Edição do dia

Terça-feira, 18 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
30.6 ° C
33.2 °
29.9 °
89 %
4.6kmh
40 %
Ter
31 °
Qua
31 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaFabricante chinesa de eléctricos Li Auto perde 20% em bolsa após queda...

      Fabricante chinesa de eléctricos Li Auto perde 20% em bolsa após queda dos lucros

      As acções da Li Auto abriram a sessão de ontem a bolsa de Hong Kong a cair quase 20%, após os lucros da fabricante de automóveis eléctricos chinesa diminuírem 36,7% no primeiro trimestre.

      A Li Auto anunciou que os lucros no primeiro trimestre ascenderam a 591.1 milhões de yuan, uma queda de 36,7%, em termos homólogos, e de 89,7%, em relação ao último trimestre de 2023, ficando aquém das expectativas dos analistas.

      Os resultados mostram como a “brutal guerra de preços pode afectar os principais intervenientes” no mercado do país asiático, o maior do mundo para veículos eléctricos, pesando na confiança dos investidores, disse um analista da consultora Suolei, Eric Han, citado pelo jornal de Hong Kong South China Morning Post.

      A forte concorrência no sector e os elevados custos com investigação e desenvolvimento fazem com que apenas algumas empresas consigam registar lucros no mercado chinês de veículos eléctricos. A Li Auto é uma delas, com vendas superiores a 376.000 unidades, em 2023.

      Os elétricos representaram 24% das vendas de carros novos na China, no ano passado, segundo dados do setor. Se forem incluídos os híbridos, a quota de veículos alimentados por novas energias nas vendas totais atingiu 36%.

      No entanto, desde que o sector passou a constar nos planos quinquenais delineados pelo Partido Comunista Chinês, foram criadas centenas de marcas de veículos elétricos no país, gerando excesso de capacidade de produção e um problema de sustentabilidade financeira: mais de 60% dos fabricantes chineses de eléctricos vendem menos de 10.000 carros por ano.

      A feroz guerra de preços em curso desde o ano passado forçou as marcas a reduzir os preços entre 30% e 40%, o que deve conduzir a uma consolidação da indústria nos próximos anos.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau