Edição do dia

Sábado, 22 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
30.9 ° C
31.9 °
30.9 °
79 %
4.1kmh
40 %
Sáb
31 °
Dom
30 °
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioCulturaFundação Oriente apresenta 6.ª Mostra de Cinema Português em Macau

      Fundação Oriente apresenta 6.ª Mostra de Cinema Português em Macau

      Uma colaboração entre a Fundação Oriente e a Portugal Film – Agência Internacional de Cinema Português e o IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema, apresenta, entre os dias 28 e 30 de Junho, uma série de curtas e longas metragens portuguesas com curadoria de Margarida Moz, directora da Portugal Film. Parte do programa do “Junho, Mês de Portugal na RAEM 2024”, esta mostra será projectada no Auditório Dr. Stanley Ho, no Consulado-Geral de Portugal em Macau e Hong Kong, com produções cinematográficas portuguesas dos últimos três anos, premiadas internacionalmente.

       

      O Consulado-Geral de Portugal em Macau e Hong Kong será palco de mais um evento de grande escala, integrado no programa cultural deste mês de Junho, em comemorações ao Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

      A 6.ª Mostra de Cinema Portuguesa em Macau retorna após uma ausência de três anos e apresenta as últimas produções cinematográficas portuguesas, premiadas internacionalmente, com curadoria da directora do Portugal Film, Margarida Moz. Este evento é uma extensão do festival IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema, e vem associado à Portugal Film – Agência Internacional de Cinema, numa colaboração com a Fundação Oriente, delegação de Macau-China. Com patrocínio do banco BNU, a mostra também recebeu apoio do Instituto Português do Oriente, da Associação Audio-Visual CUT e da empresa local XCESSU, para trazer ao público de Macau mais uma selecção do melhor cinema recente de Portugal.

      A mostra será dividida em cinco sessões, que acontecem durante as manhãs e tardes, entre os dias 28 e 30 de Junho. Os 13 filmes seleccionados para esta exibição representam o cinema de Portugal dos últimos anos, produzidos entre 2020 e 2024, e pretendem não só expor o cinema português pelo mundo, mas dar a conhecer internacionalmente a linguagem própria da cinematografia nacional e os realizadores, actores e produtores portugueses.

      Por entre os vários filmes, há alguns com prémios de destaque. No primeiro dia de sessões, dia 28 de Junho, serve como abertura para a mostra o filme “Mal Viver”, de João Canijo. Vencedor do “Urso de Prata” no Festival Internacional de Cinema de Berlim 2023, serviu como representante português para os Óscares 2024 de melhor filme estrangeiro.

      Vencedor também do Prémio Sophia para “Melhor Filme” da Academia Portuguesa de Cinema 2024, esta longa-metragem dramática franco-portuguesa foi lançada em Fevereiro de 2023 em Berlim, e segue a vida amarga de um grupo de mulheres nortenhas, enquanto cuidam do seu hotel decadente na praia do Ofir e reagem à chegada inesperada de uma neta, que apenas intensifica as más relações e os ressentimentos das cinco personagens. O filme será projectado no Auditório Dr. Stanley Ho, às 19h.

      No dia seguinte, dia 29 de Junho, com início marcado para às 17h, será projectada a primeira parte do Festivais em Curtas, uma selecção dos melhores curtas dos últimos anos em Portugal. Por entre as cinco estórias, destaca-se “The Shift”, de Laura Carreira. Uma curta de 9 minutos, vencedora da “Venice Short Film Nomination for the European Film Awards 2020” no Festival de Veneza 2020, que segue o dia de uma trabalhadora independente a lidar com a falta de trabalho e a vida encarecida na Europa, enquanto vagueia por um supermercado em busca das compras mais acessíveis.

      Na mesma sessão, outra curta com realização feminina e premiada com o “Tigre Ammodo para Melhor Curta Metragem” do Festival Internacional de Cinema de Roterdão 2022, é “Tornar-se Um Homem na Idade Média”, de Isadora Neves Marques. Um filme de ficção de 22 minutos, lançado em 2022, retrata a vida paralela de dois casais, um heterossexual e outro homossexual, e as dificuldades dos desejos reprodutivos de cada um. Uma estória íntima e contemporânea, com algum grau de ficção científica.

      No dia 30 de Junho, último dia de sessões, realizar-se-á a segunda parte do Festivais em Curtas, com início igualmente às 17h. Desta selecção destaca-se a curta “Shrooms”, de Jorge Jácome. Uma aventura psicadélica de 18 minutos que recebeu o “Prémio para Melhor Curta Metragem” durante o Festival Internacional de Cinema de Hong Kong em 2024.

      As sessões são abertas ao público e todos os filmes são legendados em chinês e inglês.