Edição do dia

Terça-feira, 9 de Agosto, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
27.9 ° C
27.9 °
26.9 °
83 %
5.1kmh
20 %
Seg
28 °
Ter
28 °
Qua
29 °
Qui
28 °
Sex
29 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Quarentena de 7+7 só é viável depois de se experimentar a opção...

      Quarentena de 7+7 só é viável depois de se experimentar a opção 10+7, garantiu Leong Iek Hou

      A médica referiu ainda que o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus está a estudar como será encarada a questão dos sete dias de autogestão de saúde: se os indivíduos ficam em casa ou se podem circular. As autoridades sanitárias do território também anunciaram ontem novas medidas no processo de entrada de trabalhadores não residentes no território.

      A chefe da Divisão de Prevenção e Controlo de Doenças Transmissíveis dos Serviços de Saúde, Leong Iek Hou, garantiu ontem, na habitual conferência de imprensa semanal do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus sobre o ponto de situação da Covid-19 no território, que “uma observação médica de 7+7, sete dias em hotel designado mais sete dias em autogestão de saúde, só será viável depois de se experimentar a opção 10+7, anunciada recentemente pelo Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, como sendo uma possibilidade já para as férias de Verão. “Para já essa é a ideia. Primeiro vamos implementar 10+7 e, analisando, veremos se será possível passar para uma quarentena de 7+7”, referiu a médica.

      Reiterando que o objectivo dos Serviços de Saúde é de “tentar garantir a saúde de todos e causar menos impactos na vida social, Leong Iek Hou explicou ainda que está em estudo como se processará o tempo de sete dias autogestão de saúde, se em casa ou se a pessoa pode circular. “Quando ocorrer a redução anunciada, os sete dias de autogestão de saúde também podem sofrer alterações. Estamos a estudar o que aplicar. Contudo, até ao momento, não temos mais detalhes sobre o assunto”, acrescentou a médica dos Serviços de Saúde.

      Recorde-se que na China continental existem diversas modalidades de observação médica que passam pelos 10+7 ou pelos 7+7, sendo que, dependendo da cidade ou região, os sete dias de autogestão de saúde também diferem. “Tudo dependerá da situação de Macau na altura”, atirou a médica, sem mais nada acrescentar.

      As autoridades sanitárias do território também anunciaram ontem novas medidas no processo de entrada de trabalhadores não residentes no território. A chefe da Divisão de Prevenção e Controlo de Doenças Transmissíveis dos Serviços de Saúde explicou que as novas medidas, de carácter mais ou menos burocrático, também abrangerão os familiares dos trabalhadores em questão.

      Uma das medidas passará pela oportunidade que os TNR têm agora de entrar em Macau através da China continentalsem pedir autorização prévia às autoridades locais. Ao mesmo tempo, também podem entrar via Hong Kong, Taiwan e outros destinos estrangeiros apenas com o requerimento do empregador.

      Mais detalhes estarão disponíveis a partir do dia 17 de Junho, sendo que os requerimentos podem ser realizados a partir do dia 24 de Junho, explicou a responsável dos Serviços de Saúde.

      Leong Iek Hou referiu ainda que, desde 27 de Maio, o Governo recebeu um total de 100 requerimentos de entrada para TNR em Macau, sendo que desses 55 já foram aprovados, 40 foram rejeitados e cinco cancelados pelos próprios. De igual modo, chegaram até às autoridades locais um total de 54 pedidos familiares de pessoas com BIR de Macau que pretendem entrar no território, que estão todos ainda em análise.

      O Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus divulgou ainda que o posto de vacinação de Mong-Há deixará de funcionar a partir da próxima segunda-feira, dia 13 de Junho, “uma vez que a procura tem vindo a decair de semana para semana”, explicou Leong Iek Hou.

      Foram ontem diagnosticados sete casos importados de infecção assintomática, uma família proveniente do Uganda, e um homem vindo do Estados Unidos da América, bem como dois casos de recaída em duas mulheres provenientes de Portugal. Todos os casos foram encaminhados para o Centro Clínico de Saúde Pública situado no Alto de Coloane para isolamento médico. Até ao momento, foram registados em Macau 83 casos confirmados de Covid-19 e 171 casos de infecção assintomática.

      PONTO FINAL