Edição do dia

Segunda-feira, 17 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
29.9 °
27.9 °
94 %
4.6kmh
40 %
Dom
28 °
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioCulturaAcadémica portuguesa Helena Buescu dá seminário online na UM  

      Académica portuguesa Helena Buescu dá seminário online na UM  

      Dividido em quatro sessões de duas horas cada, o evento versará em torno dos seis volumes de sete que compõem a obra “Literatura-Mundo Comparada: Perspectivas em Português”, da qual a oradora convidada é a principal coordenadora.

       

      O Centro de Investigação para Estudos Luso-Asiáticos (CIELA) do departamento de Português da Universidade de Macau (UM), promove, de 18 a 21 de Outubro, um seminário aberto online intitulado “Literatura-Mundo em Português”, organizado e apresentado pela escritora e professora Helena Buescu, docente da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

      Composto por quatro sessões de duas horas cada, o seminário é baseado em torno dos seis volumes de sete que compõem a obra “Literatura-Mundo Comparada: Perspectivas em Português”, da qual a oradora convidada é a principal coordenadora. A discussão será sempre das 19h às 21h (horário de Macau). Em Portugal, acontecerá entre as 12h e as 14h, e no Brasil das 8h às 10h, através de ligação ZOOM no link https://umac.zoom.us/j/8312593315.

      Embora realizado principalmente em modo de apresentação, cada sessão incluirá algum tempo para discussão de perguntas e respostas entre a oradora e os participantes, conforme está escrito num comunicado de imprensa enviado pelo director do CIELA, Mário Pinharanda Nunes, ao PONTO FINAL.

      Na primeira sessão do seminário, no dia 18 de Outubro, a autora vai tentar explicar o que é o projecto. Trata-se de uma “realização” pessoal e profissional, “um projecto antológico” que se divide em três grandes partes. “Quase 5.000 páginas para apresentar a dimensão mundial de um projecto translatório em português”, onde serão dados alguns exemplos de traduções de Adonis ou Bei Dao.

      Para a segunda sessão, no dia 19 de Outubro, Helena Buescu vai abordar o tema “Lusofonia, seus limites críticos”. A académica falará do ponto de vista “em português” como forma de escapar ao monolinguismo e ao monolitismo cultural, dando exemplos de autores tão diferentes como Machado de Assis, Gonçalo M. Tavares ou Luís Cardoso. Tempo haverá para se discorrer sobre aquilo a que a autora se refere como sendo as tradições de diálogo Este-Oeste com escritores como Milton Hatoum, Raduan Nassar ou Tatiana Salem Levy. E ainda a noção de escala com Nirvana Tanoukhi.

      Nas últimas duas sessões, a ter lugar no dia 20 de Outubro, o ponto de discussão parte de uma “perspectiva comparatista”. A docente da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa procurará explicar o que considera ser o espectro que vai desde o bilateral ao multilateral, folheando as obras de José Eduardo Agualusa ou Bernardo Carvalho.

      O textualismo e equilíbrio entre “close” e “distant reading”, a desfamiliarização como forma de ler diferente. O conceito da boa vizinhança, preconizado por Aby Warburg, bem como as características da semi-periferia “em português”, as diversas faces do cosmopolitismo com a revisão e, ainda, o “canibalismo” cultural – uma metáfora do modernismo brasileiro – e sua múltipla leitura, são os aspectos que Helena Buescu irá aprofundar.

      Helena Buescu, nascida em Lisboa há 66 anos, é professora de Literatura Comparada e Literatura Portuguesa na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Ao longo da sua carreira académica tem vindo a colaborar com algumas das mais prestigiadas universidades internacionais nos Estados Unidos da América, em diversos países da Europa, no Brasil e em Macau. É membro da Academia das Ciências de Lisboa e da Academia Europaea, tendo recebido vários prémios pelos seus ensaios. Actualmente dirige o projecto “Literatura-Mundo Comparada: Perspectivas em Português”, tendo publicado até à data seis de sete volumes, todos com chancela da editora Tinta-da-China, em Portugal. É igualmente poetisa e ensaísta, com livros publicados tanto em Portugal como no estrangeiro. Faz também parte de várias comissões de avaliação portuguesas e europeias. Venceu o Prémio Vergílio Ferreira 2022, atribuído pela Universidade de Évora. A sua obra “O Poeta na Cidade: A Literatura Portuguesa na História”, de 2020, ganhou o Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho, da Associação Portuguesa de Escritores (APE). Participou, em 2018, no Festival Literário de Macau – Rota das Letras.