Edição do dia

Segunda-feira, 17 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
29.7 ° C
31.9 °
29.3 °
89 %
4.6kmh
40 %
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeApoiantes de Leni Robredo às eleições presidenciais das Filipinas pedem respeito

      Apoiantes de Leni Robredo às eleições presidenciais das Filipinas pedem respeito

      Alguns elementos da comunidade filipina radicada em Macau têm vindo a promover eventos de apoio à actual vice-presidente das Filipinas, Leni Robredo, que no início do mês de Outubro assumiu a candidatura às eleições presidenciais do país a terem lugar no próximo ano. Na última iniciativa, nas Ruínas de São Paulo, os apoiantes foram apupados por compatriotas, pelo que pedem respeito pela diversidade de escolha.

       

      Estavam a formar-se na escadaria das Ruínas de São Paulo, quando por ali passou um grupo de pessoas que os apupou. Tudo aconteceu no passado dia 30 de Outubro. Numa publicação na rede social Facebook, apoiantes da candidata às eleições presidenciais das Filipinas marcadas para 2022, Leni Robredo, pedem respeito pelas diversidades de opinião. “Respeito, respeito. Pouco nos importa com o que pensam, não interferimos com ninguém, mas também pedimos respeito por aquilo que desejamos”, escreveu um dos apoiantes, de nome Settawat Qui, na mesma rede social.

      O momento “constrangedor”, não ficou por ali. Os compatriotas, adeptos da oposição, “continuaram a insultar e a provocar” até que “acabaram por desistir” por “notarem que estavam a falar para a parede”. “Foi uma vergonha o que fizeram connosco. O seu comportamento nada mais é que o reflexo do tipo que candidato que apoiam”, escreve outro apoiante de Leni Robredo, curiosamente actual vice-presidente de Duterte, que anunciou recentemente abandonará a política quando concluir o seu mandato, uma vez que não deseja disputar as eleições de 2022 como candidato a vice-presidente.

      Rapidamente diversos filipinos, na sua maioria apoiantes de Leni Robredo, inundaram as redes sociais com palavras de incentivo e apoio aos compatriotas achincalhados junto do monumento ex-libris de Macau. “Espero que aprendamos a respeitar os compatriotas filipinos, mesmo que tenham opiniões e crenças políticas diferentes”, referiu Settawat Qui, que surge nas fotografias a tapar o rosto com uma máscara do filme V for Vendetta, muito associada ao movimento Anonymous.

      Outro apoiante de Leni Robredo, Joni Loveria, cita o presidente da Organização das Nações Unidas (ONU), o português António Guterres: “Haverá sempre espaço para debate em torno de opiniões. Não haverá espaço para debate em torno de factos. Precisamos erradicar a mentira novamente.”

      Recorde-se que esta iniciativa junto às Ruínas de São Paulo não é a primeira de apoio a Leni Robredo em Macau. No passado dia 31 de Outubro, diversos apoiantes da vice-presidente das Filipinas realizaram uma marcha pacífica com bicicletas pelo território. “Empregadas domésticas apoiam Leni Robredo”, podia ler-se num dos cartazes de incentivo à candidata.

       

      Rosa choque é a cor da mudança

       

      Entretanto, a candidata à presidência das Filipinas mostra-se grata pelo apoio que tem recebido pelos emigrantes filipinos em todo o mundo. “Estamos gratos e inspirados pela manifestação de apoio à candidatura da vice-presidente Leni de filipinos de todas as esferas sociais, tanto nas Filipinas como no exterior”, afirmou, em comunicado de imprensa, a advogada Ibarra Gutierrez, porta-voz de Leni Robredo.

      A candidata, de 56 anos, tem recebido forte apoio da comunidade filipina com especial destaque para o Canadá, Qatar, Nova Iorque e São Francisco nos Estados Unidos da América, Hong Kong, Macau, Irlanda, Bélgica, Áustria e Kuwait, entre muitos outros países e regiões.

      Robredo, ao declarar-se legível para a corrida presidencial do próximo ano, disse que a luta pela presidência não é só dela. A actual vice-presidente tem sido uma voz crítica do combate sem precedentes iniciado pelo presidente Rodrigo Duterte contra as drogas, bem como das políticas de luta contra a pandemia de Covid-19. “Se realmente queremos nos libertar-nos da situação actual, devemos mudar não apenas os nomes de quem está no poder, mas também a corrupção, a incompetência, a falta de compaixão deverão ser substituídas por competência e integridade na liderança”, tem afirmado a candidata, que concorre como independente.

      Robredo enfrentará pelo menos quatro outros candidatos que oficializaram a corrida, incluindo o filho do falecido ditador Ferdinand Marcos, a quem Robredo venceu por uma pequena margem na disputa pela vice-presidência de 2016. A filha de Duterte, Sara Duterte-Carpio, indicada como sucessora do pai, voltou a reafirmar que ipretende permanecer como presidente do município da cidade de Davao. Os candidatos têm até o dia 8 de Outubro para apresentar uma inscrição. Para além de Ferdinand Marcos II, estão na luta o ex-campeão de boxe Manny Pacquiao e o presidente da câmara municipal de Manila, Francisco Domagoso.

       

      PONTO FINAL