Edição do dia

Sexta-feira, 24 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
aguaceiros fracos
25 ° C
25.9 °
24.9 °
94 %
4.6kmh
40 %
Qui
25 °
Sex
26 °
Sáb
27 °
Dom
28 °
Seg
29 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeApreendidas ostras de zona do Japão abrangida pela proibição de importação

      Apreendidas ostras de zona do Japão abrangida pela proibição de importação

       O Instituto para os Assuntos Municipais (IAM) anunciou na noite de quarta-feira, em comunicado, que os seus inspectores apreenderam no aeroporto dois lotes de ostras frescas provenientes da província de Miyagi, uma das dez regiões japonesas abrangidas pela actual proibição de importação de produtos alimentares vivos e frescos. De acordo com o comunicado, o importador tinha indicado que as ostras eram originárias da província de Iwate, que não se encontra entre as dez regiões, aquando do pedido de licença de importação às autoridades locais.

      Há uma semana, o Governo de Macau decidiu suspender a importação de mercadorias japonesas no território abrangendo todos os produtos alimentares frescos e vivos, de origem animal, sal marinho e algas marinhas, incluindo vegetais, frutas, leite e produtos lácteos, produtos aquáticos e seus derivados, carnes de animais domésticos e seus derivados e ovos de aves, provenientes de dez prefeituras envolvendo Fukushima, Chiba, Tochigi, Ibaraki, Gunma, Miyagi, Niigata, Nagano, Saitama e Área Metropolitana de Tóquio.

      O Governo manifestou “forte descontentamento” após o Japão ter anunciado que irá lançar as águas residuais nucleares de Fukushima no mar, destacando que as autoridades “irão tomar medidas necessárias” a fim de proteger a segurança alimentar de Macau e a saúde dos residentes.

      “É de comportamento extremamente irresponsável a decisão da parte do Japão de descarregar no mar água com contaminação nuclear sem consultar devidamente os países vizinhos”, condenou o Executivo. “O Governo da RAEM está a prestar elevada atenção ao incidente, o Instituto para os Assuntos Municipais (IAM) tem estado em comunicação estreita com a Administração Geral da Alfândega da China, a Alfândega de Gongbei, tendo estabelecido um mecanismo de notificação com o Centro de Segurança Alimentar de Hong Kong”, assegurou.

       

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau