Edição do dia

Domingo, 3 de Março, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
14.9 ° C
18.9 °
14.9 °
88 %
1.5kmh
40 %
Dom
20 °
Seg
22 °
Ter
23 °
Qua
24 °
Qui
19 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Cultura KINO regressa e traz o clássico “Metropolis” a Macau  

      KINO regressa e traz o clássico “Metropolis” a Macau  

      Joana Chantre

      O Festival KINO – Festival de Cinema Alemão está de volta a Macau. Para a 6.ª edição do festival, além dos mais recentes filmes alemães, esta incluído no programa uma parte temática sobre o expressionismo alemão. Nesta secção, serão apresentados quatro filmes e haverá ainda uma palestra sobre o movimento criativo.”Metropolis”, de Fritz Lang, será um dos filmes em cartaz.

       

      Começa na sexta-feira o Festival KINO – Festival de Cinema Alemão, organizado pela CUT. Esta será a 6.ª edição do festival de cinema germânico em Macau e, desta vez, vai colocar o expressionismo alemão sob os holofotes. Os filmes serão exibidos no Cinema Alegria e na Casa Garden.

      Alguns dos filmes em destaques são “Kiss Me Before It Blows Up”, de Shirel Peleg, que será o filme de abertura do festival. O comunicado da CUT descreve o filme como uma história de amor, “leve e introspectiva”. Serão exibidos também “Berlin Alexanderplatz” e “The German Lesson”.

      Na ficção científica, será apresentado “Tides”, que estreou este ano e arrecadou múltiplos prémios. “The Kangaroo Chronicles” é outro dos filmes a ser exibido, mostrando uma vertente mais leve e cómica. Esta história de um canguru que fala foi um sucesso de bilheteira na Alemanha.

      A directora da CUT, Rita Wong, explicou ao PONTO FINAL que a iniciativa “ajuda a audiência a reencontrar a sua determinação na vida, através da poderosa filmografia alemã”. “Este ano continuamos a manter a colaboração com o instituto Goethe de Hong Kong, que nos tem apoiado muito”, começa por explicar.

      Rita Wong nota que este ano o festival apresenta uma lista de filmes um pouco mais curta, porque vai incluir uma secção chamada “Macau Special”. Esta mudança, explica Wong, serve para lidar com as circunstâncias da pandemia em que vivemos e visa assegurar que o festival é sustentável.

      O programa este ano, além de incluir os filmes mais recentes e clássicos alemães, vai incluir uma secção temática sobre o expressionismo alemão, onde serão exibidos os clássicos desta corrente criativa que marcou a era do ‘film noir’ e inspirou muitos dos mais recentes filmes de Hollywood.

      “Assim, vamos ter este ano novos filmes, como de costume, que escolhemos em conjunto com o Instituto Goethe Hong Kong para assegurar diversidade e vamos incluir o a secção temática do expressionismo alemão”, revela Rita Wong.

      Nesta nova parte do festival, Rita Wong revela que foram escolhidos quatro clássicos do género, nomeadamente “Metropolis”, “The Cabinet of Dr. Caligari”, “Nosferatu” e “The Golem: How he Came Into The World”.

      “O ‘Metropolis’ é um dos mais conhecidos clássicos da ficção científica, por isso fomos intransigentes que fosse incluído, aliás, incluímos esta secção sobretudo por sempre termos sonhado poder mostrar este filme na grande tela”, revela, acrescentando que “todos os quatro filmes são de realizadores diferentes, porém, todos do mesmo estilo”.

      Rita Wong assinala que a inclusão desta parte temática é “muito emocionante” porque é muito provável que a maioria das pessoas ainda não os tenha visto no cinema, especialmente “Metropolis”, que, segundo a cinéfila, tem um impacto maior no grande ecrã.

      De resto, o festival terá também uma palestra do professor Derek Lam, via Zoom, a partir de Hong Kong. “Este professor tem um tremendo conhecimento sobre esta vaga do expressionismo alemão e, na palestra, ele vai explicá-la de uma forma mais acessível para que as pessoas saibam o que é, a sua importância e como influenciou a subsequente indústria de Hollywood”.

      O Instituto Goethe de Hong Kong, que também organiza este festival todos os anos na cidade vizinha, trabalha com uma partilha de recursos com Macau. “Eles ajudam-nos a aceder aos filmes, porque têm conhecimento e ligações aos distribuidores dos filmes na Alemanha. Fazem uma ponte”, refere Rita Wong. A grande maioria dos filmes terá legendas em inglês e em chinês. Os bilhetes já se encontram à venda.

       

      PONTO FINAL