Edição do dia

Quinta-feira, 27 de Janeiro, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
21.3 ° C
22.7 °
20.9 °
83 %
2.6kmh
20 %
Qui
21 °
Sex
20 °
Sáb
19 °
Dom
16 °
Seg
14 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Universidade de Macau promove discussão sobre variedades de português

      Universidade de Macau promove discussão sobre variedades de português

      Numa altura em que a língua portuguesa tem sido alvo de discussões xenófobas, principalmente nas redes sociais em Portugal, envolvendo alguma da comunicação social daquele país, com muitos a defenderem a existência de um português como sendo o correcto, a Universidade de Macau procura mostrar que afinal não é bem assim. Três sessões realizadas em formato online vão procurar debater algumas das muitas variedades da língua que não é apenas de Camões.

      O Centro de Investigação de Estudos Luso-Asiáticos (CIELA) da Universidade de Macau (UM) organiza, entre os dias 3 e 17 de Dezembro, a primeira edição da sua série “Variedades de Português e Línguas de Contacto de Base Lexical Portuguesa ao Redor do Mundo”, anunciou ontem a instituição de ensino superior em nota de imprensa enviada às redacções.

      As palestras estão organizadas em três sessões distintas. Amanhã, dia 3 de Dezembro, terá lugar uma sessão dedicada às “Variedades do Português de São Tomé e Príncipe” tendo como palestrantes os professores Gabriel Antunes, da UM, Ana Lívia Agostinho, da Universidade Federal de Santa Catarina, no Brasil, e Amanda Macedo Balduíno, da Universidade de São Paulo, igualmente no Brasil.

      No dia 10 de Dezembro, também a uma sexta-feira, é tempo de discutir sobre os “Crioulos asiáticos de base lexical portuguesa: o português do Sri Lanka e o papia cristang”. Para escalpelizar o assunto, os oradores convidados são Hugo Cardoso e Patrícia Costa, investigadores do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa, em Portugal, e Hans-Jörg Dohla, professor da Universität Tübingen, na Alemanha.

      O último dia de palestras acontece no dia 17 de Dezembro com uma sessão dedicada à “Língua portuguesa em Angola”, que terá como palestrantes a professora Márcia Oliveira, da Universidade de São Paulo, no Brasil, e Eduardo dos Santos, académico da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, no Ceará, igualmente no Brasil.

      Cada sessão procurará focar-se, assume o CIELA, nas realidades linguísticas e ecologias sociolinguísticas de uma região ou país relativamente a uma ou mais variedades de português e/ou de crioulos de base-lexical portuguesa, sejam eles africanos ou até mesmo asiáticos, revela ainda o director do CIELA, Mário Pinharanda Nunes, na mesma nota de imprensa.

      A organização pretende que os respectivos resumos das sessões possam ir sendo disponibilizados à medida que acontecem, na página do centro em https://ciela.fah.um.edu.mo, assim como na página do departamento de Português da UM em https://fah.um.edu.mo/department-of-portuguese/events.

      O CIELA disponibilizou ainda os horários finais das palestras sendo que a primeira sessão terá lugar pelas 20h30 (hora de Macau), 12h30 (hora de Portugal), 9h30 (hora do Brasil); a segunda sessão acontece pelas 18h (Macau), 10h (Portugal), 7h (Brasil); por último, a terceira palestra volta a repetir os horários da primeira: 20h30 (Macau), 12h30 (Portugal) e 9h30 (Brasil). Todas as sessões são de livre acesso e realizadas online na plataforma digital ZOOM em:  https://umac.zoom.us/j/93458074389.

      Recorde-se que, recentemente, alguma imprensa portuguesa escreveu “brasileiro” referindo-se à língua falada naquele país da América do Sul, o que gerou alguma polémica, principalmente nas redes sociais, com uns a defenderem a ideia da existência de duas línguas distintas, em vez de duas normas da mesma língua: o português do Brasil e o português europeu.

      DEIXE UMA RESPOSTA

      Por favor escreva o seu comentário!
      Por favor, escreve aqui o seu nome