Edição do dia

Domingo, 3 de Março, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
12.9 ° C
15.9 °
12.9 °
88 %
4.6kmh
40 %
Dom
20 °
Seg
22 °
Ter
24 °
Qua
24 °
Qui
19 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Cultura Sérgio Perez estreia curta-metragem sobre o início da pandemia no Festival de...

      Sérgio Perez estreia curta-metragem sobre o início da pandemia no Festival de Curtas no Teatro Capitol

       

      Inicialmente previsto para fazer parte de um projecto de vários realizadores que queriam documentar os primeiros meses da pandemia, a curta-metragem “Macau, In-Between” do realizador macaense vai agora ser apresentada pela primeira vez na cidade no dia 8 de Dezembro às 16h15, como parte do programa do 14.º Festival Internacional de Curtas de Macau, que decorre entre 5 e 13 de Dezembro no 4.º andar do Teatro Capitol.

       

      “Estávamos nós em 2020, nos primeiros cinco meses da pandemia aqui em Macau”, começou por contar Sérgio Perez ao PONTO FINAL. Foi em conversas com amigos realizadores espalhados pelo mundo que surgiu a ideia de fazer um projecto semelhante ao “Paris, je t’aime”, uma colectânea de filmes de diversos realizadores conceituados que contam histórias sobre Paris. A ideia era fazer o mesmo, mas centrado na pandemia, contando histórias de diversos cantos do mundo. Esse projecto acabou por não ter seguimento, “e houve várias pessoas que acabaram por não o fazer”. “Aqueles que fizeram, acabaram por eles próprios lançar os filmes separados”, recordou. Terminado o filme, Sérgio Perez diz que ficou “sem saber o que fazer com ele”.

      Filmado durante os cinco primeiros meses da epidemia, e com a duração de aproximadamente 10 minutos, o filme tem como figura central uma senhora que é dona de um restaurante macaense. “Na altura, a ideia que eu tive foi a de contar um dia na vida de uma personagem. A história serve para mostrar toda a envolvência em que estávamos naquela altura. Um momento de alguma tranquilidade, mas também de alguma incerteza, porque não sabíamos como iria ser o futuro. Esta personagem de alguma maneira reflecte isso”.

      Olhando para trás, o realizador gosta de recordar que no período em que foi filmado, este não fazia ideia de que a pandemia viria a ter repercussões tão dramáticas. “Nós aqui em Macau tivemos uma experiência um bocado diferente do que o que se passou lá fora, porque nós estivemos fechados. Quando concebi este filme não imaginava que aquela compilação iria ter histórias muito dramáticas, porque realmente o mundo sofreu muito, foi um drama humano imenso”, recordou.

      Na altura, a vida em Macau estava em suspenso, e os projectos que habitualmente ocupavam o calendário deste membro activo da comunidade macaense não puderam ser realizados nesse ano, lembrou, factor que o levou a entrar na aventura de realizar e produzir esta curta-metragem. “Esse ano, por causa da pandemia não tivemos o Patuá. Nessa altura do ano normalmente estou a fazer as curtas metragens dos Dóci Papiaçam com o Miguel [de Senna Fernandes] e o resto do pessoal, e então pensei, porque não fazer essa brincadeira?”.

      Agora, praticamente três anos depois, “Macau, In-Between” é finalmente apresentado na RAEM, num momento que o responsável acredita ser interessante. Por um lado, ao rever o filme, fica a sensação de que “parece que foi há tanto tempo”, partilhou, mas, por outro, existem “algumas coisas particulares que aconteceram naquela altura” que merecem ser revistas. “É um registo que fica”.

      Satisfeito com colaboração com a equipa produtora do festival de curtas do Creative Macau, Sérgio Perez revelou que quando tentou que o seu filme fizesse parte do festival, a equipa lhe comunicou que infelizmente este como já tinha mais de dois anos e não estava dentro do critério do festival, não poderia concorrer. Não obstante, a equipa arranjou forma de apresentar o filme. “Eles foram muito simpáticos, disseram que gostaram muito do filme e então criaram uma exibição à parte dentro do programa, mas fora de competição”.

      Entretanto, “Macau, In-Between”, filme que o criativo acredita dar “a perspectiva local do que se estava a passar numa linguagem simples, que as pessoas vissem bem”, foi bem acolhido por vários festivais do mundo, nomeadamente no Festival Internacional de Cinema de Salerno, cuja 76.ª edição, decorreu no ano passado. “Foi uma surpresa agradável”. Sérgio Perez explicou que, apesar de não ter nenhuma estratégia, optou por colocar a curta-metragem na Filmfreeway, uma plataforma online ajuda realizadores a colocarem os filmes em festivais. O filme acabou por ser seleccionado para o festival em Salerno e ainda outros interessantes, como o 2023 Universe Multicultural Film Festival, nos Estados Unidos, centrado em produções que reflitam elementos de multiculturalidade.  “E foi andando assim. Na altura também sentia que não estávamos no tempo certo, mas passados uns tempos, decidi tentar lançar o filme no Festival de Curtas de Macau”, recordou. “Macau, In-Between”, com o título em chinês que se pode traduzir por “Macau, 10 de Maio de 2020” conta como actores Isabela Pedruco e Herman Comandante e pode ser visionado no Teatro Capitol às 16h15 do dia 8 de Dezembro.

       

      CURTAS E MÚSICA

       

      De entrada gratuita, o 14.º Festival Internacional de Curtas de Macau é produzido pelo Instituto de Estudos Europeus através da Creative Macau. É composto por uma selecção oficial de mais de 100 curtas metragens de todo o mundo, e ainda de vídeos musicais. O certame anual é pelo terceiro ano consecutivo acolhido pelo Teatro Capitol, na Rua Pedro Nolasco da Silva. O programa do festival inclui filmes de ficção, documentário, animação e vídeos musicais, que irão compor as listas finalistas.

      O filme premiado “Empréstimo Bancário”, do realizador espanhol Alex Escudero, abre o festival na terça, dia 5 de Dezembro, às 18h, sendo antecedido de um concerto às 17h com Iat U Hong e Akatsuki Fukushima. No dia de fecho do festival, altura em que serão conhecidos os vencedores do festival, irá ainda decorrer outro momento musical com os FUNKROLLER feat. Jay Cuevas.

      Em nota, os organizadores do certame referiram que o evento “tem como maior objectivo proporcionar aos realizadores internacionais, uma plataforma cultural do cinema e da música actual, assim como a trocas de experiências profissionais e criativas com os seus pares de Macau. É-lhes proporcionado a exposição mundial das suas realizações fílmicas em Macau e de Macau”. O programa completo pode ser consultado em www.macauinternationalshortfilmfestival.com.