Edição do dia

Sexta-feira, 14 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
29.2 ° C
30.9 °
28.9 °
94 %
3.6kmh
40 %
Sex
29 °
Sáb
30 °
Dom
30 °
Seg
30 °
Ter
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadePadre de Macau nomeado provincial jesuíta da China

      Padre de Macau nomeado provincial jesuíta da China

      Stephen Tong, nascido e criado no seio de uma família não católica, foi o escolhido pelo superior geral da Companhia de Jesus, Arturo Sosa, para liderar a província chinesa. O jesuíta Luís Sequeira fala em “escolha acertada” e deixa um voto de confiança a Stephen Chow que deixará as funções para se tornar bispo da região administrativa especial vizinha. “A situação de Hong Kong é muito exigente”, atira o português.

      O padre Stephen Tong foi nomeado pelo superior geral da Companhia de Jesus, Arturo Sosa, como o novo provincial da província chinesa dos jesuítas. Assumirá a sua nova função no próximo dia 1 de Novembro, Dia de Todos os Santos para a Igreja Católica.

      Tong irá suceder ao actual provincial, Stephen Chow, que o Papa Francisco, também ele um jesuíta, nomeou como o próximo bispo de Hong Kong, no passado dia 17 de Maio.

      A nomeação de Arturo Sosa mereceu a redacção de uma carta por parte de Stepen Chow, que agradece ao seu sucessor provincial. “Agradecemos ao Senhor por nos dar um novo provincial através da nomeação do superior geral. E devemos agradecer ao padre Stephen Tong pela sua generosa disponibilidade para esta árdua e desafiadora missão”, escreveu o novo bispo da região vizinha numa carta aos companheiros jesuítas da província chinesa, que inclui Macau, Hong Kong, toda a China continental e Taiwan.

      Quem também se mostrou satisfeito com a escolha “natural” de Stephen Tong foi o padre português Luís Sequeira. Ao PONTO FINAL, o carismático jesuíta mostrou-se “muito contente” até porque conhece o padre Tong “desde jovem” quando este fez a sua instrução primária no Colégio Matteo Ricci. “Tem um conhecimento muito grande da terra e somos bons amigos. Acredito que foi a melhor escolha”, rematou Sequeira.

      Luís Sequeira relembra o trabalho de Tong, principalmente nos últimos anos no Centro de Espiritualidade de Hong Kong onde “realizou um grande trabalho com leigos e com consagrados”. “A sua formação jesuítica é muito forte. Esteve em Singapura, Filipinas, Estados Unidos da América. E é muito conhecedor, não só de Macau, a sua terra, mas também de Hong Kong e de toda a região. Claro que a pessoa tem de mostrar capacidades, mas a sua escolha surge muito naturalmente.”

      O padre português de 72 anos, ordenado há mais de 50 anos, aproveitou para desejar a maior sorte ao novo bispo de Hong Kong. “Embora tenha ficado surpreso com a escolha do Papa, acredito que foi a melhor escolha. A situação de Hong Kong é muito exigente. Vivemos num contexto de ‘Um País, Dois Sistemas’ e a China segue na linha de se tornar uma superpotência do mundo, para além de ter uma enorme população. O trabalho não será fácil, mas nós jesuítas temos sempre de aceitar as escolhas como uma missão”, notou Luís Sequeira que lembrou que “todos sem excepção” têm de pensar num sentido construtivo a questão de “Um País, Dois Sistemas”, “tanto em Macau como em Hong Kong”.

      Sequeira rematou a conversa com o PONTO FINAL relembrando que os “jesuítas são homens de fronteira e nas fronteiras nem sempre tudo é claro”, por isso, “é preciso estarmos preparados para todos os cenários”.

       

      De não católico a provincial

      Stephen Tong nasceu e foi criado em Macau no seio de uma família não católica, sendo o filho mais novo de cinco irmãos. Terminou o ensino básico e secundário em Macau e foi baptizado antes de viajar para Taiwan para estudar engenharia civil, corria o ano de 1981. Seguindo o exemplo da sua irmã mais velha, começou a considerar um modo de vida católico e, em 1990, decidiu ingressar Companhia de Jesus, fundada em 1534 por Inácio de Loyola, juntamente com o francês Pedro Fabro, os espanhóis Francisco Xavier, Alfonso Salmerón, Diego Laynez e Nicolau de Bobadilla, e o português Simão Rodrigues.

      Ingressou no noviciado em Singapura e estudou Filosofia em Manila, nas Filipinas, seguindo-se dois anos de regência, durante os quais leccionou na Escola Católica Estrela do Mar, em Macau. Em 1996, iniciou os estudos de teologia no Holy Spirit Seminary College e foi, em seguida, ordenado diácono em 1999. Posteriormente, passou dois anos em Boston, nos Estados Unidos da América, para obter uma licenciatura em teologia. Foi ordenado sacerdote em Macau a 24 de Junho de 2000, e enviado a Manila para a sua primeira missão sacerdotal como director do pré-noviciado e sócio do mestre dos noviços. Desde então, o seu ministério envolveu a formação e a espiritualidade da Companhia de Jesus.

      Depois de terminar os estudos de terceiro grau em 2004, foi enviado para Hong Kong para ser o director da Casa Xavier situada na ilha Cheung Chau, onde conduziu retiros e ofereceu orientação espiritual. Tem servido como consultor provincial desde 2010 e como superior da comunidade jesuíta de Hong Kong desde 2012.