Edição do dia

Sábado, 18 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
26.1 ° C
27.9 °
25.9 °
83 %
3.1kmh
20 %
Sáb
26 °
Dom
25 °
Seg
24 °
Ter
24 °
Qua
24 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeAlfândega alerta para aumento de actividades de imigração ilegal

      Alfândega alerta para aumento de actividades de imigração ilegal

       

      As trocas crescentes entre Macau e Guangdong depois da pandemia fizeram disparar as práticas de imigração ilegal no território. O alerta foi lançado pelos Serviços de Alfândega, adiantando que o número de imigrantes ilegais detidos nos dois primeiros meses deste ano subiu 80% em termos anuais, tendo sido interceptados 38 indivíduos.

       

      Os Serviços de Alfândega (SA) referiram que as actividades de imigração ilegal para entrada em Macau tornaram-se recentemente cada vez mais frequentes. O organismo indicou que o aumento de casos está relacionado com a retoma da normalidade das trocas comerciais e intercâmbio entre Guangdong e Macau após as restrições epidémicas, e as actividades ilegais na fronteira entre o interior da China e Macau também subiram.

      Em declarações ao canal chinês da TDM Canal Macau, os SA adiantaram que, até Fevereiro deste ano, foram interceptados 13 casos de imigração ilegal, envolvendo 38 imigrantes ilegais, o que representa um aumento de 17 pessoas envolvidas em relação ao mesmo período do ano passado. Representa também um crescimento de 80% no número de imigrantes ilegais detidos em termos anuais.

      Os dados estatísticos das autoridades mostram que foram registados 68 casos de imigração ilegal no ano passado, em que foram detidas 187 pessoas. Os casos levaram 81 pessoas a tribunal, por serem indivíduos que prestaram auxílio ou indivíduos que reentraram de forma ilegal. Recorde-se que, no ano anterior, 118 imigrantes ilegais foram detidos e houve 35 casos remetidos para tribunal no âmbito das actividades de imigração ilegal. Em 2021, o número de imigrantes ilegais detidos foi de 149 pessoas.

      As actividades de imigração ilegal são praticadas principalmente por via marítima, recorrendo a recursos como barcos sem número de identificação, sem nome e sem nacionalidade, segundo a Alfândega. “Os SA também descobriram que os criminosos utilizam novos métodos e equipamentos para levar a cabo as actividades de imigração ilegal, tais como iates privados, barcos de pesca e aparelho propulsor submarino. Isso torna a imigração ilegal mais furtiva e sinuosa na sua abordagem, aumentando assim a dificuldade da Alfândega para monitorizar e combater tais actividades”, apontou o verificador principal alfandegário do Departamento de Inspecção Marítima dos SA, Wong Fok Pan.

      Além disso, o responsável revelou que as autoridades têm detectado de vez em quando, através do sistema de vigilância inteligente marítima, botes rápidos que atravessam as águas de Macau. “Os infractores de lei aproveitam a flexibilidade e a vantagem dos botes rápidos para realizar actividades ilegais, incluindo a imigração ilegal e contrabando nas águas entre Zhuhai e Macau”, referiu.

      Wong Fok Pan avançou que, no ano passado, 51 dos 68 casos de imigração ilegal foram detectados por meio do sistema de vigilância inteligente marítimo dos SA, representando 75% do número total dos casos. “Este sistema desempenha um papel importante no combate às actividades de imigração ilegal. Nos últimos anos, a Alfândega tem vindo a analisar a tendência das actividades ilegais”, realçou.

      As autoridades tinham indicado que vão dar início ao desenvolvimento da segunda fase do sistema de vigilância inteligente marítimo, que procurará, através do aumento das câmaras de videovigilância e da inspecção nos pontos cegos para reforçar a cobertura nas zonas críticas de imigração ilegal, melhorar a capacidade de prevenção e de combate à imigração ilegal e contrabando. Além do sistema, a alfândega usa ainda câmaras de visão nocturna de infravermelhos e drones para formar uma gestão marítima tridimensional no mar e na orla costeira de Macau.