Edição do dia

Sexta-feira, 14 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
29.2 ° C
30.9 °
28.9 °
94 %
3.6kmh
40 %
Sex
29 °
Sáb
30 °
Dom
30 °
Seg
30 °
Ter
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioCulturaGaleria da Fundação Rui Cunha reabre com exposição de pintura e caligrafia

      Galeria da Fundação Rui Cunha reabre com exposição de pintura e caligrafia

      A exposição “Autumn Moon Shines Over the Lake of Lingnan”, do artista Lee Chau Peng, foi inaugurada ontem na galeria da Fundação Rui Cunha e estará em exibição para o público até 28 de Agosto. Na mostra estão patentes vários trabalhos de pintura e caligrafia chinesa, que incluem temas de flores e pássaros, peixes e insectos, paisagens, entre outros, servindo ainda para assinalar o 72.º Aniversário da República Popular da China e o 22.º Aniversário do Retorno de Macau à China.

      Após uma pausa de 14 dias imposta pelas autoridades no seguimento dos quatro casos locais de Covid-19, a Fundação Rui Cunha reabriu ontem, dia 18 de Agosto, com a exposição de pintura e caligrafia “Autumn Moon Shines Over the Lake of Lingnan”, ou “A lua de Outono brilha sobre o lago de Lingnan”, um trabalho de Lee Chau Peng, calígrafo e pintor local que é também presidente da Associação de Artes, Pintura e Caligrafia de Macau.

      O trabalho de Lee Chau Peng procura reflectir a sua influência como discípulo do estilo artístico da Escola de Pintura de Lingnan. A mostra dá a conhecer cerca de 40 peças de pintura com caligrafia, que incluem temas de flores e pássaros, peixes e insectos, paisagens, entre outros, servindo ainda para assinalar o 72.º Aniversário da República Popular da China e o 22.º Aniversário do Retorno de Macau à China.

      A caligrafia que está exposta é sobretudo baseada na escrita corrente e escrita cursiva, e a maioria das peças patentes nesta exposição individual serão exibidas pela primeira vez na galeria da Fundação Rui Cunha.

      Lee Chau Peng tem realizado exposições de caligrafia e pintura todos os anos desde 2011, e esta é a sua 18.ª exposição de caligrafia e pintura. “Comecei a aprender acerca de arte, sobretudo pintura, com o meu pai, que se interessava muito na pintura chinesa”, começou por revelar o artista nascido em Hong Kong. “Desde cedo que, por conta da motivação do meu pai, comecei a interessar-se na pintura e dediquei-me a ela nos meus tempos livres, tendo depois da escola secundária começado a aprender e a estudar, de uma forma mais séria, este tipo de arte plástica, tal como a arte de caligrafia chinesa também”, prosseguiu Lee Chau Peng.

      Apesar de esta ser a primeira vez que exibe na galeria da Fundação Rui Cunha, o artista chinês já tem no seu reportório, várias exposições pelo território. “Comecei a pintar obras aos 17 anos, por isso já tenho um portfólio bastante abrangente, e esta exposição é mais uma página na minha carreira como artista”, notou.

      Quando questionado acerca de como surgiu esta oportunidade para mostrar o seu trabalho na Fundação Rui Cunha, Lee Chau Peng conta que costumava trabalhar como designer de interiores para a Sociedade de Turismo e Diversões de Macau, onde conheceu Rui Cunha, fundador da galeria, como colega de trabalho “Eu conheci o Rui Cunha enquanto trabalhava na STDM e até fui eu que fiz o design do escritório dele”, refere ao PONTO FINAL, acrescentando que foi também o responsável pelo design de interiores de todos os casinos em Macau, antes do ano 2000.

      Nascido em 1959, o artista começou a sua carreira como designer de interiores, formado pelo Instituto de Design e Indústria de Hong Kong. O percurso académico levou-o depois à indústria do design e da gestão de negócios. Seguiu para a Canadian Public Royal University, onde fez um mestrado em Administração de Empresas, e passou ainda pela Princeton University, nos Estados Unidos, onde obteve um doutoramento em Filosofia de Gestão pela Renmin University of China, em Pequim, para uma graduação em Administração de Empresas. Aos 62 anos, o artista é igualmente licenciado e praticante de Medicina Tradicional Chinesa, desde 1999.

      A actual exposição vai estar disponível ao público até ao dia 28 de Agosto de 2021, contando com entrada livre.