Edição do dia

Terça-feira, 18 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
31.7 ° C
34.8 °
30.9 °
89 %
5.1kmh
40 %
Ter
32 °
Qua
31 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioEconomiaAutoridades apresentam medidas de educação anti-burla

      Autoridades apresentam medidas de educação anti-burla

      Tendo em conta que os estudantes universitários continuam a ser vítimas de burlas que põem em perigo os seus bens e até a sua segurança pessoal, a Polícia Judiciária (PJ) e a Direcção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude (DSEDJ) anunciaram o lançamento do programa de “vacina anti-burla” nas universidades. Esta iniciativa visa reforçar os esforços anti-burla através de dez acções, “promovendo a cooperação entre várias partes para garantir uma rede universitária segura”, diz o comunicado das autoridades.

      Este programa foi anunciado na tarde de sexta-feira e, na sua intervenção, o director da PJ, Sit Chong Meng abordou os recentes casos de burla com recurso às telecomunicações e burlas cibernéticas que envolveram estudantes universitários e as correspondentes medidas de combate. Salientou que alguns estudantes ainda têm uma fraca consciência anti-burla e que o apoio e a cooperação do sector da educação são essenciais para reforçar os esforços anti-burla, disse Sit Chong Meng. A colaboração entre a polícia e as escolas na implementação deste programa visa melhorar a sensibilização dos estudantes e impedir a propagação de crimes conexos. O director da DSEDJ, Kong Chi Meng, salientou a necessidade de uma abordagem mais específica na nova ronda de esforços dos trabalhos contra as burlas.

      Este programa anti-burla inclui dez acções: Introdução de conteúdos sobre prevenção de fraudes nas aulas de ensino superior; A PJ criará uma plataforma de questionário anti-fraude, incluindo campanhas de consciencialização e testes de avaliação, para identificar indivíduos com maior risco de serem vítimas e realizar, o mais cedo possível, educação preventiva direccionada; Distribuição de informações contra fraudes aos encarregados de educação através da escola; As escolas divulgarão as informações anti-fraude para os alunos através do sistema escolar; Agentes da PJ de combate à fraude deverão realizar campanhas de sensibilização nas escolas de forma regular; Serão realizadas várias actividades de campanhas no campus com recurso ao carro para campanhas de sensibilização anti-fraudes que ali irá circular; Nomeação de alunos para serem “embaixadores anti-fraude”; As partes policiais, escolares e dos alunos irão colaborar para produzir um vídeo de consciencialização contra burlas; Realização de uma corrida “contra fraudes”; E realização de uma competição para a criação de um tema de prevenção contra fraudes.

       

      Y.W.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau