Edição do dia

Domingo, 19 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva moderada
25.9 ° C
26.9 °
25.9 °
83 %
6.7kmh
40 %
Dom
25 °
Seg
24 °
Ter
25 °
Qua
25 °
Qui
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeFDCT financiou mais de 10 milhões a 26 projectos de investigação...

      FDCT financiou mais de 10 milhões a 26 projectos de investigação científica contra a pandemia

      Foram apresentados ontem os resultados de cinco dos 26 projectos aprovados com apoio financeiro concedido pelo Fundo para o Desenvolvimento das Ciências e da Tecnologia, no âmbito do programa lançado em Fevereiro de 2020 que visava financiar projectos de investigação científica de resposta à Covid-19. De acordo com o presidente do FDCT, o valor atribuído foi superior a 10 milhões de patacas, e alguns resultados de investigação foram já colocados no mercado e industrializados.

       

      Em termos do programa específico de apoio financeiro competitivo para combater a Covid-19, lançado na altura do surto da pandemia há dois anos, o Fundo para o Desenvolvimento das Ciências e da Tecnologia (FDCT) revelou ontem que foram aprovados 26 projectos, com um valor de apoio financeiro concedido de mais de 10 milhões de patacas.

      À margem da Sessão de Relatório dos Projectos Encerrados de Investigação Científica de Resposta à Covid-19, o presidente do FDCT, Chan Wan Hei, adiantou que a maioria dos projectos de resposta à pandemia recebeu um financiamento variado entre 200 mil e 300 mil patacas, sendo que o valor limite máximo foi de 500 mil patacas. “Os 26 projectos aprovados já estão encerrados, mais de dez projectos têm potencial para serem implementados, alguns estão em fase de desenvolvimento pela segunda vez, e os resultados de alguns projectos foram colocados no mercado”, destacou Chan Wan Hei. O responsável acrescentou que, por enquanto, não há plano para lançar uma segunda fase do mesmo programa de financiamento.

      De acordo com o FDCT, o programa foi estabelecido especialmente tendo como objectivo “reforçar a capacidade local de prevenção, controlo e tratamento de doenças infecciosas novas e emergentes, e fornecer um apoio tecnológico forte”, e receberam um total de 74 projectos candidatos de instituições de ensino superior e empresas tecnológicas de Macau.

      Relativamente aos projectos aprovados, o objecto de investigação científica é principalmente a tecnologia de detecção e diagnóstico rápido, desenvolvimento de medicamentos de medicina tradicional chinesa e ocidental com efeitos especiais, tecnologia informática na detecção de temperatura corporal, robot que ajuda na desinfecção, bem como medidas contra doenças infecciosas.

      Durante a sessão de ontem foram apresentados ao público os resultados de cinco projectos, incluindo dois realizados pelas equipas da Universidade de Macau (UM), dois de grupos da Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau, e um da Companhia de Tecnologia de Nanometais de Macau, Limitada.

      Ao ser questionado sobre mais detalhes da implementação da tecnologia desenvolvida nos projectos nos trabalhos antiepidémicos na RAEM, Chan Wai Hei começou por salientar que a competência do FDCT é apoiar o estudo e desenvolvimento tecnológico, pelo que o organismo espera que todos os resultados possam ser aplicados no território. “A implementação final e a questão sobre se os resultados podem anexar-se aos trabalhos contra a Covid-19 em Macau é da competência dos Serviços de Saúde e tem a ver com a sua decisão profissional. O que podemos fazer é promover a investigação”, disse, apontando que alguns produtos desenvolvidos já estão a servir a comunidade.

      O responsável mostrou-se contente com o resultado do programa, e considerou que o valor de financiamento não foi elevado, pois os resultados finais foram satisfatórios.

      Entre os projectos, o “Robot Inteligente Médico Antiepidémico”, desenvolvido pela equipa de investigação liderada pelo professor Xu Qingsong da UM, já foi testado e usado em vários serviços públicos, como o Instituto para os Assuntos Municipais, no Hospital Kiang Wu e em hotéis. Segundo o FDCT, sobre este aparelho de tecnologia de inteligência artificial que pode fazer a desinfecção rápida e regular em vários espaços, várias empresas pretendem realizar a implementação e produção em massa do robot, “o que ajudará a promover o nível de industrialização de Macau e da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau”, afirmou.

      Foram também apresentados ontem os produtos do projecto de “Preparação e industrialização de pasta e filme de desinfecção antibacteriana à base de nano prata”, lançados pela equipa de investigação liderada por Lei Zhen, da Companhia de Tecnologia de Nanometais de Macau, Limitada, cujos produtos já entraram na fase de produção em massa e comercialização.

       

      PONTO FINAL