Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens quebradas
30.4 ° C
30.4 °
30.4 °
78 %
6.5kmh
83 %
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeCasal do interior da China terá pago 100 mil renminbis por casamento...

      Casal do interior da China terá pago 100 mil renminbis por casamento falso para obter BIR de Macau

      Joana Chantre

      Dois casais foram acusados de terem praticado o crime de casamento falso. O esquema previa que um dos casais conseguisse a residência de Macau. O casal foi interceptado cinco anos depois da prática do crime, tendo confessado que foi paga uma quantia de 100 mil renminbis para a obtenção do Bilhete de Identidade de Residente de Macau.

       

      Na conferência de imprensa de ontem das forças policiais, o Corpo de Polícia de Segurança Pública (CPSP) reportou um caso em que existem fortes indícios de esquema de casamento falso para o propósito de obter o Bilhete de Identidade de Residente de Macau.

      As autoridades receberam uma notificação do Ministério Público com a informação de um eventual caso de casamento falso, envolvendo quatro suspeitos. Os suspeitos constituem dois casais verdadeiros. O primeiro é uma mulher de 53 anos, padeira, e um homem de 59 anos, ‘croupier’ num casino. Neste casal, ambos são residentes do continente. O segundo casal é constituído por dois residentes de Macau de idades entre os 59 e os 64, ambos desempregados.

      O primeiro casal, que se casou em 1992, tem dois filhos, nascidos em 1994 e em 1998. No entanto, em 2006 divorciaram-se e cada um deles casou com um dos elementos do casal de Macau. Assim, a polícia suspeitou de estes casamentos serem um esquema com o objectivo de adquisição de documentos de identidade de Macau, pois nesse mesmo ano o casal do continente conseguiu, juntamente com cada um dos seus filhos, adquirir o BIR não permanente. Em 2011, os casais falsos divorciam-se.

      Depois de uma investigação pelas autoridades, a polícia deslocou-se às residências e locais de trabalho dos quatro suspeitos, que, entretanto, já se teriam voltado a juntar ao par original. Visto isto, a polícia considera haver indícios fortes de terem sido praticados crimes relacionados com o esquema de casamento falso.

      Mais tarde, depois de interrogado, o casal do continente admitiu a culpa e confessou que teriam sido pagos no total 100 mil renminbis ao casal local pelos casamentos falsos. O caso foi levado ao Ministério Público com os quatro suspeitos acusados de crimes relacionados com falsificação de documentos e declaração de identidade falsa.

       

      Homem paga quase 104 mil patacas a mulher que conhece apenas em plataforma de encontros

       

      Um homem local de 40 anos foi burlado, tendo perdido uma quantia de 103.098 patacas. A vítima contou às autoridades que teria conhecido uma mulher numa plataforma de encontros, pela qual se teria apaixonado. A mulher disse-lhe que vivia em Macau e trabalhava na indústria das massagens, e propôs-lhe uma sessão, tendo o homem aceitado.

      Com esperança de que a mulher se apaixonasse por ele e se tornasse a sua namorada, o homem pagou pela tal massagem um pré-pagamento, feito através da compra de um cartão de jogo, no valor de 534 patacas.

      Depois de feito o pagamento, o encontro não aconteceu, sendo que a mulher justificou que tinha um horário de trabalho muito preenchido. Pouco tempo depois, a mulher informou-o de que que teria sido assaltada no seu local de trabalho e que lhe teriam roubado coisas de grande valor. A suspeita disse também que teria de pagar uma caução de oito mil patacas.

      O homem decidiu então ir em seu socorro, tendo pago imediatamente essa quantia. Independentemente de ambos ainda não se terem conhecido ao vivo, a mulher voltou a pedir ajuda financeira ao homem pela terceira vez, dizendo desta vez que não podia sair da casa de massagens onde trabalhava para se encontrar com ele porque o seu Código de Saúde nao funcionava e que para o desbloquear, precisava de 20 mil patacas, tendo o homem, mais uma vez, corrido ao seu auxílio e pago a quantia.

      Depois de vários outros pretextos e transferências bancárias, o homem desconfiou que estava a ser enganado e contactou a polícia que esta de momento a investigar o caso.

       

      PONTO FINAL