Edição do dia

Quarta-feira, 22 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva fraca
26.3 ° C
27.6 °
25.9 °
94 %
2.1kmh
40 %
Qua
26 °
Qui
27 °
Sex
27 °
Sáb
27 °
Dom
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioEconomiaCasino do hotel Grand Emperor fecha em Junho

      Casino do hotel Grand Emperor fecha em Junho

      O Grand Emperor Hotel anunciou, na noite da passada sexta-feira, o encerramento do seu casino a partir de Junho deste ano. No seguimento, a deputada Ella Lei pediu à concessionária responsável e ao Governo que tomem a iniciativa para garantir o emprego no mercado local daqueles afectados por esta medida. A legislação sobre a alteração da lei do jogo, recorde-se, está em curso. O novo diploma prevê que as actividades de exploração de jogos em casinos têm que estar instaladas em propriedades que pertençam às concessionárias, com um prazo transitório de três anos, sendo que tem havido alguma preocupação que estas alterações venham implicar o encerramento de alguns casinos-satélite.

      Uma nota de comunicação divulgada pelo Grand Emperor Hotel na noite do dia 1 de Abril refere que, por deliberação do seu Conselho de Administração, o grupo irá cessar as actividades de exploração de jogo a partir de 26 de Junho de 2022. Segundo o comunicado, a licença para a operação do casino da unidade hoteleira surge no seguimento do contrato de concessão da Sociedade de Jogos de Macau (SJM), cujo acordo de serviço terminará no dia 26 de Junho.

      A medida foi justificada tendo em conta o ambiente de negócio actual devido à situação epidémica causada pela Covid-19 ao longo dos últimos dois anos, o que resultou em perdas contínuas em seis meses consecutivos entre o período compreendido entre 31 de Março de 2021 e 30 de Setembro de 2021. O Conselho de Administração considera que o futuro do mercado do jogo de alta gama é “sombrio” e defende que esta é a “melhor decisão” que “beneficia os interesses da empresa e de todos os accionistas”.

      Segundo a Allin Media, a decisão de encerramento do casino irá afectar mais de 500 empregados ligados ao Grand Emperor Hotel. Uma parte dos trabalhadores já foi informada sobre a resolução do contrato, porém, o grupo ainda não revelou mais detalhes sobre a programação dos trabalhos afetados. Actualmente, o casino do hotel Grand Emperor possui 49 mesas de jogo e 180 ‘slot-machines’. O valor total das fichas trocadas foi de mais de 13 milhões de patacas no mês passado.

      Além da operação das actividades de jogos em casino, o grupo também exerce a actividade de hotelaria, designadamente os apart-hotéis The Unit e Mori Mori, o Emperor Hotel em Hong Kong, Grand Emperor Hotel e Inn Hotel em Macau. Os primeiros três foram recém-adquiridos pelo grupo em Maio do ano passado com o objectivo de diversificar e expandir a base de receitas, acrescenta a nota de imprensa.

      Durante os seis meses entre 31 de Março de 2021 e 30 de Setembro de 2021, a actividade de hotelaria, que representou 33% da receita total, só correspondeu a 20% da perda total. O grupo realçou que ainda está numa situação financeira “forte” e “estável”, recordando que, até 30 de Setembro de 2021, os saldos das contas bancárias e caixas do grupo foram de 940 milhões de dólares de Hong Kong. O Conselho de Administração procura a “oportunidade adequada” para “fazer o bom uso de recursos financeiros”, visando expandir a sua actividade hoteleira. Em virtude do “posicionamento estratégico” de Hong Kong e de Macau no âmbito da Área da Grande Baía, os administradores do grupo salientaram que mantêm uma atitude positiva para o futuro a longo prazo da indústria hoteleira após o relaxamento das medidas de contenção de redução de contágios e abertura de fronteiras com a antiga colónia britânica.

       

      Desemprego preocupa

      No que concerne à onda de desemprego susceptível provocada pelo fecho do casino, a deputada ligada à Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM), Ella Lei, instou a concessionária a prestar assistência aos trabalhadores, possibilitando a movimentação dos empregados afectados para outros casinos para a garantia dos seus empregos. Além disso, a parlamentar eleita por via indirecta frisou que é fundamental reforçar a comunicação e esclarecer os empregados sobre a respectiva programação com a maior brevidade possível. Ella Lei observou que, como o grupo indicou que a actividade de hotelaria será mantida, e a unidade hoteleira tem um grande número de trabalhadores não-residentes, a empresa poderá movimentar os trabalhadores residentes afectados para preencher outras posições do hotel.

      Segunda Ella Lei, devido ao impacto da epidemia e à alteração sofrida pelo sector de jogo, muitos desempregados vieram da indústria dos jogos de fortuna ou azar nos últimos meses. No final do ano passado havia menos 1.774 trabalhadores a tempo inteiro na indústria do jogo em comparação com o período homólogo do ano anterior, e 758 deles assumiam o cargo de croupier.

       

      Mais casinos-satélite na lista

      De acordo com o jornal Ou Mun, sete casinos-satélite estão a considerar uma possível suspensão das operações de casino até ao segundo semestre do ano devido ao constrangimento na emissão de vistos para turistas visitarem Macau, à falta de fluxo de caixa e ao impacto negativo dos repetidos surtos epidémicos. Apesar de ainda não ter sido confirmado, a deputada alertou que o Governo deve tomar a iniciativa de se inteirar sobre a situação e fazer planos adequados para ajudar os trabalhadores afectados caso surjam problemas. Por outro lado, a parlamentar pede que o Executivo assegure o cumprimento de responsabilidade social corporativa das concessionárias para garantir o emprego e evitar o agravamento do desemprego.

      Para Ella Lei, a situação de desemprego em Macau é considerada “grave”. Com mais de dois anos de duração de crise da saúde pública, todos os sectores têm sido afectados. Trabalhadores de diversas indústrias, incluindo construção, restauração, serviços e administração, foram submetidos a demissões em massa, alguns deles ainda não conseguiram encontrar emprego e têm vivido sob grande pressão, assinalou Ella Lei.

      A deputada reconheceu que a atribuição da comparticipação pecuniária antecipada e a nova ronda de cartões electrónicos de consumo podem prestar apoios às famílias desempregadas e responder às suas necessidades imediatas. O Governo deve assegurar que na contratação de trabalhadores pelas entidades patronais será dada prioridade aos trabalhadores locais, sobretudo no domínio de obras e serviços públicos. Através da implementação dos programas de formação e de estágio remunerados, elevam-se as competências técnico-profissionais dos trabalhadores e aumentam-se as oportunidades de mudança de emprego e de contratação com sucesso dos residentes locais, de modo a efectivamente resolver o problema grave de desemprego, frisou Ella Lei.

      Numa nota de imprensa divulgada ontem à noite, a Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL) afirmou que está atenta à ocorrência, adiantando que já entrou em contacto com a unidade hoteleira e a concessionária responsável para o acompanhamento oportuno. A DSAL enalteceu ainda que cabe à concessionária a responsabilidade para a programação de trabalho referentes aos empregados de casino.