudantes técnicos de farmácia, dez auxiliares de enfermagem e dez recepcionistas hospitalares.

      O Complexo de Cuidados de Saúde das Ilhas– Centro Médico de Macau do Peking Union Medical College Hospital, que vai funcionar sob a gestão conjunta do Governo de Macau e o Peking Union Medical College Hospital, do interior da China, vai hoje entrar em operação a título experimental, o dia em que assinala o 24.º aniversário do estabelecimento da RAEM.

      O “Hospital Macau Union” situa-se em Coloane e ocupa uma área de 76.000 metros quadrados, com uma área bruta total de cerca de 430.000 metros quadrados. Está equipado com 800 camas hospitalares e 26 salas de operações, número que é triplo do que possui o Centro Hospitalar Conde de São Januário. O complexo compreende o Hospital de Macau, o Edifício de Apoio Logístico, o Edifício Residencial para Trabalhadores, o Edifício de Administração e Multi-Serviços, o Edifício do Laboratório Central, entre outros. Durante a fase de funcionamento experimental, o Hospital Macau Union prestará serviços ambulatórios especializados e serviços de gestão da saúde.

      Lei Wai Seng, que lidera o gabinete preparatório do novo Hospital das Ilhas, afirmou que o Posto de Urgências das Ilhas do Centro Hospitalar Conde de São Januário será transferido para a nova instalação hospitalar em Coloane, que entrará em serviço amanhã às 10h, prestando serviço de atendimento de urgência 24 horas por dia.

      Citado pela Rádio Macau em língua chinesa, Lei Wai Seng destacou que a prioridade do novo hospital é desenvolver projectos de tratamento que Macau carece, incluindo radioterapia oncológica. “O Hospital adquiriu vários equipamentos médicos avançados, incluindo o sistema de radioterapia inteligente auto-ajustável por Inteligência Artificial para pacientes oncológicos, o que pode aliviar as complicações decorrentes do tratamento de radioterapia”, revelou.

      Por sua vez, Alvis Lo, director dos Serviços de Saúde, e Lei Chin Ion, vice-presidente da Comissão para o Desenvolvimento Estratégico do Hospital, disseram que a inauguração do novo hospital vai dar um impulso à indústria médica e de saúde local e contribuir à imagem positiva de Macau.