Edição do dia

Segunda-feira, 26 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
13.9 ° C
15.9 °
13.9 °
77 %
6.2kmh
40 %
Dom
15 °
Seg
19 °
Ter
19 °
Qua
20 °
Qui
22 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Elsie Ao Ieong sublinha “desafio” no combate às drogas após subida da...

      Elsie Ao Ieong sublinha “desafio” no combate às drogas após subida da toxicodependência

      Elsie Ao Ieong, secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, destacou que há este ano “um certo nível de desafio” nos trabalhos de combate às drogas devido ao aumento de circulação de pessoas depois da pandemia. Os dados dos toxicodependentes de Macau mostram que 61 pessoas consumiram drogas no primeiro semestre deste ano, representando uma subida anual de 15,1%, sendo que o aumento do abuso do álcool e de medicamentos prescritos chamou também a atenção das autoridades. A taxa mais actualizada de toxicodependência entre os jovens estudantes de Macau fixou-se em 0,96%.

       

      Macau registou 61 pessoas que consumiram drogas no primeiro semestre deste ano. De acordo com os dados do Sistema de Registo Central dos Toxicodependentes de Macau, divulgados pelo Instituto de Acção Social (IAS), esse número representa um aumento de 15,1% em comparação com o mesmo período do ano passado.

      Os toxicodependentes registados são na sua maioria do sexo masculino, com uma média de 42,7 anos de idade. No primeiro semestre do ano registou-se um jovem toxicodependente com menos de 21 anos, representando uma diminuição de 66,7% em relação à época homóloga de 2022.

      Segundo a Comissão de Luta contra a Droga, que realizou a 2.ª Sessão Plenária do ano na terça-feira, os dados oficiais indicam ainda que, quanto aos tipos de drogas consumidas, a metanfetamina (ice) foi, de uma maneira geral, a principal substância de estupefaciente consumida, com uma percentagem de 23,4%, seguindo-se a ketamina, com uma percentagem de 10,4%, e a cocaína, de 9,1%. Mais de 74% consumem as drogas em Macau, enquanto a casa, a casa de amigos e hotéis são os principais locais de consumo, com uma percentagem de quase 80%.

      “Com o retomar do normal funcionamento das fronteiras entre as diferentes localidades, o problema de consumo de drogas transfronteiriço voltou a aparecer. A percentagem relativa ao abuso do álcool e de medicamentos prescritos tem vindo a aumentar, o que é uma situação que merece a nossa atenção”, frisaram as autoridades.

      Elsie Ao Ieong, secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, que preside a Comissão de Luta contra a Droga, enfatizou também na reunião que este ano se verificou um aumento de circulação de pessoas, sobretudo depois do levantamento das restrições epidémicas, “o que trouxe um certo nível de desafio aos trabalhos de combate às drogas”.

      Dessa forma, a secretária espera que os vogais da Comissão possam continuar a cooperar para os trabalhos de combate poderem ser realizados “com sucesso” e a impulsionar o progresso dos assuntos de combate às drogas no território.

       

      CONSUMO DE DROGA DIMINUIU ENTRE OS JOVENS

       

      Segundo os resultados da recente investigação e seguimento sobre a toxicodependência por parte dos Jovens de Macau em 2023, a taxa de toxicodependência dos jovens estudantes de Macau é de 0,96%, correspondendo a uma diminuição de 1,96% em comparação com os 2,92% de uma investigação semelhante realizada em 2018.

      A taxa de toxicodependência de estudantes do ensino superior registou ainda uma quebra significativa de 4,9% para 1,2%, e a conscientização dos jovens sobre a toxicodependência como uma infracção atingiu 4 valores. “Isto reflecte uma tendência significativa de queda da situação de toxicodependência dos jovens nos últimos anos”, afirmou o IAS, frisando que o respectivo relatório será posteriormente publicado no portal online do organismo.

      O estudo foi conduzido pelo “Centro de Pesquisa Estratégica para o Desenvolvimento de Macau” e pelo “Bosco Youth Service Network”, entidades incumbidas pelo IAS para realizar a investigação em 2022, a fim de conhecer continuamente a situação relativa ao abuso de drogas por parte dos jovens de Macau e servir de base de referência para a definição de políticas relacionadas com a prevenção e o tratamento do abuso de drogas. Contudo, devido ao impacto da epidemia, o trabalho de investigação foi estendido e concluído apenas em Outubro do corrente ano.

      Segundo o IAS, a Comissão de Luta contra a Droga pretende lançar, no próximo ano, programas de actividades de prevenção e tratamento de drogas, centralizados na saúde física e mental e na aptidão física dos jovens, bem como proceder à revisão do Sistema de Registo Central dos Toxicodependentes de Macau.