Edição do dia

Quinta-feira, 22 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
neblina
21.9 ° C
25.4 °
20.9 °
100 %
3.1kmh
75 %
Qui
23 °
Sex
21 °
Sáb
20 °
Dom
21 °
Seg
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Infracções de peões triplicam em um ano, mesmo apesar de campanhas de...

      Infracções de peões triplicam em um ano, mesmo apesar de campanhas de aviso da DSAT  

       

      De Janeiro a Outubro deste ano, 2,315 peões atravessaram a estrada sem respeitar as regras de trânsito, um aumento três vezes superior aos números registados nos mesmos meses de 2022.

       

      Entre Janeiro e Outubro deste ano, o Corpo de Polícia de Segurança Pública (CPSP) instaurou, no total, 2,315 autuações contra infracções dos peões, ultrapassando em 206,62% os números registados nos mesmos meses de 2022. Os dados do CPSP mostram que as infracções de peões foram muito menores durante os anos de restrições pandémicas.

      Na totalidade do ano de 2022, foram registadas 914 infracções de peões, ou seja, uma média de 76 por mês. Em 2021, houve apenas 897, sendo a média mensal de 74. No ano de 2020 houve somente 671, o que perfaz 60 por mês. Em 2019, antes das restrições fronteiriças que afastaram muitos visitantes da cidade, registaram-se 2.088 infracções de peões, o que dá uma média de 174 por mês – ainda assim inferior aos valores verificados até Outubro deste ano. O número de acidentes de viação que envolveram peões também tem aumentado ligeiramente, sendo que em 2022, a esta altura do ano, havia 341 casos, e em Outubro já foram registados 380 acidentes. Acidentes que tenham resultado em mortes, contudo, não têm sido verificados em números que contrastem com os valores registados nos anos anteriores: até ao fim de Outubro, faleceram sete pessoas nas estradas de Macau, valor idêntico ao de 2022, e semelhante aos de 2020, e 2021, com cinco fatalidades. Antes da pandemia, faleceram nas estradas da RAEM oito pessoas em 2019, e 10 em 2018.

      Com a intensificação da circulação nas estradas, também se têm verificado aumentos em algumas infracções, nomeadamente o uso de telemóveis durante a condução por motociclistas, com mais 32 infracções do que as 130 do ano passado. O estacionamento ilegal nas vias públicas também tem registado acréscimos de 44,94%, com 451,133 casos.  Naturalmente, um valor que tem subido como consequência da globalidade destas infracções é o total do valor de multas: até Outubro, já foram cobradas 145,697,252 patacas, um aumento de quase 38% em relação ao mesmo período do ano transacto.

       

      DSAT EM CIMA DO ASSUNTO

       

      A deputada Lo Choi In mostrou-se recentemente preocupada com os turistas que atravessam as estradas sem ser nas passadeiras e param no meio da estrada para tirarem fotografias, por exemplo, uma práctica que tem vindo a ser criticada por várias associações e figuras públicas. “A situação do trânsito rodoviário e pedonal sofreu grandes alterações com a mudança e o progresso do tempo, por isso, a sociedade deve verificar se a actual legislação do trânsito consegue responder às necessidades do desenvolvimento social. Por outro lado, também deve dar importância à responsabilidade dos peões na salvaguarda da segurança rodoviária na legislação desta sociedade moderna”, afirmava Lo Choi In numa interpelação, que pedia também às autoridades que tentassem sensibilizar mais os visitantes para não tirarem fotografias no meio da estrada.

      Na altura, a Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT) adiantou que, para a revisão à lei do trânsito rodoviário a ser apresentada até ao final deste ano, foi feita uma análise e um aperfeiçoamento das regras a observar pelos peões quando atravessarem as ruas. A DSAT também frisou que as autoridades policiais aplicam “rigorosamente” as leis do trânsito, destacando regularmente pessoal para patrulhar os pontos turísticos mais visitados. “Caso os agentes policiais detectem peões a obstruir o trânsito ou a praticar actos que possam afectar a circulação de veículos, para além de aconselhar os peões a regressarem a um local seguro, irão também autuar as infracções, nos termos da lei, de modo a garantir a segurança dos utentes da via e a fluidez do trânsito”, afirma a DSAT.

      Paralelamente têm sido divulgadas mensagens de segurança rodoviária a cerca de 2.600 indivíduos e, em simultâneo, foram divulgados vídeos de sensibilização sobre a segurança rodoviária, através de painéis electrónicos nos postos fronteiriços, rádio, televisão, plataformas dos meios de comunicação social dentro dos edifícios e painéis publicitários nos autocarros, promovendo, por vários meios, a importância da segurança nas deslocações. No mesmo sentido, a Direcção dos Serviços de Turismo (DST) “tem vindo a divulgar informações turísticas relativas aos usos e costumes e pontos turísticos de Macau, aos roteiros turísticos que não afectam a vida quotidiana dos residentes, bem como a alertar os turistas para prestarem atenção às regras de segurança rodoviária de Macau quando tirarem fotografias e não entrarem em lugares privados sem autorização, chamando a atenção para o cumprimento da legislação local e das respectivas disposições durante a sua estadia em Macau”, garantiu a DSAT.