Edição do dia

Sexta-feira, 19 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
28.3 ° C
28.9 °
26.5 °
79 %
9.3kmh
40 %
Sex
28 °
Sáb
28 °
Dom
25 °
Seg
24 °
Ter
26 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioLusofoniaQuatro países lusófonos ainda atrás no Índice de Desenvolvimento Humano pré-covid

      Quatro países lusófonos ainda atrás no Índice de Desenvolvimento Humano pré-covid

      Quatro países lusófonos – Brasil, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste – não recuperaram ainda o nível de desenvolvimento humano que registavam antes da pandemia, segundo o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) ontem divulgado.

      De acordo com o relatório elaborado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que se centra no desempenho dos países entre 2022 e 2023, entre os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), por outro lado, apenas a Guiné Equatorial e Moçambique registam progressos no IDH, independentemente de subirem ou descerem nas posições relativas dos 193 países e territórios considerados.

      Portugal, por exemplo, ainda que registe progressos no IDH, passando de 0.866 pontos em 2021-2022 para os 0.874 pontos em 2022-2023, cai quatro posições no ‘ranking’, da 38.ª no índice do ano passado para a 42.ª posição este ano. Ou seja, ainda que o índice de desenvolvimento humano de Portugal tenha registado progressos, cresceu menos do que outros no grupo de países de Muito Alto Desenvolvimento Humano, que o ultrapassaram no ‘ranking’ liderado este ano pela Suíça, com 0.967 pontos.

      Nos casos da Guiné Equatorial e de Moçambique, os ganhos no índice foram acompanhados por subidas no ‘ranking’, sendo o desempenho do primeiro dos dois membros da CPLP o mais rápido e expressivo de todos os países da comunidade lusófona.

      A Guiné Equatorial ocupava a 145.ª posição no ‘ranking’, com 0.596 pontos, em 2021-2022 (a mesma posição no IDH de 2019, com 0.592 pontos) e subiu 12 lugares este ano, para a 133.ª posição, com 0.650 pontos.

      Moçambique subiu da 185.ª posição no IDH de 2022, com 0.446 pontos, para a 183.ª com 0.461 pontos, desempenho que, ainda assim, está longe de tirar o país do grupo dos menos desenvolvidos do mundo – cujo limiar está fixado nos 0.542 pontos este ano -, mas que o coloca, pela primeira vez desde 1990, acima dos 10 últimos.

      O Brasil aparece este ano na 89.ª posição do IDH, no grupo dos países com Alto Nível de Desenvolvimento, com 0.760 pontos, duas posições abaixo da registada no relatório de 2021-2022, quando o índice estava nos 0.754 pontos, e cinco abaixo da 84.ª posição, que ocupava antes da pandemia, em 2019, com 0.765 pontos.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau