Edição do dia

Segunda-feira, 17 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
29.7 ° C
31.9 °
29.3 °
89 %
4.6kmh
40 %
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More

      NAVEGAR É PRECISO

      https://www.wordswithoutborders.org/issue/september-2021-malaysia

      A edição deste mês da Words Without Borders, revista on-line sobre literatura internacional e a sua tradução, é dedicada à Malásia e ao seu complexo território cultural e linguístico. Com edição de Pauline Dan e Adriana Nordin Manan, a revista percorre alguma da mais recente literatura malaia e analisa temas recorrentes, nomeadamente aqueles que parecem descrever as tensões sociais da região, do racismo à pobreza, passando pelas leis não escritas e profundamente marcadas pelo patriarcado, mas também pela agitação urbana, a influência de culturas de outras origens e as tendências e modas que inundam as expressões literárias de escritores mais novos.

      Num espaço onde convivem quatro línguas – malaio, chinês, inglês e tamil – e uma imensa variedade de dialectos, é inevitável que esta babel linguística se observe na produção literária, muitas vezes navegando à vista entre conceitos de diferentes idiomas. No texto de apresentação desta edição, Pauline Dan e Adriana Nordin Manan destacam essa variedade e os seus efeitos políticos, sociais e culturais, afirmando que as tentativas, ao longo da história, de afirmar a Malásia como um território uno e nacional, apesar desta variedade de referentes identitários, acabaram por ter profundos reflexos na definição de uma literatura malaia assumida como literatura nacional. Escrevem os editores: «Malay literature flourished in the 1970s and ‘80s, much of it under the auspices of Dewan Bahasa dan Pustaka. This period saw the emergence of many writers who tested the boundaries of literary form and content. In the decades that followed, however, state bureaucratization and institutionalization increasingly alienated the younger generation of writers, many of whom have sought independent channels to publish their works. This has led to the burgeoning of an “indie” Malay literature scene since 2010, which remains vibrant today.»

      É a essa produção mais recente que acedemos nesta edição. Apresentando-se como uma breve montra da literatura contemporânea da Malásia, a Words Without Borders inclui textos de ficção e poesia de seis escritores, alguns deles publicados em modo bilingue, cujos nomes vale a pena reter: Ho Sok Fong, M. Navin, Jack Malik, Alis Padasian, T. Alias Taib e Fatimah Busu.

       

       

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau