Edição do dia

Sexta-feira, 24 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
aguaceiros fracos
25 ° C
25.9 °
24.9 °
100 %
2.1kmh
75 %
Sex
26 °
Sáb
26 °
Dom
28 °
Seg
28 °
Ter
27 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeLíder da Tak Chun detido por suspeitas de envolvimento na exploração...

      Líder da Tak Chun detido por suspeitas de envolvimento na exploração ilícita de jogo

      Após o caso de detenção do patrão do grupo Suncity, Alvin Chau, mais dois empresários locais foram detidos por suspeita de operações de jogo ilegais e branqueamento de capitais. A Macau Legend Development Ltd confirmou ontem que um dos detidos é o seu co-presidente, Levo Chan, também director da Tak Chun. A Polícia Judiciária revelou que o caso está relacionado com apostas ilícitas online e apostas secretas, tendo já confiscado 4,1 milhões de dólares de Hong Kong num escritório da empresa no NAPE. O Ministério Público impôs ontem a medida de coação aos dois detidos, e Levo Chan encontra-se em prisão preventiva.

       

      O líder do grupo Tak Chun, Levo Chan, foi detido pelas autoridades policiais de Macau por suspeita de estar envolvido num grupo criminoso que fazia operações de jogo ilegais e branqueamento de capitais. A Polícia Judiciária (PJ) anunciou ontem que foram detidos dois suspeitos na sequência duma investigação contínua na sequência do caso que envolveu Alvin Chau, que foi detido no final de Novembro do ano passado por acusações semelhantes.

      Na conferência de imprensa realizada ontem de manhã, a PJ não quis divulgar a identidade completa dos suspeitos, revelando apenas que um detido é um empresário residente de 49 anos, de apelido Chan, e outro de 34 anos, de apelido Choi, igualmente empresário. No entanto, um comunicado emitido no site da Macau Legend Development Ltd, pelo presidente David Chow, veio confirmar que Levo Chan, o actual director da Tak Chun e também co-presidente da Macau Legend, foi detido pela PJ. A Macau Legend assinalou na sua nota que o caso não terá impacto na operação diária da empresa, sendo um “assunto pessoal” de Levo Chan.

      Relativamente ao outro detido, segundo o Inside Asian Gaming, o suspeito é Billy Choi, patrão do grupo Ying Hai, conhecido por prestar serviços de transporte, alojamento e venda de bilhetes de concertos à Tak Chun.

      Segundo o porta-voz da PJ, as autoridades policiais detectaram que os dois indivíduos estariam envolvidos na exploração ilícita de apostas online e operação de apostas “debaixo de mesa”, ou seja, sem fiscalização e muitas vezes envolvendo valores elevados. Levo Chan terá sido o principal operador das alegadas actividades de jogo, enquanto Choi prestava auxílio no negócio, segundo as autoridades.

      Após análise e investigação, a polícia realizou uma operação na passada sexta-feira e interceptou os dois residentes num hotel no NAPE que, no entanto, se recusaram a cooperar no interrogatório, adiantou a PJ. Nas buscas domiciliares no Cotai e no escritório situado no NAPE foram confiscados vários computadores e servidores, bem como 4,1 milhões de dólares de Hong Kong.

      Na ocasião, as autoridades recusaram divulgar mais detalhes sobre a exploração de jogo e as contas em pormenor da alegada lavagem de dinheiro visto que o caso “ainda está em investigação policial”. No entanto, as autoridades acreditam que apesar de serem grupos diferentes, existem fortes indícios que as detenções de Alvin Chau e Levo Chan estarão relacionadas. A PJ reiterou ainda que tem vindo a recolher provas desde 2019.

      Os dois detidos foram encaminhados para o Ministério Público (MP) ontem de manhã com acusações dos crimes de Exploração ilícita de jogo, Branqueamento de Capitais e Associação Criminosa. Conforme informações actualizadas na imprensa em língua chinesa ontem à noite, o MP já instaurou a medida de coação aos dois suspeitos. Levo Chan foi transferido para o Estabelecimento Prisional de Coloane onde ficará em prisão preventiva, e Choi está sujeito a obrigação de apresentação periódica e proibição de saída do território.

      Recorde-se que, além de Alvin Chau, que liderou o grupo Suncity, mais dez pessoas foram detidas em Novembro no mesmo caso, na sequência de um mandado de detenção emitido pelas autoridades da cidade de Wenzhou, na China Continental, que acusou o grupo de ter actividades ilícitas de jogo transfronteiriço, tendo criado ao mesmo tempo uma plataforma online de jogo de azar nas Filipinas e outros locais.

      A Suncity também confirmou o encerramento imediato das actividades da empresa, bem como todas as suas operações de salas VIP, em Dezembro do ano passado. O impacto negativo do incidente levou ainda várias operadoras de jogo a suspenderem a relação de cooperação com os promotores de jogo. Segundo informações anteriormente divulgadas pelas autoridades, Alvin Chau está em prisão preventiva.

      Quanto ao grupo Tak Chun, fundado em 2007, trata-se de uma das maiores empresas de ‘junkets’ em Macau, tendo um volume de troca de fichas nas suas salas VIP que ultrapassou o do grupo Suncity em Outubro de 2021.

      Recorde-se que no final do ano 2020, um caso na cidade de Wuxi, na província de Jiangsu, acusou a Tak Chun de estar envolvida com algumas pessoas do Continente num esquema de jogos de azar na China, ocorridos sobretudo em formato online, tendo a empresa fornecido um site de transmissão de jogo ao vivo duma sala VIP em Manila e ainda uma conta de apostas, envolvendo mais de 210 milhões de renminbis.

       

       

      PONTO FINAL