Edição do dia

Domingo, 21 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
24.9 ° C
24.9 °
24.9 °
94 %
5.1kmh
20 %
Sáb
26 °
Dom
26 °
Seg
25 °
Ter
25 °
Qua
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioLusofoniaPlano contra tráfico humano em Cabo Verde mais vigilante a abusos contra...

      Plano contra tráfico humano em Cabo Verde mais vigilante a abusos contra crianças

      O segundo plano de combate ao tráfico humano em Cabo Verde vai reforçar a vigilância para prevenir e actuar em casos de abuso sexual de crianças, disse ontem a ministra de Estado, Defesa e assuntos parlamentares, Janine Lélis.

      O segundo plano contra o tráfico humano 2024/2027, aprovado em conselhos de ministros a 15 de Fevereiro, estará mais “interligado a questões como a prevenção ao abuso sexual contra crianças e outras medidas de políticas públicas em curso”, afirmou a governante, ao realçar as diferenças em relação ao plano anterior, numa conferência de imprensa, na Praia.

      Na qualidade de porta-voz do conselho de ministros, explicou que este segundo plano vai dar seguimento ao que vigorou de 2018 até 2021. “Tinha sido criado o observatório para a monitorização e identificação rápida de situações de tráfico, já vinha funcionando, mas agora em fevereiro foi aprovada uma resolução que veio formalizar a criação deste observatório”, apontou.

      Com este segundo plano, o Governo pretende “melhorar as estruturas de coordenação” entre as várias instituições que fazem parte do combate ao tráfico humano. “Sabemos que é uma questão transversal que engloba vários ministérios, porque o tráfico humano existe onde há vulnerabilidades, e é neste sentido que há uma conjugação de esforços para ser possível dar uma melhor resposta”, destacou.

      Com o plano pretende-se ainda “aumentar as ações de treino e de consciencialização e sensibilizar as pessoas para uma melhor prevenção”. Está ainda previsto “o resgate imediato de vítimas, através de mecanismos que serão criados para uma resposta mais efectiva e integrada e melhorar a investigação desses casos”, concluiu.

       

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau