Edição do dia

Domingo, 3 de Março, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
12.9 ° C
15.9 °
12.9 °
88 %
4.6kmh
40 %
Dom
20 °
Seg
22 °
Ter
24 °
Qua
24 °
Qui
19 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade IAS já recebeu mais de 1.300 candidaturas para os 759 apartamentos iniciais...

      IAS já recebeu mais de 1.300 candidaturas para os 759 apartamentos iniciais da Residência para Idosos

      O chefe do Departamento de Solidariedade Social do Instituto de Acção Social (IAS) disse que na terça-feira já tinham sido submetidas 1.319 candidaturas para a Residência para Idosos, na Areia Preta. Choi Sio Un acrescentou que todos os que ficaram excluídos desta 1.ª fase de 759 apartamentos, ficam em lista de espera para as próximas fases. Estas irão sendo lançadas de forma faseada, para já sem datas específicas anunciadas.

       

       

      São ao todo 1.800 pessoas que tomaram a decisão de se candidatarem ao arrendamento de uma fracção habitacional no novo complexo residencial para idosos, na Areia Preta. As 1.319 candidaturas destes 1.800 interessados foram entregues na passada terça-feira. Números que Choi Sio Un, chefe do Departamento de Solidariedade Social do Instituto de Acção Social (IAS), vê como satisfatórios e prova de que a iniciativa “é uma solução adequada para os idosos interessados”.

      Em declarações ao jornal Ou Mun este referiu que a primeira fase de 759 unidades residenciais, cujas candidaturas arrancaram no dia 6 de Novembro, será encerrada até ao final do ano, mas espera-se que haja mais candidaturas. Choi Sio Un aproveitou ainda para assegurar que existe um mecanismo de lista de espera para aqueles que não conseguirem aceder a estes primeiros 759 apartamentos, e que estes são “automaticamente colocados na lista de espera para a fase seguinte”.

      Quanto ao número de apartamentos que serão disponibilizados na próxima etapa, assim como as modalidades de serviço, ainda nada se sabe, já que estas questões ainda estão a ser estudadas, mas o representante do IAS reconheceu que é improvável que todos os apartamentos sejam lançados de uma só vez, “uma vez que é necessário ter um projecto-piloto para compreender o funcionamento real, e há também desafios na gestão de todos os apartamentos”. “Esperamos aproveitar a primeira fase para fazer um balanço da experiência e melhorar a gestão destas questões no futuro”, referiu.

      O chefe do Departamento de Solidariedade Social estima que o número de candidaturas possa eventualmente vir a exceder a quota em duas vezes, apelando a quem esteja interessado em se candidatar a estes apartamentos que preste atenção à data final de encerramento quando esta for anunciada. Este quis, no entanto, esclarecer que como as candidaturas à Residência para Idosos são regulares, estes podem continuar a apresentar candidaturas após a data de encerramento da primeira fase.

      A análise das candidaturas estava inicialmente prevista para Maio de 2024, mas espera-se que o processo de análise possa ser concluído mais cedo. Por enquanto, não foi fixada uma data específica para anúncio dos resultados.

      A Residência para Idosos, composta no total por 1.815 fracções, situa-se na Avenida do Nordeste, na Areia Preta. A taxa de utilização dos apartamentos varia entre 5.410 e 6.680 patacas por mês por fracção, sendo que a área útil de cada a apartamento residencial é de 33,17 metros quadrados. Recorde-se que o Governo concedia uma redução de 20% ao valor dos primeiros 759 apartamentos, fazendo com que o valor mensal mais baixo da taxa de utilização seja de 4.328 patacas. Em Novembro, o director do IAS, Hon Wai, mostrou-se confiante em relação às 759 unidades lançadas na primeira fase, prevendo que as candidaturas fossem “ultrapassar o número de oferta”, uma vez que as instalações de ‘clubhouse’ e das casas “são todas pensadas ​​para as necessidades dos idosos” e “não há outros lugares que possam fazer isso tão bem”, argumentou.

      Segundo as disposições jurídicas da Residência para Idosos, o candidato tem de ser residente permanente da RAEM, ter completado 65 anos de idade e possuir capacidade de autocuidado para viver no domicílio, sendo que cada apartamento pode ser utilizado, no máximo, por duas pessoas.