Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens quebradas
30.4 ° C
30.4 °
30.4 °
78 %
6.5kmh
83 %
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeEncontro das comunidades macaenses não se vai realizar este ano

      Encontro das comunidades macaenses não se vai realizar este ano

      O encontro das comunidades macaenses, que estava agendado para este ano, não se vai realizar. A informação foi adiantada por José Luís Sales Marques, presidente do conselho permanente do Conselho das Comunidades Macaenses, ao PONTO FINAL. Em causa, explicou, está o atraso na concessão do apoio por parte da Fundação Macau. O encontro da diáspora macaense fica adiado para 2024.

       

      Ao contrário daquilo que estava previsto, o encontro das comunidades macaenses não se vai realizar este ano, confirmou José Luís Sales Marques, presidente do conselho permanente do Conselho das Comunidades Macaenses, ao PONTO FINAL.

      No final de 2022, recorde-se, Sales Marques tinha indicado que a realização do encontro seria uma das prioridades do Conselho das Comunidades Macaenses para este ano.

      Segundo explicou agora Sales Marques, a não realização do encontro dos macaenses este ano justifica-se com a falta de apoios. O Conselho das Comunidades Macaenses fez o pedido do subsídio à Fundação Macau inicialmente em Dezembro de 2021, quando a ideia era realizar o encontro em 2022.

      “Houve sempre apoio do Governo a esta iniciativa e julgo que continua a existir esta intenção. Mas talvez ainda não seja possível conceder esse apoio porque a economia de Macau só agora começou a recuperar”, justificou Sales Marques, esclarecendo que o pedido de apoio “não se enquadra nos actuais esquemas de apoio da Fundação Macau”, o que faz com que este tenha de ser considerado um “caso especial”, pelo que nem sequer existe um formulário próprio para o efeito.

      “Não me parece viável apontarmos [a realização do encontro das comunidades macaenses] para este ano, na medida em que ainda há toda uma programação que é necessário fazer”, indicou. O encontro dos macaenses acontece habitualmente de três em três anos e deveria ter sido realizado em 2022, o que não aconteceu devido às restrições fronteiriças impostas no território. O encontro ficou, então, adiado para este ano.

      Uma vez que este ano também não será possível realizar o encontro, a organização aponta para 2024. “Esperamos ter essa possibilidade e que consigamos os apoios atempadamente para que isto se realize [em 2024]”, disse Sales Marques. O último encontro aconteceu em 2019. Na altura, participaram, no total, 1.313 convidados. Entre eles, houve 974 participantes provenientes da diáspora macaense.

      “Os nossos amigos da diáspora macaense estão todos ansiosos por voltarem a Macau, mas tudo isso depende do tipo de programa que podemos oferecer e nós oferecemos programas de ordem cultural”, comentou, salientando a visita que normalmente é feita à Grande Baía, a última das quais foi à cidade de Foshan. “Tudo isso tem de ser apoiado de uma maneira ou outra. Não havendo esse apoio não conseguimos fazer um programa digno”, afirmou o presidente do Conselho das Comunidades Macaenses, frisando que “o subsídio é fundamental porque há uma série de despesas da organização que são necessárias para que o encontro tenha efectivamente a dignidade que se pretende”.