Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
15.9 ° C
17.9 °
15.9 °
88 %
3.1kmh
40 %
Qui
21 °
Sex
17 °
Sáb
16 °
Dom
20 °
Seg
22 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Dia Mundial da Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica assinalado em Macau  

      Dia Mundial da Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica assinalado em Macau  

       

      Quarta-feira, dia 15, foi o Dia Mundial da Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica, uma iniciativa da Organização Mundial de Saúde que se realiza todos os anos em Novembro. Com o tema “Respirar é Vida – Agir Mais Cedo”, a campanha global espera que “a força dos profissionais de saúde e das associações de doentes de todo o mundo possa despertar a atenção e aprofundar o conhecimento sobre a doença pulmonar obstrutiva crónica”, indicaram os Serviços de Saúde (SSM) em nota.

      A doença pulmonar obstrutiva crónica é uma doença crónica comum que ameaça gravemente a vida humana. Em média, uma pessoa no mundo morre a cada 10 segundos, com o consumo de tabaco como principal causa da doença. Recorde-se que as doenças respiratórias crónicas, a par das doenças cardiovasculares, oncológicas e a diabetes ‘mellitus’, são as quatro doenças crónicas que mais afectam a saúde e a vida dos residentes de Macau.

      Nesse sentido, as autoridades lançaram diversas campanhas de controlo do tabagismo, que vão desde a produção legislativa e execução da lei à divulgação educativa e incentivo à cessação tabágica. Desde 1 de Janeiro de 2012, por exemplo, que a entrada em vigor da lei “Regime de Prevenção e Controlo de Tabagismo” é aplicada e revista “com vista ao aperfeiçoamento contínuo da mesma”, indicaram os SSM. A fim de prestar informações e apoios adequados às pessoas que tencionam deixar de fumar, desde 2006 que a “Consulta Externa de Desabituação Tabágica” existe em diversos centros de saúde, com médicos e enfermeiros especializados a prestar serviços gratuitos de consulta e de desabituação tabágica aos residentes.

      Para travar o consumo crescente de cigarros electrónicos nas camadas mais jovens da sociedade, desde 5 de Dezembro de 2022 que se proibiu a fabricação, distribuição, venda, e importação e exportação de cigarros electrónicos, “de modo a diminuir a circulação de novos produtos do tabaco em Macau e a proteger a próxima geração, para se afastar do prejuízo causado pelos mesmos”, referiram as autoridades. De acordo com o resultado do “Inquérito de fumadores juvenis de cigarros electrónicos de 2021”, a taxa de consumo de cigarros electrónicos dos alunos que frequentavam o ensino secundário com idades compreendidas entre os 13 e os 15 anos, subiu de 2,6% em 2015 para 4,0% em 2021, valor que ultrapassava o consumo de cigarros tradicionais, que era de 2,1%.

       

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau