Edição do dia

Segunda-feira, 26 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
13.9 ° C
15.9 °
13.9 °
72 %
5.7kmh
40 %
Dom
16 °
Seg
19 °
Ter
20 °
Qua
20 °
Qui
21 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Parada do Ano Novo Chinês estendida até à Doca dos Pescadores

      Parada do Ano Novo Chinês estendida até à Doca dos Pescadores

      Com 15 carros alegóricos e 30 grupos performativos, a parada do Ano Novo Chinês deste ano vai da Torre de Macau até à Doca dos Pescadores, indo depois também ao norte da cidade. O Ano do Dragão de Madeira é ainda celebrado com fogo de artifício e espectáculos na Torre de Macau, e as habituais actuações do dragão dourado e grupos de dança do leão pela cidade.

       

      Começando por destacar que este ano será a primeira vez que as três festividades do Ano Novo Chinês – a Parada, as Actividades, e o Fogo de Artifício – da cidade foram incluídas pelo Ministério da Cultura e Turismo da China no calendário das actividades do país, Helena de Senna Fernandes referiu que estes eventos têm o potencial de dinamizar e diversificar o turismo nos bairros comunitários, impulsionando a economia nocturna nestas zonas da cidade. A responsável sublinhou também que o programa coincide com os 25 anos do estabelecimento da RAEM. A directora dos Serviços de Turismo (DST) e outros representantes de departamentos e entidades parceiras estiveram ontem numa conferência de imprensa na Torre de Macau para partilhar detalhes das festividades do Ano Novo do Dragão da Madeira, cujos feriados se estendem do dia 10 ao dia 17 de Fevereiro.

      O programa arranca logo nos primeiros dois dias do Ano Novo Lunar, no fim de semana de 10 e 11 de Fevereiro, com as habituais “Actividades do Ano Novo Chinês”, que incluem o tradicional desfile do dragão gigante dourado, grupos de Dança do Dragão e do Leão, e visitas a diferentes bairros da cidade de figuras como o Deus da Fortuna, os três Deuses da Felicidade, Longevidade e Prosperidade, o Dragão do Zodíaco Chinês, Par de Meninos, e a “Mak Mak”, mascote da DST. Estes irão juntamente com diversos grupos de animação a vários bairros da cidade.

      De seguida, no dia 12, às 20h na Praça do Lago Sai Van, dá-se a abertura da Parada de Celebração do Ano do Dragão, com a presença de cantores e celebridades Pop de Macau e da região a animar o local a partir das 17h30 em antecipação do evento. Com 15 carros alegóricos, a parada deste ano será pela primeira vez estendida até à Doca dos Pescadores, com “espectáculos apelativos” aí montados para “dinamizar a economia durante a noite”. A acompanhar os carros alegóricos estarão cerca de mil artistas locais e internacionais, num total de 30 grupos performativos de Macau, Hong Kong, interior da China, e também de países como Coreia do Sul, Indonésia, Alemanha e França. Quanto a Portugal, destaque este ano para a participação do grupo das Marchas da Madragoa de Lisboa. Aos jornalistas, a responsável esclareceu que a participação deste grupo resulta de uma parceria com as Marchas de Lisboa, e que este grupo já tinha vindo a Macau em 2019. A Parada conta ainda com a habitual participação do Grupo Dança Brasil, da Casa de Portugal em Macau, da Associação de Danças e Cantares Portuguesa ‘Macau no Coração’ e de outros grupos performativos locais e do interior da China.

      Ao longo da Avenida Dr. Sun Yat-Sen serão montadas bancadas com uma capacidade total de mais de 2.500 lugares, e também haverá uma zona para espectadores com restrições de mobilidade, indicou ainda a organização. Este ano, a parada conta com carros alegóricos da DST, do Centro de Intercâmbio de Turismo da Ásia, do IAM, do IPIM, do IC, do ID, da Direcção dos Serviços de Desenvolvimento Económico da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin, assim como os carros da MGM, Wynn Macau, Galaxy Entertainment Group, SJM Resorts, Sands Travel, Melco Resorts & Entertainment Limited, Multinational Holdings Group e o Chimelong Group.

      Os mesmos carros vão depois ficar estacionados na Doca dos Pescadores entre os dias 13 e 16 de Fevereiro para que se possa tirar fotografias e apreciar os veículos em detalhe. Estes voltam a ser expostos uma última vez, mas na Praça do Tap Seac, entre os dias 18 a 25 de Fevereiro.

      Entretanto, no dia 17 de Fevereiro, oitavo dia do Ano Novo Lunar, pelas 20h, 15 carros alegóricos irão desfilar na zona norte da cidade. Esta segunda parada terá início na Universidade de São José, seguindo pela Estrada Marginal da Ilha Verde, e pela zona da Areia Preta, até chegar ao Jardim do Mercado de Iao Hon. Aí, a partir das 20h15 está agendado um espectáculo final, com as artistas de Hong Kong Selena Lee e Carman Kwan e os cantores de Macau Germano Guilherme, Rico Long e Viviana Lo, entre outros, para celebrar o Novo Ano Lunar.

      Quanto aos Espectáculos de Fogo de Artifício na Torre de Macau, este ano serão três, e cada um deles terá a duração de 15 minutos: no dia 12, às 21h45, este será centrado no tema do Dragão, no dia 16, às 21h, a sessão celebra o feriado do “Dia de Todos os Aniversários”, e no dia 24, também pelas 21h, é a vez de assinalar a ocasião do Festival das Lanternas.

       

      CAIXA

       

      Ano Novo Chinês pode atrair um milhão de visitantes, prevê directora da DST

       

      De acordo com Helena de Senna Fernandes, durante os feriados do Ano Novo Chinês Macau pode vir a receber um milhão de turistas. A responsável falava à margem da apresentação do programa das festividades para este ano, em que se inclui a Parada de Celebração do Ano do Dragão. “Estamos a esperar uma média de 120 mil turistas por dia durante aqueles oito dias de Ano Novo Chinês”, partilhou a directora dos Serviços de Turismo com a TDM. Senna Fernandes quis ainda frisar que embora exista a meta de se ultrapassar os 28 milhões alcançados em 2023, e chegar aos 33 milhões de visitantes em 2024, as autoridades não estão apenas a pensar nos números: “não estamos só a olhar para a quantidade, também queremos oferecer qualidade para os nossos turistas”. A responsável esclareceu que tem como objectivo para 2024 que os visitantes passem a ficar mais dias no território, com um “orçamento maior”, e associando-se a “diferentes actividades”, dando como exemplo os sectores das conferências e exposições “MICE”, actividades de laser e passeios educacionais.