Edição do dia

Segunda-feira, 26 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
13.9 ° C
15.9 °
13.9 °
77 %
6.2kmh
40 %
Dom
15 °
Seg
19 °
Ter
19 °
Qua
20 °
Qui
22 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Turistas nas estradas geram preocupação. Infracções de peões dispararam este ano

      Turistas nas estradas geram preocupação. Infracções de peões dispararam este ano

       

      Ao longo deste ano, têm-se repetido situações em que turistas estão no meio da estrada a importunar o trânsito ou atravessam sem ser na passadeira para peões. A preocupação foi expressa por Lo Choi In numa interpelação escrita. Os dados revelados pelas autoridades na resposta confirmam o alerta da deputada: Entre Janeiro e Setembro deste ano, a média mensal de infracções cometidas por peões foi 203, ou seja, uma subida de quase 170% em comparação com o ano passado.

       

      Entre Janeiro e Setembro deste ano, o Corpo de Polícia de Segurança Pública (CPSP) instaurou, no total, 1.827 autuações contra infracções dos peões, o que perfaz uma média de 203 por mês. Em comparação com a média mensal de 2022, a subida é vertiginosa: quase 170%.

      Os dados foram revelados pela Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT), em resposta a uma interpelação escrita da deputada Lo Choi In, que se mostrava preocupada com os turistas que atravessam as estradas sem ser nas passadeiras e param no meio da estrada para tirarem fotografias, por exemplo.

      Os dados do CPSP mostram que as infracções de peões foram muito menores durante os anos de restrições pandémicas. Na totalidade do ano de 2022, foram registadas 914 infracções de peões, ou seja, uma média de 76 por mês. Em 2021, houve apenas 897, sendo a média mensal de 74. No ano de 2020 houve somente 671, o que perfaz 60 por mês. Em 2019, antes das restrições fronteiriças que afastaram muitos visitantes da cidade, registaram-se 2.088 infracções de peões, o que dá uma média de 174 por mês – ainda assim inferior à verificada este ano.

      Na interpelação, Lo Choi In faz referência a uma situação que ocorreu em Setembro, em que dois peões atravessaram a estrada, na zona do Cotai, sem estarem na passadeira, fazendo com que uma mota se despistasse e embatesse num outro veículo.

      “A situação do trânsito rodoviário e pedonal sofreu grandes alterações com a mudança e o progresso do tempo, por isso, a sociedade deve verificar se a actual legislação do trânsito consegue responder às necessidades do desenvolvimento social. Por outro lado, também deve dar importância à responsabilidade dos peões na salvaguarda da segurança rodoviária na legislação desta sociedade moderna”, afirmava Lo Choi In na interpelação, que pedia também às autoridades que tentassem sensibilizar mais os visitantes para não tirarem fotografias no meio da estrada.

      Na resposta, a DSAT adiantou que, para a revisão à lei do trânsito rodoviário a ser apresentada até ao final deste ano, foi feita uma análise e um aperfeiçoamento das regras a observar pelos peões quando atravessarem as ruas. A DSAT também frisou que as autoridades policiais aplicam “rigorosamente” as leis do trânsito, destacando regularmente pessoal para patrulhar os pontos turísticos mais visitados. “Caso os agentes policiais detectem peões a obstruir o trânsito ou a praticar actos que possam afectar a circulação de veículos, para além de aconselhar os peões a regressarem a um local seguro, irão também autuar as infracções, nos termos da lei, de modo a garantir a segurança dos utentes da via e a fluidez do trânsito”, afirma a DSAT.

      Relativamente às acções de sensibilização, a DSAT salienta que, entre Janeiro e Setembro deste ano, foram divulgadas mensagens de segurança rodoviária a cerca de 2.600 indivíduos e, em simultâneo, foram divulgados vídeos de sensibilização sobre a segurança rodoviária, através de painéis electrónicos nos postos fronteiriços, rádio, televisão, plataformas dos meios de comunicação social dentro dos edifícios e painéis publicitários nos autocarros, promovendo, por vários meios, a importância da segurança nas deslocações.

      Por outro lado, a Direcção dos Serviços de Turismo (DST) “tem vindo a divulgar informações turísticas, relativas aos usos e costumes e pontos turísticos de Macau, aos roteiros turísticos que não afectam a vida quotidiana dos residentes, bem como a alertar os turistas para prestarem atenção às regras de segurança rodoviária de Macau quando tirarem fotografias e não entrarem em lugares privados sem autorização, chamando a atenção para o cumprimento da legislação local e das respectivas disposições durante a sua estadia em Macau”, lê-se na resposta da DSAT.

      A deputada também perguntava se o Governo tem vindo a colaborar com as concessionárias de jogo no sentido de realizarem acções de divulgação sobre segurança e circulação nas vias públicas, por exemplo. A DSAT aponta que, nos primeiros nove meses deste ano, foram realizadas quatro palestras sobre segurança rodoviária destinadas ao sector hoteleiro, apresentando aos cerca de 500 trabalhadores hoteleiros a situação actual do trânsito de Macau, as causas frequentes dos acidentes de viação e os conhecimentos sobre a segurança na utilização das vias públicas, tendo como objectivo “reforçar o conhecimento dos trabalhadores hoteleiros sobre a situação do trânsito de Macau e elevar a consciência de segurança rodoviária”. Por fim, a DST pediu também às agências de viagens e guias turísticos que alertassem os condutores de autocarros de turismo para ficarem atentos à segurança rodoviária, incluindo a adopção de medidas adequadas para garantir a tomada e largada de passageiros em condições seguras, ao mesmo tempo, apela aos operadores turísticos a alertarem os turistas para prestarem atenção à segurança.